domingo, 31 de janeiro de 2010

Algés – 2010 – 8

Estacionamento e Centro de Saúde de Algés

Ao domingo o Jornal Público traz no suplemento Cidades a Tribuna dos Cidadãos destinada aos leitores que queiram fazer perguntas sobre a sua terra e para as quais o Jornal procura respostas oficiais.



Resolvi experimentar, pois ando curiosa em saber como a C M O irá resolver o problema dos mais de 30 veículos que estão a estacionar no local onde se espera ver aparecer o Centro de Saúde.



E este Domingo, 31 de Janeiro lá veio a resposta do gabinete de comunicação da Câmara de Oeiras. Faz o historial como aparece aquele vazio que agora “começou a ser utilizado para estacionamento informal.” Depois informa que o “futuro edifício prevê a criação de 72 novos lugares distribuído por três pisos em cave, sendo que mais de metade serão para utilização pública”.



Portanto, óptimo, temos 36 lugares para a população. Mas acrescenta: “dado que a localização (…) será em plena Baixa de Algés, prevê-se até uma diminuição da afluência de viaturas ao local, já que os utentes poderão ali deslocar-se facilmente a pé”.



Assusta-me um pouco os tais três pisos em cave nesta zona mas não quero ser *a velha do Restelo*. Mas não consigo acreditar na diminuição da afluência de viaturas. Até porque o parque pago que ali existe tem muitas vezes um número significativo de carros mal estacionados para não pagarem. Isto é: em cima de passeios e em curva.



Pensamento: Temos de ter Esperança e acreditar que dentro em breve seremos todos cidadãos disciplinados e cumpridores.


Clique na imagem para ampliar

Educação e cultura científica em Oeiras


Será esta uma obra marginal, susceptível de não merecer apoios oficiais?

http://www.amrad.pt/



A AMRAD mesmo não dispondo de apoios por parte de organismos oficiais e autárquicos, tem apesar de tudo, conseguido a ajuda de algum tecido empresarial (privado), através do qual, a AMRAD consegue reunir alguns recursos técnicos, susceptíveis de permitirem a implementação de uma importante estrutura e acervo em equipamentos e meios dedicados.

Tratando-se de um trabalho tecnicamente multidisciplinar e complexo, colaboram na construção, na instalação e na configuração da moderna estação de rastreio e comunicações aeroespaciais, diversos grupos de alunos do IST-Taguspark, são alunos provenientes de diferentes licenciaturas, que tem ao seu lado um grupo de trabalho dedicado de alguns membros da AMRAD, que estão a dar uma importante contribuição técnica, orientando fases do projecto de engenharia e instalação.



Veja mais em IST-Taguspark

Linda-a-Velha, 2010 (3)

Alguns meses passados sobre a nova legislação que levou a CMO a fechar temporariamente os parques infantis do concelho, como forma de evitar as pesadas coimas da ASAE, e depois de vários parques já estarem novamente abertos aos utentes, o Parque Infantil do Jardim das Tílias continua fechado.

Mais informação aqui

Foto: Sexta-feira 29.01.2010

sábado, 30 de janeiro de 2010

Algés – 2010 – 7

MILAGRE



Imaginem que a Revista 30 Dias de Fevereiro de 2010 foi entregue em Algés em 29 de Janeiro. Deve ter acontecido que alguém, sensibilizado com a minha tristeza pelos atrasos de cerca de uma semana todos os inícios dos meses, mandou estudar uma nova rede de distribuição. Ou então fizeram uma nova parceria público-privada. Bem, não interessam os caminhos. Certo é que já muitas pessoas estão a programar o seu entretém para este mês que começa 2ª. feira.



Mas sabem porque foi este cuidado? Não sabem? A sério? Eu explico: no dia 1 e 2 de Fevereiro são as inscrições em Algés, para o programa turismo sénior.



Pensamento: É preciso esmiuçar os porquês das coisas.

Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência

"São para anormais" é um desabafo comum para quem reprova, sendo certo que isso não interessa nada, quando se anula procedimentos concursais.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Associação Portuguesa de Poetas

Encontros no Palácio Galveiras – Lisboa

(Campo Pequeno)


Domingo 31 de Janeiro das 15h30 às 18h00

Poeta do mês: GUERRA JUNQUEIRO


Palestra por Joaquim Sustelo, seguida de leitura de poemas de Guerra Junqueiro ou a ele dedicados.


Entrada livre. O público assistente pode e deve participar.


Transportes: metro, carris 27, 35, 36, 44, 45

Jornal do Pau Para Toda A Obra: VALE A PENA SER DO PS

Jornal do Pau Para Toda A Obra: VALE A PENA SER DO PS

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras apressa-se a pagar a Dízima em Paço de Arcos


Denúncia

Publicado em 28 de Janeiro de 2010

Elementos do SEF sairam do restaurante Casa da Dízima em Paço de Arcos sem pagar. Uma história que levanta dúvidas sobre a legalidade. (aqui)

Lei do crime urbanístico aprovada

O projecto do CDS foi viabilizado com a abstenção de todos os partidos



Só os dezassete deputados do CDS-PP, presentes no Plenário, votaram ontem a favor da proposta centrista de crime urbanístico. As restantes bancadas abstiveram-se, mas foi o suficiente para que o projecto fosse viabilizado na generalidade. Agora segue para a comissão de acompanhamento do fenómeno da corrupção, liderado pelo socialista Vera Jardim. (aqui)




Governo corta apoio a remédios

Com mais um corte na comparticipação dos medicamentos serão novamente os mais desprotegidos a pagar a crise. (aqui)

CM

Galeria de Arte Fundação Marquês de Pombal

Palácio dos Aciprestes

Exposição de Carlos Gargaté e Elsa Oliveira
de 30 de Janeiro a 20 de Fevereiro
Segunda a sexta: das 14.30h às 17.30h
Sábados das 15.00h às 18.00h
Inauguração: Sábado, dia 30 pelas 16.00h

16.30h - Entrega das Bolsas de Doutoramento

17.00h - Recital de Pedro Baião e Diogo Gomes - Soundworks - Portraits of Tango

Jardim das Tílias - Linda-a-Velha

2010/1/29, Oeiras Net

Oeiras Net deixou um novo comentário na sua mensagem
"2009 - Linda-a-Velha (3) continuação"

Boas notícias: http://bit.ly/a42SIy
(site base: contractos publicos online).
Agora resta esperar.

Cumps.

Publicada por Oeiras Net em OEIRAS LOCAL a 29 de Janeiro de 2010 00:55

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

TERRENO DA CREL ALVO DE EXPLOSÃO SUBTERRÂNEA?

EXCLUSIVO

"O desabamento de terras sobre a CREL pode ter sido motivado por qualquer tipo de explosão subterrãnea", afirmou ao JORNAL DO PAU um engenheiro que é professor no Instituto Superior Técnico. A nossa fonte adiantou que o movimento de terras que se registou no local "é demasiado volumoso para ter sido um simples cataclismo natural".
Entretanto, o presidente da Câmara Municipal da Amadora, Joaquim Raposo (PS), afirmou hoje que o Grupo Espírito Santo, através do fundo imobiliário Edifundo, é o proprietário do terreno que desabou para a CREL na última sexta-feira.
"Temos o registo de que aquele terreno pertence ao Edifundo do Grupo Espírito Santo. É a única certeza que a Câmara Municipal da Amadora tem. Há documentos e qualquer um pode confirmar", afirmou hoje Joaquim Raposo.

O gmail anda a funcionar mal

Desde há mais ou menos um par de semanas que o gmail anda a funcionar mal aqui na zona e noutras zonas de pessoas amigas e/ou conhecidas. Dificuldade em entrar no serviço; demora a carregar a página; necessidade de mudar para a versão mais antiga, sem html, como única forma de poder ler o correio sempre que se entra no site; e-mails enviados que são devolvidos ao remetente; outros que desaparecem no caminho; ainda outros que são entregues passados dois ou três dias são algumas das anomalias verificadas. Diz quem sabe que estão a melhorar o serviço. Digo eu que - por enquanto - só vejo o actual serviço a funcionar cada vez pior. De vez em quando aparece um pequeno aviso a informar que há erro na ligação à internet. Chamado o serviço técnico da netcabo nada se verificou quer na máquina, quer no servidor que justifique a avaria.
Vamos aguardando...

A CMO e o fim da recolha selectiva porta-a-porta

Clique na imagem para ampliar
Via Jornal da Região - Oeiras, 26 de Janeiro a 1 de Fevereiro de 2010

Freguesias



Clique nas imagens para ampliar
Leia o Jornal da Região online (aqui)

O pelintra pródigo

Opinião







Ontem
A notícia vem no DN: o Governo português comprometeu-se a emprestar a Angola até 200 milhões de dólares. Para isso, apesar de a dívida externa do país ultrapassar já os 100% do PIB (e com as agências de "rating" a anunciar, em face disso, o aumento das taxas de juro da remuneração da dívida), o Governo irá contrair um (mais um) empréstimo.

A boa notícia é que o mais certo é que parte desses milhões, ao menos a das "comissões" e das "contrapartidas", acabe por voltar a penates, seja através das empresas e dos negócios do costume, seja em artigos de "griffe" como relógios de ouro Rolex e Patek Phillipe, pulseiras Dior e H. Stern, roupas Ermenegildo Zegna e até... casacos de peles, comprados nas lojas de luxo de Lisboa sem olhar a preços. De facto, as elites do regime angolano constituem hoje, segundo uma notícia publicada pelo "Expresso" em finais de 2009, 30% do mercado de luxo português. Que isso nos sirva de conforto, aos pelintras contribuintes portugueses, quando pagarmos a escandalosa factura dos 200 milhões. Porque, como diria o gondoleiro de "A morte em Veneza", haveremos de pagá-la.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

GUERNICA


Em 2005, as Nações Unidas decidiram assinalar o dia 27 deste mês como o ‘Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto’, para homenagear todos aqueles que foram perseguidos e mortos e para que a humanidade não se esqueça do terrível genocídio de que milhões de pessoas foram vítimas.

Mais de um milhão de judeus foram mortos em Auschwitz entre 1940 e 1945, data em que os militares russos libertaram o campo.

Junta de Freguesia da Cruz Quebrada - Dafundo



REUNIÃO DE ENTIDADES PROCURA SOLUÇÃO PARA RESIDENTES NA PRAIA DA CRUZ QUEBRADA

No passado dia 21 de Fevereiro, decorreu nas instalações da Administração do Porto de Lisboa, em Alcântara, uma reunião conjunta entre aquela entidade, a Junta de freguesia da Cruz Quebrada – Dafundo, a Câmara Municipal de Oeiras e a REFER.

A reunião tinha como objectivo a procura de uma solução para os moradores na Praia da Cruz Quebrada e a demolição de todas as estruturas existentes no local. »»»

JFCQD

Exposição - A Caminho da Argentina - Os Comboios Portugueses

"A caminho da Argentina. Os comboios Portugueses" é o tema título da Mostra Documental presente até dia 12 de Fevereiro na Casa da América Latina em Lisboa sobre os comboios Portugueses que circulam na Argentina.

A webrails.tv passou por lá:
http://www.webrails.tv/arquivoVideo/cec/cec_Argentina.htm

Esta Exposição é uma organização do Clube de Entusiastas dos Caminhos-de-ferro e da Casa da América Latina em Lisboa e pode ser visitada entre as 10 e as 18 horas.
(Informação gentilmente enviada pelo nosso leitor Rui Ribeiro)

Público: as notícias sobre o Orçamento (em actualização) | FLISCORNO

Público: as notícias sobre o Orçamento (em actualização) FLISCORNO

Algés – 2010 – 6

Assembleia de Freguesia de Algés

1 - Gostei do que li na declaração de João Salgueiro - Segunda-feira, Janeiro 25, 2010 ALGÉS … “Penso estar a ocupar um lugar onde poderei de forma mais incisiva continuar a defender a minha Rua, o meu Bairro, a minha Freguesia, o meu Concelho“ em sequência da sua tomada de posse como membro da Assembleia de Freguesia.

Conforme já tenho dito e escrito e apesar de sentir que existe muita coisa a corrigir e a melhorar, tomo a liberdade de sugerir que se empenhem, desde já, em sensibilizar as forças de segurança – PSP e Policia Municipal – no sentido de estas intervirem junto dos cidadãos desatentos (moradores e visitantes) para uma correcta apropriação do espaço público. Na verdade, principalmente a baixa de Algés é um imenso e desordenado parque de mau estacionamento podendo colocar em grave risco os seus moradores em caso de um incêndio, por exemplo.

Não há muito estacionamento – é verdade – mas a necessidade (???) de terem o carro estacionado mesmo à porta do local onde vão estar, comprar… e muitas vezes são jeeps, carrinhas, cria grande problemas de mobilidade. Às vezes os transportes públicos podiam ajudar e as nossas pernas poderiam ser usadas para fazer a aproximação entre o carro e o local onde nos dirigimos.
Não é multar: é exercer a disciplina e a autoridade para tornar os cidadãos adultos responsáveis.

2 – Não gostei de ler, na informação afixada nas vitrinas sobre o que se passou na Assembleia de Freguesia de 21, que foram eleitas a Sra. Augusta e a Sra. Ana para os cargos que estavam vagos. Penso deselegante não tratar as eleitas por Sra. D. Augusta e Sra. D. Ana.
Esta prática de informar a população do resultado da reunião é louvável, mas depois…

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ALGÉS


Tomei posse no passado dia 21 como membro da assembleia de freguesia de Algés pelo PSD na sequência da renúncia de um dos eleitos cuja tinha sido anunciada nos dias seguintes às eleições autárquicas.


Penso estar a ocupar um lugar onde poderei de forma mais incisiva continuar a defender a minha Rua, o meu Bairro, a minha Freguesia, o meu Concelho.

Tenho agora (sem esquecer o nosso OL), um espaço onde poderei criticar, elogiar ou colaborar nas iniciativas que afectem a minha freguesia.


Participei na última assembleia. Já tinha acompanhado as 2 anteriores. Temos um executivo integralmente do movimento IOMAF. E assim deve ser. Ganharam as eleições, devem conduzir os destinos da freguesia e daqui a 4 anos serem julgados por isso.


Noto no novo executivo algum nervosismo talvez por inexperiência e até algum desconhecimento de alguns assuntos ou dossier relacionado com a freguesia. Será normal num início de funções mas vamos esperar que rapidamente se adaptem porque vão ter muito trabalho pela frente face aos problemas que continuam em Algés.


A maioria dos problemas estão identificados, faltam as soluções a propor que serão devidamente escrutinadas na assembleia.


Face à qualidade das intervenções do meu próprio grupo e dos meus colegas membros das outras forças políticas, prevejo umas assembleias animadas e uma exigência redobrada ao Executivo.


Tenho apreciado a postura do Presidente, Sr Joaquim Ribeiro, humilde e bom ouvinte. Não tem o dom da palavra mas também não é essencial se moderar um pouco a tentativa de justificar o injustificável quando não se têm argumentos ou conhecimento profundo dos assuntos.


Essencial será que rapidamente faça o reconhecimento da freguesia, o levantamento das suas carências e expectativas dos Algesinos, que proponha a resolução dos problemas, que ouça as propostas dos eleitos das outras forças políticas e que passe à acção.


Os constrangimentos a algum tipo de investimento em Algés que nunca foram prioritários por motivos políticos (retaliatórios?) estão agora resolvidos, pelo que a exigência dos Algesinos e seus eleitos será maior.


Bom trabalho e conte com a nossa colaboração e crítica responsável.


Para bem de Algés!

FRANCISCO SIMÕES na Galeria Diário de Notícias

esculturas/desenhos/cerâmicas

Entrada Livre de 15 de Janeiro a 13 de Fevereiro


Horários: Seg a Sex: 11h-20h, Sáb: 15h-20h



Endereço: Av. da Liberdade, 266
Telefone: 213 187 500
E-Mail: galeriadn@dn.pt
Acessos: Metro: Marquês de Pombal

Gripe A - Responsável europeu denuncia falsa pandemia

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa encara a gripe A como uma falsa pandemia e diz que este é um dos maiores escândalos médicos do século.

(TSF) (aqui)

Um dia dos diabos

Opinião







JN 00h30m

Nos bancos há um centro nervoso onde tudo se decide. Chamam-lhe o Trading Room. É um mundo de ecrãs de plasma com colunas de números abstractos em páginas de Excel onde nunca se fala de milhões.

Está tudo em poucos dígitos meticulosamente metidos em rectângulos. Três casas à esquerda do ponto decimal vão das unidades às centenas. Do outro lado, há décimas, centésimas e milésimas. Abstractos os números, concretos os valores. São milhares de milhões. Por vezes são milhões de milhões.

Operadores com um clique do rato fazem ajustamentos nas variações que vão surgindo, induzidas por murmúrios digitais que chegam de Nova Iorque a Moscovo. Raramente há pânico no Trading Room. Está (quase) tudo previsto. Há paramentos hirtos e muito pouco lugar para criatividades. Um clique numa coluna eleva alguns milésimos os dígitos que, quase à velocidade da luz, aparecem fardados de centavos de Euro nas facturas de uma qualquer parcela mensal de empréstimo e quase nem se notam. Afinal, já se sabia que o spread era variável e que do spread sai tudo. Dos custos do banco aos lucros.

Normalmente as coisas acontecem com a banalidade de um monótono jogo de vídeo online. Muito, muito, gradualmente. Mas quinta-feira 14, deste mês, foi um dia dos diabos. Houve pânico. Os sinais vieram de Hong Kong a Singapura a partir das oito da manhã. Diziam que o negócio da compra e venda de dinheiro estava a correr mal. Os fornecedores habituais estavam a subir o preço da mercadoria. Muito. Mesmo para estes dias de crise. Cliques frenéticos do rato já não conseguiam equilibrar os rectângulos Excel com toques nas milésimas. Vieram supervisores mexer nas casas à esquerda dos pontos decimais. Alteraram as dezenas dos dígitos a ver se tudo ficava na mesma. Ficou num segundo. No segundo seguinte, ficou tudo desequilibrado outra vez. "As CDS estão a disparar". "124,365 tenho aqui na melhor oferta". E continuaram por aí fora saltando dezenas de pontos. De 80 na semana passada para mais de 140 hoje. E as prestações de milhares de pessoas começaram a subir. Janeiro vai ser um mês dos diabos para os rendimentos a recibo verde contados em salários mínimos onde o clique dos ratos não equilibra contas. 14 de Janeiro de 2010. Início do pânico: começaram as negociações para o Orçamento do Estado. Inconclusivas, inadequadas, insuficientes. As empresas estrangeiras, cujo negócio é avaliar riscos para o mercado que fixa com uma mão invisível as Credit Default Swaps, estiveram atentas ao que a Reuters e a CNBC foram relatando em várias línguas: em Lisboa gasta-se muito e paga-se mal. De Berlim ao Dubai há cliques nos rectângulos das linhas onde se lê "Portugal" e onde hoje há números quase iguais aos da Irlanda que amanhã serão parecidos com os da Grécia. E que dizem que este vai ser mesmo um ano dos diabos.

O "terramoto experimental"

Opinião






JN 00h30m


Felizmente há sempre algures um ministério para esclarecer o povo.

No caso do terramoto que devastou o Haiti, o esclarecimento vem do sempre atento Ministério do Poder Popular para a Comunicação e a Informação do Governo Bolivariano da Venezuela que, no seu "site" oficial (www.vive.gob.ve/inf_art.php?id_not=15464&id_s=3), explica tintim por tintim ao Mundo que o sismo foi causado... pelos Estados Unidos.

Os EUA estão a testar uma arma diabólica, o HAARP, que desencadeia terramotos (e furacões, secas e inundações) usando "radiofrequências", "bombas de ondas de choque" e tecnologias misteriosas como "Pulso, Plasma y Sónico Electromagnético Tesla" (em espanhol bolivariano a coisa é ainda mais assustadora).

O objectivo é um plano maquiavélico de destruição do Irão "através de uma série de terramotos que derrubem o regime islâmico".

Já o sismo de Maio de 2008 em Sichuan, na China, foi também um "terramoto experimental" dos EUA. O Ministério de Chavez não o diz expressamente, mas não custa a crer que os EUA também não sejam alheios ao terramoto que na semana passada abalou o balneário do Sporting.

domingo, 24 de janeiro de 2010

PORTUGAL NO TIMESONLINE

Costa Vicentina: the real Algarve

From The Times January 23, 2010

Skip the golf - the awe-inspiring beaches, cliffs, pine forests and rivers of Costa Vicentina are well above par

Praia do Amado, Algarve

Também em Topics from 192 countries onde sou colaboradora convidada

Passos Coelho. Provavelmente, o único candidato no PSD

http://pauloquerido.pt/politica/passos-coelho-provavelmente-o-unico-candidato-no-psd/

sábado, 23 de janeiro de 2010

Orçamento do Estado


Feito pelos três actores principais da nossa vida política, recatadamente no sossego do lar.
Para gáudio destes "queriduchos" somos meros espectadores, votantes de 4 em 4 anos, e de preferência com o bom senso da estupidez.
Até quando?

Escolas - Bristol / Reino Unido

Exceptuando o "pequeno" pormenor de mau gosto, - "língua grosseira" - não poderia estar mais de acordo com o artigo.

Clique na imagem para apliar

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Divisão no PS dá vitória a Cavaco

CM 22 Janeiro 2010 - 00h30

Sondagem: Cavaco reúne 60,3% das intenções de voto contra 39,7% de Alegre


Se as eleições presidenciais fossem hoje, Cavaco Silva venceria a corrida a Belém sem margem para dúvidas. Manuel Alegre ficaria a mais de vinte pontos percentuais de distância e a sua candidatura parece dividir não só o partido mas também o próprio eleitorado do PS e da CDU.


De acordo com uma sondagem CM/Aximage, o actual Chefe de Estado reúne 60,3% das intenções de voto, enquanto Alegre não ultrapassa os 39,7%. Isto significa que se as eleições fossem hoje Cavaco seria reeleito com mais 20,6 pontos percentuais que o candidato à esquerda. (...)

Manuel Alegre, capítulo dois

Opinião








Ontem


Todos fingiram surpresa quando Manuel Alegre anunciou a intenção de voltar a candidatar-se a Belém. Como se o homem, fiel a uma estratégia tão previsível que até irrita, não tivesse já emitido mil e um sinais de que era essa a sua vontade.

A candidatura é "irreversível", diz-se. Não se entende como poderia ser reversível. Em política, ninguém põe o dedo no ar - muito menos Alegre! - para mais tarde argumentar que o fez por sofrer de problemas de articulações. Articulações - ora aí está a palavra adequada. Como vai ele articular a candidatura com a sua putativa base de apoio, se ao anunciá-la o que fez foi condicionar o partido em que milita?

Sabia de antemão que seria esse o efeito, dir-se-á. E que é precisamente o que lhe convém, porque resultou em 2006. É esquecer que, desta vez, Manuel Alegre não quer apenas a "vitória moral" de superar o candidato oficial do PS; ambiciona mesmo suceder a Cavaco Silva. Ora esse objectivo só pode ser alcançado se a candidatura ganhar em transversalidade o que perder em "acantonamento". Dito de outra forma: é pouco provável que consiga ser eleito, se se apresentar como "ponta-de-lança" da "verdadeira" Esquerda (nisso, António Vitorino tem razão).

O alargamento do campo eleitoral num sentido, digamos assim, mais "abrangente" não se compagina com o perfil político que Alegre tem vindo a fabricar, nos últimos anos. Muito menos com o apressado apoio do Bloco de Esquerda, inebriado pela oportunidade de ouro de "entalar" o PS. Um apoio tão apressado que pode converter-se em teste à unidade de um partido com múltiplas raízes. Não é um dado adquirido que, no interior do Bloco, o nome de Alegre seja consensual.

Em jeito de desafio aos comunistas para que engulam de novo um sapo - como em 1986, quando acabaram a votar no "odiado" Mário Soares -, Alegre lembrou que "nunca a Esquerda perdeu umas eleições presidenciais por causa do PCP". Salta à vista que empreende uma estratégia "de fora para dentro", privilegiando a multiplicação de apoios externos para forçar quem decide (Sócrates, claro) a carimbar-lhe o passaporte.

A ver vamos se o consegue. E se obtém novos apoios no interior do partido, porque os que até agora recolheu valem o que valem. Valem desconforto à direcção que, sem carta alternativa para jogar, se limita a dizer o óbvio: que a seu tempo tratará do dossiê presidenciais.

Arrendamento Jovem e as dificuldades de fixação dos jovens no Concelho

Como oportunamente divulgado no OL realizou-se no passado sábado dia 16 de Janeiro no Palácio Ribamar em Algés uma iniciativa sob o tema: Arrendamento Jovem e as dificuldades à fixação dos jovens no Concelho. Esta iniciativa contou com a intervenção de Ivo Gonçalves, um jovem de Algés de quem partiu a ideia para o tema do debate e de Ana Oliveira que foi apresentando e coordenando as várias intervenções.


Carlos Coutinho, eleito do PCP na Assembleia de Freguesia de Algés, detalhou a visão de um Município onde há informação e propaganda nas questões da habitação para jovens, mas onde o orçamento previsto para fazer face a esta questão é irrisório face a investimentos noutras ” prioridades” como a construção de bancadas no Estádio Municipal de Oeiras conforme consta do site da CMO.


Rita Rato, deputada do PCP na Assembleia da República lembrou que o direito a uma habitação condigna é um direito inscrito na Constituição da República Portuguesa, mas a verdade é que os sucessivos governos não têm resolvido este problema e hoje, com o programa de arrendamento jovem, (o Porta 65) é ainda mais difícil para os jovens arrendar casa.


Realmente a CMO tem mais de uma dúzia de projectos para converter prédios degradados nos Centros das várias Freguesias, em fogos para jovens (Oeiras, Paço de Arcos, Carnaxide, Barcarena, Dafundo e Leião) mas tarda a sua rápida concretização. Falou-se dos problemas referentes

- à urgência de uma política de rendas controladas acessíveis ao Jovens que estão a iniciar a sua Vida;

- ao realojamento de pessoas que ainda vivem nestes prédios degradados;

- aos valores que terão de ser gastos – muitas vezes a reabilitação é mais cara do que a construção de raiz;

- às razões porque se tem deixado degradar as habitações;

- à desertificação dos Centros Históricos;

- aos mais de três mil pedidos de casas registados nos Serviços da Câmara;

- ao número assustador de prédios vazios não só degradados como acabados de construir;

- à necessidade de Algés dispor de um gabinete técnico para fazer o levantamento do edificado;

- à falta de empregos estáveis, falta de perspectivas para todos e em especial para os jovens…


As várias intervenções por parte das mais de 40 pessoas (principalmente jovens) que assistiram ao debate, foram no sentido de reforçar a necessidade de multiplicar iniciativas deste género para se começar a enunciar e registar os problemas concretos com que os jovens se deparam nas várias Freguesias do Concelho e se partir para propostas que visem perspectivas de fixação dos Jovens não só na nossa Freguesia de Algés mas no Município de Oeiras.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Memórias de Linda-a-Velha


MEMÓRIAS DE LINDA-A-VELHA é um livro de Joaquim Fernandes que nos surpreende com as suas "estórias".
Copyright: Pena Longa Editores.
Capa: Pedro Magalhães - Designer de Comunicação
ISBN: 978-989-96547-0-9
Depósito Legal: 303675/09

À venda nas livrarias e por envio à cobrança penalongaeditores@yahoo.com

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Futuro incerto para os hospitais de Egas Moniz, São Francisco Xavier e Santa Cruz

Jornal Público – Secção Local – 20 de Janeiro de 2010
Ana Rita Faria

"O Ministério da Saúde está à procura de um terreno de nove hectares para mudar de localização o actual Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, composto por três unidades diferentes."


São Francisco Xavier

Uma História Verdadeira – aconteceu na 2ª feira dia 18. Na semana anterior tinha caído e batido com o ombro direito; as dores não estavam a passar apesar da medicação que tinha iniciado face aos problemas que tenho com este ombro. Por isso resolvi rumar ao Hospital São Francisco Xavier.

Expliquei ao que ia. Fizeram perguntas, anotaram as minhas respostas e colocaram uma pulseira verde no pulso – pouco grave / Ortopedia - e mandaram esperar na sala. Depois fui chamada para fazer um RX. Voltei à sala.

Depois fui de novo chamada ao gabinete de Ortopedia. Realmente tinha havido um traumatismo, uma luxação por isso a grande negra que estava a meio do braço e a razão das dificuldades de mexer o braço. Mas nada partido nem rachado. Disseram para manter a medicação que estava a fazer acrescentando mais um medicamento. Ajustaram os dias de medicação, deram-me conselhos como devo actuar com este braço até que as coisas vão ao seu lugar.

Ia cheia de medo e voltei muito calma. E isto tudo não demorou duas horas. Sem atropelos. Talvez tenha ido num dia de perfeita harmonia.

Hoje ao ler a noticia acima fiquei amedrontada: uma coisa a funcionar bem que, para ser melhor se calhar precisa de mais pessoal e de actualizar equipamentos e vai ser deitada abaixo para enfiarem os serviços de TRÊS hospitais num só? Há certamente qualquer coisa que me escapa.

COELHO JÁ CASOU COM O PSD

PEDRO NUNES CHEIO DE RAZÃO

Eles pensam que somos parvos!



Manuel Alegre resolveu candidatar-se novamente às eleições presidenciais.

Perceberam agora porque ele nunca saiu do PS e nunca hostilizou sinceramente o sr. Sousa? Pois é, precisa dele e dos votitos do partidinho.

Mas sr. Poeta Alegre, o rico acha que nós não temos memória?


Marques Mendes desafiado a avançar para a liderança do PSD

Política

por Adriano Nobre , Publicado em 18 de Janeiro de 2010

Antigo líder social-democrata é apontado como terceira via em face das opções Passos Coelho e Aguiar-Branco. Congresso pode ser decisivo

Escolas públicas: alunos com mais de 10 anos vão ter multibanco

Educação

por Ana Rita Guerra, Publicado em 20 de Janeiro de 2010

Cartões vão funcionar em rede fechada e não dão para levantar dinheiro. Sistema avança em 2010

ionline

Portugal - www.webrails.tv - ramal da Lousã - Largo da Portagem

... o ramal da Lousã encerrou no início de 2010 para dar lugar a uma nova mobilidade em Coimbra, e entre esta cidade e os concelhos de Miranda do Corvo e Lousã. O metro ligeiro de superfície.

Uma das partes mais emblemáticas do ramal da Lousã era a travessia da cidade de Coimbra às primeiras horas da manhã, entre as Estações de Parque e Coimbra. Em serviço comercial até Coimbra B.

(Enviado pelo nosso leitor Rui Ribeiro)

Cartão universitário para iniciados

Cartão universitário para iniciados

O Tempo em Oeiras é Mais à Frente

Desapareceram uns grauzitos da temperatura de Oeiras... Será que foram colocados na Suíça, onde habitualmente faz muito mais frio? Brrrrr.


Cinema no OL


REPOSIÇÃO DE UM CLÁSSICO

CICLO DE CINEMA OEIRAS VIVA

Num cinema perto da CMO

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Os Advogados do Diabo

Gastos em Comunicação

Clique na imagem para ampliar

Via Jornal de Oeiras desta data

Freguesias



Clique nas imagens para ampliar

Com os nossos agradecimentos ao Jornal de Oeiras desta data

Pedido de Ajuda II (ele ainda anda aí!!!)

Pedro Santana Lopes estava à espera de ser agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo mas saiu-lhe uma carica de Sumol de ananás presa por uma fita amarela e preta que a EMEL usa para enfaixar os carros.

Apoio ao Emprego

Ministério reconhece que medidas excepcionais ficaram longe dos objectivos (TSF)

O Ministério do Trabalho reconhece que as medidas excepcionais de apoio ao emprego, postas em prática em 2009, foram pouco eficazes. Estas medidas deviam ter criado mais de 66 mil novos postos de trabalho, mas ficaram-se pelos 43 mil, de acordo com um relatório divulgado pela tutela. (aqui)

Bilhetes de Oeiras, 2010 (4)

Consta que na CMO há um novo adjunto. Trata-se de um ex-autarca CDU da margem sul do Tejo.

Câmara de Oeiras disponível para ceder terreno para novo hospital

13:36

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, disse hoje à agência Lusa que "se o Governo quiser um hospital" no município, basta "falar" com a autarquia para que esta "disponibilize" o terreno.

(aqui)

Controlo de custos educativos | FLISCORNO

Controlo de custos educativos FLISCORNO

Promessa

Eu juro que se for líder não mostro a tatuagem!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O Saneamento de Marcelo

por Maria Filomena Mónica
Publicado em 13 de Janeiro de 2010


Tenho um único hobby na vida, discutir o serviço público de televisão com o António Pedro Vasconcelos. No último fim-de-semana, não falhámos. Durante horas, debaixo da sombra tutelar de um amigo que morreu há já cinco anos, continuámos a conversa sobre as vantagens e desvantagens das televisões públicas e privadas. Educada pela BBC, sempre defendi o serviço público, ou antes, o que existia em Inglaterra durante os anos 1960 e 1970. Com a passagem do tempo, a minha posição (não a dele) foi-se alterando, ou melhor, alternando ao sabor das programações.

No ano passado, deixei pura e simplesmente de ligar a televisão, dedicando o tempo livre, a consumir DVD produzidos pelo canal americano HBO. Depois de, em 1974, ter esperado que a televisão contribuísse para melhorar o meu país, tendo até aceite o convite do Vasco Pulido Valente, para fazer um documentário, "Nados e Criados Desiguais", e de, mais tarde, ter dedicado mais de dois anos da minha vida a escrever, para "O Jornal" e para "O Independente", crítica de televisão, considerei o meu esforço inútil. Arrumei o aparelho a um canto e nunca mais o abri, com uma excepção, o programa dominical de Marcelo Rebelo de Sousa, de que sou uma telespectadora fanática. Desde há cinco anos que eu, que jamais deglutira uma refeição diante de um aparelho de televisão, janto um croissant acompanhado a vodka, enquanto ouço as suas "escolhas" dominicais. Nunca falhei, nem sequer quando incompreensivelmente o futebol alterou o seu horário.

Marcelo é um génio, um dos poucos de que a nação se pode gabar, até porque consegue conciliar, numa só pessoa, as três funções que Lord Reith atribuiu, ao criá-la, à BBC: educar, informar e entreter. Alguns dos meus amigos, imagino que por ciúmes, tentaram, em inúmeras ocasiões, convencer-me de ser ele um homem irresponsável, traidor, maldoso, cruel, pernicioso, sinistro, masoquista, covarde, egocêntrico, sádico e infantil. Nada disto me influenciou. Gosto de o ouvir, ponto, parágrafo.

Não é a altura para aprofundar o que se está a passar, até porque ainda não sabemos o desfecho. Mas já podemos perceber que se trata de uma vingança do eng. Sócrates, o qual terá arranjado, dentro do PSD, uma fila de aliados.

Marcelo não é amado dentro do seu partido, o que só lhe fica bem. Isto não me espanta, o que o faz é a passividade de um povo que aceita que uma instituição tão idiota quanto a Entidade Reguladora para a Comunicação Social - a ERC - meta o bedelho, a coberto de regras absurdas, no quotidiano televisivo. Lá porque o dr. António Vitorino decidiu ir ganhar dinheiro para um famoso escritório de advogados - o seu direito - temos de ficar privados de ouvir, ao domingo, o prof. doutor Marcelo Rebelo de Sousa? O facto é tanto mais escandaloso quanto o seu programa é um sucesso de audiências.

Por que motivo a direcção da RTP não dá um coice nas quotas que a ERC criou? Se a RTP cancelar o programa do Marcelo, apelo à desobediência civil, sugerindo aos meus conterrâneos que deixem de pagar a licença que permite à instituição subsistir. O que está em risco - não tenham dúvidas - é a liberdade de expressão. Se posso escrever este artigo é porque sei que o governo não me pode tocar com um dedo e, mesmo que pudesse, digo-o sem vaidade, publicá-lo-ia na mesma. Porque não tenho alma de escrava.

Se a RTP quer ter, à força, um Marcelo de esquerda, que o arranje. Dirão que a esquerda não tem alguém com o calibre de Marcelo. Mas será que, da esquerda, desapareceram as cabeças pensantes? Como se imagina, não é nada disto que sucede. Depois da TVI ter feito o mesmo, o que, forçada pela ERC, a RTP deseja é libertar-se de uma voz incómoda. Se, após ter varrido as despensas do PS, a RTP não conseguir encontrar ninguém, ofereço-me para lhe resolver o problema. Uma coisa é certa: o Marcelo Rebelo de Sousa tem de ficar.

Socióloga e investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Algés – 2010 – 5

E os buracos?


Neste blogue foi colocada em 14 do corrente, a noticia do Jornal Público "Red Bull Air Race: Oeiras vai construir pista de aterragem de 100 mil euros em Algés"

“Vamos construir uma pista de aterragem de 500 metros por 20 com cinco centímetros de espessura de alcatrão, bem como as aerogares, num investimento estimado de 100 mil euros e suportado integralmente pela Câmara de Oeiras”, disse à Lusa o vice-presidente daquele município, Paulo Vistas….”

Entretanto, os buracos em Algés (e certamente por todo o Município) crescem como estes exemplos,




mais na Rua Ernesto da Silva as pedras soltas no passeio nº. 35 e no asfalto junto ao 57, para não repetir o que foi falado por alguns fregueses na última reunião pública da Junta de Freguesia do estado do pavimento da Rua Damião de Góis. E haverá muitos mais por aí espalhados.

Claro que manter as ruas e passeios em bom estado não dá para inaugurações. Agora uma pista com 5 cm de espessura é Noticia!



Já cortaram!


Nem tudo são más noticias. Foram cortadas as ramadas que impossibilitavam a passagem nos passeios que circundam a Escola de Miraflores conforme 2009 – Algés 42 de 17 de Dezembro de 2009.



Continua um silêncio:


Qual é, qual será o programa de reposição das árvores que andaram e andam a cortar? Vamos ficar muito tempo carecas?




Ou em árvores brotarão frondosas?





Pensamento: E como disse António Correia de Oliveira no seu poema “Pela Pátria” …. Vai-as plantando à beira do caminho.

"MUDAR"


Pedro Passos Coelho


Está a aproximar-se o dia do lançamento do meu livro "Mudar". Vai ser já na próxima quinta feira, dia 21, às 18 horas, no Salão Almada Negreiros da Gare Marítima da Rocha, em Lisboa. Gostava que todos quantos possam, venham participar no início deste processo que vai mudar Portugal. Tenho, portanto, muito gosto em conv...idar todos e cada um a participarem pessoalmente na cerimónia de lançamento em Lisboa. Quem estiver a Norte do País, informo que vai haver uma cerimónia de lançamento do livro no Porto, na quarta-feira, dia 27. Informarei dos detalhes logo após o lançamento de Lisboa. Conto consigo!

Despilfarro

Opinião






JN 00h26m

A Oposição pode sentar-se à mesa das negociações, até pode ter direito a prato e a talheres, mas não pode servir-se. Chama-se a isto negociar com aspas



1O Governo anunciou, com a solenidade dos grandes momentos, que iria abrir um período de negociações com todos os partidos de oposição, no sentido de ouvir opiniões e concertar posições, para que fosse possível desenhar um Orçamento de Estado capaz de passar na Assembleia da República.

Tal como se previa, foi junto do centro-direita que se encontrou o espaço natural de negociação - não foi à toa que se inventou a expressão bloco central, aqui e ali complementada com a ambígua expressão "de interesses".

Mas os partidos têm de aceitar uma condição essencial: a Oposição, neste caso o PSD e o CDS-PP, não pode andar por aí a reivindicar propostas que aumentem a despesa ou diminuam a receita. Como diz Teixeira dos Santos, em tom de ameaça, se insistirem em apresentar propostas diferentes das do Governo, vai ser preciso aumentar impostos aos portugueses.

Ou seja, a Oposição pode sentar-se à mesa das negociações, até pode ter direito a prato e a talheres, mas não pode servir-se. Chama-se a isto negociar com aspas.

2. A mudança de uma corrida de aviões, do Douro para o Tejo, gerou uma onda de inquietação. Ouviram-se e leram-se alguns excessos, amplificando um evento com menos importância do que a que lhe decidiram atribuir. Mas também se ouviram alguns alertas razoáveis ao apetite centralista, que açambarca tudo o que apareça na rede, incluindo peixe fora de prazo.

Verifica-se agora que, tal como a Red Bull Air Race, também o histerismo em volta da prova se transferiu do Porto para Lisboa. A vontade de ouvir roncar os motores sobre o estuário do Tejo é tanta que se abriram os cordões à bolsa pública com uma generosidade nunca antes vista.

Os milhões que a organização da prova antes tinha de batalhar junto de patrocinadores privados ficam generosamente garantidos à partida por entidades públicas. Ou seja, as fabulosas máquinas voadoras vão consumir "gasóleo" pago com o dinheiro dos contribuintes.

Os espanhóis têm uma palavra com uma sonoridade interessante para descrever este esbanjamento compulsivo: despilfarro.

Outra vez não

Opinião






JN 00h25m

A compra da TVI e agora o caso de Marcelo Rebelo de Sousa mostram que afinal Manuela Ferreira tinha toda a razão. Quando a líder do PSD o denunciou, estávamos de facto a viver um processo de "asfixia democrática" com este socialismo que José Sócrates reinventa constantemente. Hoje o garrote apertou-se muito mais. Ridicularizámos Ferreira Leite pelos avisos desconfortáveis e inconvenientes. No estado de torpor em que caímos provavelmente reagiríamos com idêntica abulia ao discurso da Cortina de Ferro de Winston Churchill quando o mundo foi alertado para a ameaça do totalitarismo soviético que ninguém queria ver. Hoje, quando se compram estações para silenciar noticiários e se afastam comentadores influentes e incómodos da TV do Estado, chegou a altura de constatar que isto já nem sequer é o princípio do fim da liberdade. É mesmo o fim da liberdade que foi desfigurada e exige que se lute por ela. O regime já não sente necessidade de ter tacto nas suas práticas censórias. Não se preocupa sequer em assegurar uma margem de recuo nos absurdos que pratica com a sua gestão directa de conteúdos mediáticos. Actua com a brutalidade de qualquer Pavlovitch Beria, Joseff Goebbels ou António Ferro. Se este regime não tem o SNI ou o Secretariado Nacional de Propaganda, criou a ERC e continua com a RTP, dominadas por pessoas capazes de ler os mais subtis desejos do poder e a aplicá-los do modo mais servil. Sejam eles deixar que as delongas processuais nas investigações dos comportamentos da TVI e da ONGOING se espraiem pelos oceanos sufocantes do torpor burocrático, seja a lavrar doutrina pioneira sobre a significância semiótica do "gestalt" de jornalistas de televisão que se atrevam a ser críticos do regime, seja a criar todas as condições para a prática de censura no comentário político, como é o caso Marcelo Rebelo de Sousa. Desta vez, foi muito mais grave do que o que lhe aconteceu na TVI com Pais do Amaral. Na altura o Professor Marcelo saiu pelo seu pé quando achou intolerável um reparo sobre os conteúdos dos seus comentários. Agora, com o característico voluntarismo do regime de Sócrates, foi despedido pelo conteúdo desses comentários. Nesta fase já não é exagerado falar-se da "deriva totalitária" que Manuela Ferreira Leite detectou. É um dever denunciá-la e lutar contra ela. O regime de Sócrates, incapaz de lidar com as realidades que criou, vai continuar a tentar manipulá-las com as suas "novilínguas" e esmagando todo o "duplipensar" como Orwell descreve no "1984". Está já entre nós a asfixia democrática e a deriva totalitária. Na DREN, na RTP, na ERC, na TVI e noutros sítios. Como disse Sir Winston no discurso da Cortina de Ferro: "We surely, ladies and gentlemen, I put it to you, surely, we must not let it happen again", o que quer apenas dizer: outra vez não.

domingo, 17 de janeiro de 2010

sábado, 16 de janeiro de 2010

Da caixa de comentários

Anónimo deixou um comentário em "A Orquestra"

No site do PS de Oeiras:

PS denuncia fraude política do PSD em Oeiras e exige explicações a Ferreira Leite

Na sequência da recente tomada de posição de um Vereador do PSD de assumir pelouros no executivo presidido por Isaltino Morais, para o PS de Oeiras ficou mais clara a relação promíscua e indigna do PSD com este autarca.

Depois do cruzamento de listas entre o PSD e o IOMAF (movimento de cidadãos liderado pelo Dr. Isaltino Morais) durante a campanha autárquica, que basearam e constituíram uma das mais escandalosas fraudes políticas nas eleições locais de 2009, o PSD de Oeiras vem legitimar, com a opção de um dos seus vereadores, a confiança política num autarca condenado pela Justiça por actos alegadamente cometidos no exercício de funções autárquicas.

Bastará ouvir a Dra. Isabel Meirelles, candidata e cabeça de lista do PSD nas últimas autárquicas em Oeiras, dizer que o PSD está “vendido” (Público, pág. 25 de 14 de Janeiro) ao Dr. Isaltino Morais para perceber que a estrutura local daquele Partido entrou em falência de valores e credibilidade e se tornou um mero instrumento acrítico de vassalagem e controlo de poder ao serviço do Dr. Isaltino Morais.

Para o Partido Socialista de Oeiras e, certamente, para todo o país, o silêncio da Direcção Nacional do PSD, presidida pela Dra. Manuela Ferreira Leite, perante estes factos é ensurdecedor e inaceitável. A bem da verdade e da qualidade da Democracia importaria saber afinal se o PSD Nacional concorda com as candidaturas e o desempenho de funções por autarcas condenados pelo exercício das suas funções ou se, pelo contrário, as aceita e até apoia de forma inequívoca com a partilha de responsabilidades executivas conforme se pode constatar em Oeiras.

Oeiras, 15 de Janeiro de 2010

Marcos Sá
Presidente da Comissão Política do PS Oeiras


Publicada por Anónimo em OEIRAS LOCAL a 16 de Janeiro de 2010 22:12

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Eles têm a solução

Opinião







JN 00h23m

O ex-presidente da Associação Portuguesa de Bancos pediu para ser recebido em Belém onde foi levar a solução que a brigada bancária de minas e armadilhas tem para a tal "situação explosiva".

Para pagar a factura económica dos milhões dos contribuintes que o Estado meteu nas mãos da banca tentando apagar o fogo que ela, banca (e as agências de "rating" que agora dão conselhos aos governos para superar a "crise") atearam, a solução da banca é a de sempre: trabalhadores e classe média que paguem. Também o governador do Banco de Portugal, cuja desregulação permitiu entre nós situações como a do BPN e BPP, tirou ontem o coelho de sempre da pouco imaginativa cartola, o da contenção salarial. Obviamente, nem a Salgueiro nem a Constâncio ocorreram as escandalosas taxas de IRC que a banca continua a pagar, os prémios não menos escandalosos que os banqueiros continuam a atribuir-se ou a tributação das mais-valias da especulação bolsista e imobiliária. Diz despudoradamente Salgueiro que os governos "deram menos aos portugueses do que estes gostariam". É fácil imaginar de que portugueses fala.

Encontro

Palácio Ribamar – Algés – 16 de Janeiro 2010 – 15h30



Arrendamento Jovem e as dificuldades de fixação dos jovens no Concelho



Iniciativa da JCP com a participação de Rita Rato, deputada do PCP na Assembleia da República e de Carlos Coutinho eleito do PCP na Assembleia de Freguesia de Algés



Era bom que viessem.

Santana Lopes defende que não há condições para realizar corrida Red Bull e pede responsabilidades

Líder da oposição na Câmara de Lisboa acusa presidente da autarquia de ter prestado falsas declarações

O líder da oposição na Câmara de Lisboa, o social-democrata Pedro Santana Lopes, defendeu ontem não haver condições para realizar a corrida aérea Red Bull em Lisboa em Setembro próximo e exigiu que o presidente da autarquia lisboeta, António Costa, assuma as suas responsabilidades em todo o processo.
Leia mais aqui

Portugal actualizado - novamente

Portugal actualizado - novamente

A Orquestra

Orquestra Ligeira de Oeiras

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O mar está flat, Xanoca?

O post anterior era, obviamente, uma brincadeira... Só se pode perder aquilo que existe.

Pedido de Ajuda

Aimer d'amour



Clique nas imagens para ampliar

Confusão

Lemos hoje o Local do Jornal Público e as várias opiniões nos blogues. Lembrámo-nos dos versos de Carlos Drumond de Andrade:



Quadrilha de Carlos Drumond e Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou pra tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.


e, inspirados em vários nomes e inventados outros fizemos esta “bela confusão”.



Confusão perto de Lisboa


Armando amava Helena que amava Pedro

que amava Paula que amava Ricardo que amava Joana

que não amava ninguém.

Armando foi para o parque, Helena está calada

Pedro está a pensar, Paula foi almoçar

Ricardo vai trabalhar e Joana? Se calhar está à espera

de um noivo que não faça parte desta história.



Às vezes é melhor brincar para não chorar.

Não se marque já o funeral...

Opinião







JN 00h31m

Anda por aí muito comentador encartado a passar certidões de óbito ao PSD, por tardar a reencontrar-se consigo próprio. Marcar o funeral com o corpo ainda quente parece, no mínimo, pouco avisado, tratando-se de um gato de sete vidas, mesmo acossado pelo "socratismo" que, embora na mó de cima, também já teve mais saúde.

Se a memória for convocada para o debate, relativizar-se-á o coma político que tantos diagnosticam. O PSD sofreu mil e um golpes na sua história e sobreviveu sempre. Só em 1979, viu partir mais de metade do grupo parlamentar, incluindo um ex-presidente (Sousa Franco) e um futuro (Rui Machete), discordantes do ataque ao Governo Mota Pinto, dissidente do partido que também seria, mais tarde, recebido como filho pródigo e alcandorado a líder. Por efeito desse episódio, o PSD encostou-se mais à Direita do que o seu código genético indiciaria. Não precisou, contudo, de recolher aos cuidados intensivos para recuperar. Logo em finais de 1979, como partido hegemónico da AD, chegaria pela primeira vez ao poder.

Esta incursão histórica, se não elide a crise que o PSD atravessa, recomenda pelo menos cautelas quanto à apreciação do seu fôlego enquanto alternativa política, mais a mais num cenário de maioria relativa.

O actual problema do PSD não é um, são três. O primeiro é, digamos assim, estrutural. Trata-se do "pecado original" da indefinição ideológica, porventura útil quando governa, mas que o vulnerabiliza na Oposição. O segundo prende-se com a "orfandade" em que ainda vive. "Matou" seis líderes desde que Cavaco Silva fez as malas e prepara as exéquias do sétimo. Nada que não tenha acontecido ao PS no período pós-Soares. Quem sucede a um grande líder político fica sempre fragilizado por essa condição, quanto mais não seja por se expor a comparações. Marcello Caetano, se fosse vivo, explicá-lo-ia.

Estes dois factores, conjugados, produzem o terceiro. Não sabendo bem "quem é" (até porque o PS lhe tem ocupado o território natural) e carente de líder forte, o PSD tende a balcanizar-se. O impulso é tanto mais forte quanto mais longínqua for a perspectiva de regresso ao poder. Estivesse o PS na eminência de atirar a toalha ao chão e não faltariam candidatos - se teriam êxito é outra questão. Assim, só Passos Coelho se chega à frente. Como tem idade para se submeter a um "estágio", não perde nada. E pode ir, paulatinamente, fazendo caminho interno.

Os iomafiosos malucos das máquinas voadoras

Vereador do PSD aceita pelouros no executivo de Isaltino Morais

Oeiras

Público Local 13.01.2010 - 23:44 Por José António Cerejo

Um dos dois vereadores sociais-democratas da Câmara de Oeiras declarou-se ontem disponível para aceitar pelouros no executivo de Isaltino Morais. A decisão de Ricardo Rodrigues vem cavar ainda mais o fosso existente entre a número um da coligação liderada pelo PSD, Isabel Meireles – escolhida pela direcção nacional do partido – e a sua facção local, que sempre manteve estreitas ligações com o edil condenado em primeira instância por corrupção.


Ricardo Rodrigues ocupava o número cinco da lista, mas subiu para número dois devido ao facto de o segundo e terceiros candidatos indicados pelo PSD terem pedido a suspensão do mandato, e a quarta ter sido indigitada pelo CDS PP, o que a excluía da corrida.

O novo vereador foi director da campanha da coligação, profissionalmente é “comercial”, conforme disse ao PÚBLICO, e foi adjunto do gabinete de Pedro Simões, o único vereador do PSD que, no anterior mandato, aceitou os pelouros oferecidos por Isaltino e agora é administrador da empresa municipal que gere o estacionamento.

Quanto aos dois membros da lista cuja suspensão permitiu a subida de Rodrigues, um deles, Pedro Paulo, é vice-presidente da distrital de Lisboa, dirigida por Carlos Carreiras, e o outro, Júlio Silva, é secretário-geral adjunto do Ministério do Ambiente.

“A minha decisão foi pessoal, mas teve o apoio da secção de Oeiras e da direcção distrital”, disse ao PÚBLICO Ricardo Rodrigues, afirmando não ter falado com Isabel Meireles porque não tinha de o fazer. “É uma decisão tomada em prol do município, dos munícipes e do PSD”, acrescentou.

O autarca justificou-se também com a posição do líder social-democrata na assembleia municipal, Jorge Pracana, que defendeu, no discurso de posse dos novos órgãos autárquicos, a aceitação de pelouros pelos eleitos do PSD e considerou “um erro” o facto de isso não ter acontecido no anterior mandato – a não ser na sua parte final e apenas por um dos vereadores.

Para Isabel Meireles, este é mais um episódio do “triste espectáculo” que o PSD está a dar em Oeiras. A autarca disse que a decisão do seu colega de lista não a surpreendeu, “antes pelo contrário”, e confirmou que não a discutiu com ele. “Quando há uma facção substancial do PSD em Oeiras vendida ao IOMAF [o movimento liderado por Isaltino], é evidente que não há diálogo possível”, comentou.

Red Bull Air Race: Oeiras vai construir pista de aterragem de 100 mil euros em Algés

13.01.2010

A Câmara de Oeiras vai construir uma pista de aterragem no Terrapleno de Algés para acolher a prova de aviação Red Bull Air Race, num investimento de 100 mil euros.


“Vamos construir uma pista de aterragem de 500 metros por 20 com cinco centímetros de espessura de alcatrão, bem como as aerogares, num investimento estimado de 100 mil euros e suportado integralmente pela Câmara de Oeiras”, disse à Lusa o vice-presidente daquele município, Paulo Vistas.

A Câmara de Oeiras acolhe o Red Bull Air Race cedendo o Terrapleno de Algés e ficando responsável por “providenciar à competição, gratuitamente, o uso do espaço onde o evento decorre, incluindo as áreas dedicadas aos aviões, e uma pista de aterragem, para que seja possível realizar os voos de teste, treinos e voos de qualificação”, segundo um acordo assinado entre as partes envolvidas.

No mesmo acordo, os municípios de Oeiras e Lisboa e a Associação de Turismo de Lisboa (ATL) ficam obrigados ao pagamento de 3,5 milhões de euros à organização da prova, montante que não inclui a construção da pista em Algés.

Segundo Paulo Vistas, a ATL está a elaborar contactos para angariar em publicidade este montante, tendo decidido já que o que não conseguirem reunir será pago em 50 por cento pela Câmara de Lisboa, enquanto a Câmara de Oeiras e a ATL pagarão 25 por cento cada.

Segundo o vice-presidente da autarquia, aquelas três entidades “vão assinar em breve um protocolo de repartição dos encargos com a iniciativa em que o diferencial da receita que seja angariada por patrocínios será suportado em 50 por cento para Lisboa, 25 por cento para Oeiras e 25 para a ATL”.

Os municípios de Lisboa e Oeiras têm até 31 de Janeiro para concluir a elaboração deste protocolo.

Em Dezembro, em conferência de imprensa, o presidente da ATL, Vítor Costa, disse que “para reunir esta importância lançou-se uma consulta a seis empresas de mercado para lhes concessionar o exclusivo da angariação de patrocínios do evento. A vencedora deverá garantir pelo menos 2,5 milhões de euros”, explicando que o restante ficará ao cargo dos municípios.

A ATL afirmou ainda que pretendia “candidatar este evento a um programa de apoio do Turismo de Portugal, na expectativa de vir a receber um montante idêntico ao atribuído na última edição realizada no Porto e em Gaia”, ou seja, de 500 mil euros.

Durante três anos consecutivos, a prova portuguesa do campeonato internacional realizou-se no Porto, sobre o rio Douro, entre o viaduto de Massarelos e a Ponte Luís I. Na última edição do evento cerca de 720 mil espectadores juntaram-se nas margens do Douro para assistir àquela que é considerada a “Fórmula 1 dos Céus”.

A Red Bull Air Race é uma corrida em que as aeronaves realizam uma espécie de “slalon” a uma velocidade máxima de 400 quilómetros/hora, entre pilares insufláveis e com cerca de 20 metros de altura.

Público

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O caso Maddie McCann

Moita Flores defende Gonçalo Amaral denunciando "atentado à liberdade"
JN 15h15m


O ex-inspector da PJ Moita Flores afirmou hoje que o julgamento do livro de Gonçalo Amaral "Maddie - A Verdade da Mentira", em que se reproduz a tese de envolvimento do casal McCann na morte da filha, "é um atentado à liberdade".

Moita Flores, ouvido em vídeo-conferência como testemunha da defesa de Gonçalo Amaral, observou que a teoria da morte da criança consta da investigação policial e refutou a argumentação do casal McCann de que a difusão da tese prejudica a investigação sobre o paradeiro da criança.

Sublinhando que "os direitos constitucionais não podem ser atacados", o ex-agente da Polícia Judiciária (PJ) considerou "patética a ideia de que espalhar a tese" possa afectar o apuramento de factos e manifestou indignação "como cidadão pela tentativa de restringir a liberdade de expressão".

"Esta situação é aberrante e Gonçalo Amaral está a ser enxovalhado. Porque não se pode escrever sobre um caso que está encerrado? Há imensos casos assim, como o Ballet Rose ou o homicídio de John Kennedy, e já se escreveu muito", referiu o presidente da Câmara de Santarém.

Moita Flores acentuou que "ninguém pode ser impedido de pensar, independentemente de haver determinação judicial para arquivamento de um caso".

Acrescentou que um despacho de arquivamento "é um juízo de valor que um procurador faz sobre um determinado caso" e, em referência a esta decisão relativa aos arguidos Kate e Gerry McCann, produzida em meados de 2008, salientou que "outros dois magistrados poderiam ter chegado a duas conclusões diferentes".

Inquirido por Isabel Duarte, advogada do casal McCann, presente no julgamento, Moita Flores negou também que o livro de Gonçalo Amaral, cuja proibição de venda foi decretada provisoriamente a 09 de Setembro de 2009, afecte "o bom nome e a dignidade" da família inglesa.

"O livro é uma tese. A verdade absoluta não é de ninguém", disse Moita Flores, a única testemunha ouvida na parte da manhã na segunda sessão de julgamento, a decorrer no Palácio da Justiça, em Lisboa, em que a família McCann reclama na acção principal a protecção de direitos, liberdades e garantias.

Na parte da tarde, serão ouvidas mais três testemunhas de defesa, que prescindiu de uma outra: o criminalista José Manuel Anes, o ex-funcionário da Guerra & Paz Mário Sena Lopes e Tânia Raposo, responsável pela editora.

Além de Gonçalo Amaral, são visadas neste processo a editora "Guerra & Paz", a TVI, que exibiu documentário baseado no livro, e a produtora Valentim de Carvalho, pela comercialização de vídeo baseado no programa televisivo.

O livro "Maddie - A Verdade da Mentira" foi publicado em 2008 e lança a suspeita de que os pais da criança inglesa terão participado na ocultação do cadáver.

A criança inglesa Madeleine McCann desapareu em 03 de Maio de 2007 do quarto de um apartamento num aldeamento turístico na Praia da Luz, no Algarve, onde se encontrava de férias com os pais e os dois irmãos.

Na qualidade de coordenador do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Portimão, Gonçalo Amaral integrou a equipa de investigadores que tentou apurar o que aconteceu a Madeleine.

Kate e Kerry McCann, que sempre mantiveram a posição de que Maddie foi raptada, foram constituídos arguidos em Setembro de 2007, mas acabaram por ser ilibados em Julho de 2008 por falta de provas para sustentar a hipótese avançada pelo inquérito de morte acidental da menina.

O Ministério Público arquivou o processo, que poderá ser sempre reaberto se surgirem novos dados considerados consistentes sobre o desaparecimento da criança.



Gonçalo Amaral: Maddie morreu no quarto
JN 2008-07-05 (aqui)

Mais uns que se juntaram à campanha negra | FLISCORNO

Mais uns que se juntaram à campanha negra FLISCORNO

Portugal - www.webrails.tv

"A Caminho da Argentina. Os Comboios Portugueses" é o título de uma Exposição que vai estar presente na Casa da América Latina em Lisboa a partir de dia 12 de Janeiro, sobre os comboios Portugueses que circulam na Argentina.
Em 2007 deram-se dois embarques de material circulante no Porto de Setúbal, terminal da Tersado, de locomotivas, carruagens e automotoras eléctricas e diesel.

http://www.webrails.tv/arquivoVideo/argentina/UTEembarqueArgentina.htm

Uma nota de agradecimento à Tersado pelo apoio dispensado aquando da recolha de imagens.

--

A quem interessar fica o link para a exposição organizada pelo Clube de Entusiastas dos C.F. e Casa da América Latina em Lisboa:

http://www.c-americalatina.pt/scid/calweb/defaultEventViewOne.asp?eventsID=304

--

Uma nota de agradecimento ao Metropolitano de Lisboa e Clube de Entusiastas dos Caminhos-de-ferro.


Artigo enviado pelo nosso leitor Rui Ribeiro