sexta-feira, 30 de abril de 2010

Eu também fui à Assembleia de Freguesia de Algés


Tirando a 1ª parte, pouco percebi da Ordem de Trabalhos. O defeito é meu, certamente.


Referente ao ponto 4 – Já há uns tempos que funciona no Centro Cultural um serviço de Acupuntura. Agora ao ser trazida uma proposta de actualização de taxas dos utilizadores, membros da Assembleia detalhadamente informaram dos decretos-lei que são preciso cumprir. Por isso não se poderá falar de taxas quando este serviço não é legal. Afinal havia acupuntura, mas afinal não cumpria as tais leis. Só agora é que os membros da Assembleia se lembraram.


Referente ao ponto 5 – A Junta de Freguesia tem dois carros que estão velhos. A Junta precisa de ajudar entidades de solidariedade no levantamento de bens para a sua acção social. Trocaria os dois carros velhos por um novo. Eu também – como a Isabel Magalhães diz – me pareceu uma boa opção. Mas enredaram tanto, falaram tanto, defenderam a honra tanto… que o tempo passou, votaram contra e a Assembleia continua na próxima 4ª feira às 21h00.
Estarão a pensar em Algés, nesta Terra com tantos grandes e pequenos problemas ou a evidenciarem-se naquilo que queriam ser e não são?


Pois é: há buracos! Quem é que, daqueles membros da Assembleia, fez um levantamento, rua por rua e informou a Junta e a CMO? Quem estará interessado em saber mesmo porque a CMO não transferiu ainda verbas para pintar as passadeiras, por exemplo? E o tal do carro? Não será mesmo preciso?

A partir da próxima 4ª feira vamos Todos construir.

Uma casa em ruínas



Uma casa em ruínas - Opinião - Correio da Manhã


30 Abril 2010 - 00h30
A Voz da Razão



Pedro Passos Coelho telefonou a José Sócrates. Fez bem. Com o país perto da falência, o novo líder da Oposição teria obrigatoriamente uma palavra sobre o assunto. Que palavra?

Exigir, em linguagem prosaica, que o eng. Sócrates enfiasse o seu PEC no caixote (que, pelos vistos, não convenceu os mercados) e optasse por medidas credíveis e austeras desde já. As medidas, sem grande imaginação, oscilariam entre a suspensão dos grandes projectos (aeroporto, TGV, auto-estradas); um ataque sério à gordura e ao desperdício do Estado; e, fatalmente, cortes salariais para evitar uma possível subida de impostos.

Não foi o que sucedeu. Para começar, Passos Coelho subscreveu a cantiga do ‘ataque especulativo’, que por definição isenta o governo Sócrates da crise. E, para terminar, abençoou a redução dos subsídios de desemprego e a fiscalização das prestações sociais, paliativos que não resolvem a doença corrente. Passos Coelho partiu para S. Bento como líder da Oposição. Saiu de lá como cúmplice da irresponsabilidade socialista. Portugal é isto: uma casa em ruínas sem governo nem alternativa.



João Pereira Coutinho, Colunista

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Fui à Assembleia de Freguesia de Algés

Habito numa freguesia interior e, de cada vez que saio de casa, tenho que atravessar as vizinhas freguesias da Cruz Quebrada e de Algés. Carnaxide não tanto porque gosto de ver o mar e irrita-me, solenemente, gastar 20 minutos para percorrer a Av. 25 de Abril até à auto-estrada. Ontem mesmo li no edital que se ía falar de buracos e, como prezo os pneus e a suspensão do meu carro, fui saber das expectativas.
Certa de que qualquer Algesino - entre os quais a Clotilde Moreira e o João Salgueiro - tem uma melhor e mais completa abordagem da Assembleia, deixo-vos a minha que é apenas a forma como, enquanto espectadora, vivi aquelas 3 horas de trabalhos.


Assembleia de Freguesia no Palácio Ribamar - Algés
Afinal, não houve 'mortos e feridos' nem cabeças partidas. Tudo gente civilizada! Alguns recorrentes - e desnecessários - 'picanços' do actual presidente da JFA à anterior presidente; o sistema de amplificação de som da bancada do PSD com muitas interferências o que impossibilitava seguir a 100% as intervenções e, se calhar, foi por isso que não percebi a razão de ter sido vetada a compra de uma carrinha de sete lugares + carga como pretendia a JF. Tanto quanto ouvi e percebi, a compra parecia-me ser uma boa opção, economicamente e não só, porque há, efectivamente, carga para transportar, e era menos onerosa do que a manutenção e seguros dos dois 'Opel Corsa' já com 10 anos, isto no dizer do presidente da JF. Mas eu nada sei de política nem voto em Algés...
Alguma 'pedra partida' apesar da batuta firme do presidente da Mesa; distribuição de cravos às senhoras, - o meu agradecimento a Rui Valente, deputado do PS, que me ofereceu um.
A pedido de alguém foi concedido um intervalo de 5 minutos - não olhei para o relógio mas parece-me que esse tempo foi excedido - e aproveitei para ver a exposição de pintura patente no local.
Retomada a sessão, e depois de esgotado o tempo adicional de 30 minutos sem ter sido completada a Ordem de Trabalhos, muito boa noite meus senhores, até ao dia 5 de Maio no mesmo local para continuar a discutir os pontos em agenda.
Saí com o poema 'O Futuro', do Ary dos Santos - lido pela Clotilde - a ecoar em cadência...
"Isto vai meus amigos isto vai..."

Fechar o país por decreto

Vamos então fechar o país ao domingo para que "os trabalhadores não vejam coartado o seu direito ao descanso num dia em que a generalidade das famílias portuguesas utiliza para seu lazer".
Em caso de urgência deixaremos de poder ir ao Hospital; aliás, ao sábado - antes da meia-noite - enviam-se, para casa, todos os doentes internados; iden iden nos lares de crianças e de terceira idade. Não haverá farmácias de serviço, transportes públicos, piquetes dos serviços de electricidade, água, gás, telefones. Ficam - por decreto - proíbidos os incêndios porque os Bombeiros - sapadores e voluntários - também têm direito ao descanso e ao lazer em família. E como as forças de segurança também são "gente" e com direito ao descanso em dia santificado, ficam os malfeitores proíbidos - por decreto - de fazerem qualquer malfeitoria.
E como estes tantos outros: trabalhadores dos museus e monumentos, sector do Turismo - hoteis e similares, pessoal do saneamento básico, trabalhadores da restauração, agricultores (o gado que espere, 24 horas sem comer não é nada...)

Encerramento das grandes superfícies aos domingos e feriados discutido amanhã - Política - PUBLICO.PT

Dois médicos multados em 32 mil euros por escreverem a Sócrates em papel do hospital

Dois médicos multados em 32 mil euros por escreverem a Sócrates em papel do hospital – Sociedade – PUBLICO.PT « Socraquistão


Usar o papel timbrado e o correio do serviço público em que se trabalha para expor um assunto ao primeiro-ministro pode custar muito caro.
E o Sócrates que usou papel do Ministério do Ambiente para escrever ao seu professor de Inglês Técnico? Também deve pagar, homessa!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Uma Assembleia


Quando os telemóveis começaram, muitos participantes nas Assembleias não se separavam do seu “telélé”; deixando-o ligado para que tocasse e todos vissem como eram solicitados. Depois saiam a correr para o átrio e aos gritinhos resolviam a urgente situação.



Mas agora é mais giro. Não sou contra o portátil que muito Membros da Mesa carregam para responderem aos vários pormenores que vão surgindo no decorrer dos trabalhos, nem que sirvam de apoio a outros participantes para não carregarem uma resma de processos, mas às vezes…



Imaginem que não lhe foi distribuído nenhum trabalho. Apenas deve assegurar a presença na reunião. Como passar aquelas horas, ele que sabe tanto de informática?!



Olha para o facebook, percorre as fotos do passeio que deu à sua longínqua aldeia




Revê a família



e delicia-se com as fotos do último encontro: “o menino dança?”




Pelo meio, levanta o braço ou não para votar, levanta-se para meter o voto na urna, sai para ir fumar e, entretanto, chegou o fim desta reunião. Fecha-se o portátil e até à próxima.



...entre isto e a realidade é pura coincidência…


Imagens da net

Atrasados mentais




Atrasados mentais - Opinião - Correio da Manhã

28 Abril 2010 - 00h30
Diário da Manhã

A bolsa afunda e as agências de rating continuam a penalizar a dívida soberana portuguesa. Nada de novo no caminho acelerado para o abismo. Novo, espantoso e digno de um estudo cuidado por parte de especialistas em doenças mentais é o texto remendado do Estatuto do Aluno aprovado pelo Governo do senhor engenheiro relativo. Em primeiro lugar acabam os chumbos por faltas.

E as escolas ficam obrigadas "a definir medidas de diferenciação pedagógica com o objectivo de promover aprendizagens que não tenham sido realizadas em virtude da falta de assiduidade". Mas há mais. A partir de agora o pessoal não docente poderá repreender oralmente os corrécios. Os alunos podem ser burros e calões. Mas quem faz diplomas destes é um verdadeiro atrasado mental.



António Ribeiro Ferreira, Jornalista

terça-feira, 27 de abril de 2010

Assembleia de Freguesia de Algés


Convido os Algesinos (e não só) a assistirem a mais uma Assembleia da nossa Junta de Freguesia .

Se a última foi "polémica" pela "obra" que o executivo actual não faz pela falta de dinheiro que a Câmara não transfere, esta promete ainda mais pois vamos falar da "obra" do executivo anterior e a eventual falta de" transparência" das contas desse executivo apresentadas à Câmara IOMAF para justificar a "obra" feita.

Está a freguesia cheia de buracos por tapar e passadeiras por pintar porque a CMO não transfere dinheiro mas o ponto 5 da agenda da Assembleia encheu-me de esperança pela escala de prioridades deste executivo: - se vão comprar um carro mais cedo ou mais tarde vão ter de ver os buracos.

Tinha programado para amanhã à noite ver uma antologia da série "Monty Python's Flying Circus" mas acho que a vou dispensar pois não deve chegar à altura da Assembleia de amanhã.

Espero muito desta Assembleia!

A não perder.

JS

Administração do Taguspark sem condições para continuar em funções, diz Câmara de Oeiras

Administração do Taguspark sem condições para continuar em funções, diz Câmara de Oeiras - Política - PUBLICO.PT

O vice-presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, considerou hoje, em declarações à agência Lusa, que a administração do Taguspark “não tem condições para continuar”, devido “ao clima de desconfiança criado pelas últimas notícias”.



“Depois de todas as notícias sobre a administração do Taguspark, fica um clima de desconfiança", explicou o autarca.

A Câmara de Oeiras, "como accionista de referência, não tem confiança na administração. E uma administração sem confiança dos seus accionistas dificilmente conseguirá levar para diante a gestão e o programa estratégico de uma sociedade como o Taguspark”, afirmou Paulo Vistas.

Para o vice-presidente, a “desconfiança" existe devido ao comportamento da administração que tem tido "um conjunto de comportamentos sem o conhecimento da Câmara de Oeiras”.

O vice-presidente da Câmara de Oeiras disse “estar convencido de que a própria administração se vai demitir na próxima Assembleia Geral”, agendada para 4 de Maio.

Hoje, o presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, esteve reunido com vários parceiros e com o presidente do conselho executivo de administração daquele pólo tecnológico, Américo Thomati, para “analisar as últimas notícias e se inteirar da posição dos restantes accionistas”.

Segundo Paulo Vistas, “tudo depende desta reunião de hoje”, já que “os esclarecimentos por parte da administração e o concertar de posições com os diferentes accionistas podem resolver a situação”.

O Ministério Público (MP), concluiu que os administradores da Taguspark Rui Pedro Soares, João Carlos Silva e Américo Thomati, no contrato com Luís Figo, agiram por "interesses estranhos e contrários" à empresa, "utilizando-a para beneficiar terceiro", num "apoio político-partidário".

Os três administradores foram constituídos arguidos, por alegadamente terem cometido, em co-autoria, um crime de corrupção passiva para ato ilícito. O futebolista não foi constituído arguido.

A investigação deste caso resultou de escutas telefónicas do processo Face Oculta, estando em causa contrapartidas que a PT e a Taguspark terão dado a Luís Figo para este apoiar a campanha de José Sócrates a primeiro-ministro, nas legislativas de 2009.

No âmbito do processo, estão a ser investigados os alegados casos de corrupção e outros crimes económicos relacionados com empresas do sector empresarial do Estado e empresas privadas.

Brecht em Algés

Não é para todos...!

Esta semana, a nossa 'CLO' teve direito a meia página do JO.


Clique na imagem para aumentar

Via Jornal de Oeiras, 27 de Abril / 2010

Obras no Terminal de Contentores condenadas a parar

Obras no Terminal de Contentores condenadas a parar - Portugal - DN


Oposição insiste na revogação ou suspensão do contrato de concessão à Liscont. MP já pediu a anulação

As obras no Terminal de Contentores de Alcântara estão condenadas a parar. Uma semana depois de o Ministério Público pedir a nulidade da prorrogação do contrato do porto de Lisboa à Liscont, a questão vai hoje ao Parlamento. Contra a vontade do PS, a oposição prepara-se para pôr em causa o decreto do acordo feito pelo Governo de José Sócrates.

Em cima da mesa da Comissão de Obras Públicas estarão um projecto do PSD no sentido da revogação - que tem o apoio do BE e do PCP - e um projecto do CDS--PP, pela suspensão do vínculo contratual com a empresa. Os centristas vão ainda pedir a audição do Ministério Público e a Administração do Porto de Lisboa.

O PS, pela voz da ex-secretária de Estado Ana Paula Vitorino, sugeriu ao Expresso que o Parlamento deixasse a iniciativa legislativa em suspenso e que fosse o tribunal a decidir sobre a legalidade do contrato que entregou, por ajuste directo, a exploração do porto à Liscont, empresa participada pela Mota-Engil, até 2042.

Os tribunais vão julgar se o acordo é inconstitucional. O MP considerou que o Governo não tem poder para prolongar o contrato, por ajuste directo.

Hélder Amaral, deputado centrista, disse ao DN que é preciso suspender já o decreto do Governo "para travar as obras". Mas avisa que será um "tiro no escuro" revogar o contrato, porque ainda ninguém conhece qual a indemnização a pagar à empresa.

Luís Rodrigues, do PSD, acusou o CDS-PP de misturar os poderes político e judicial e disse que o Parlamento não pode depender da decisão do tribunal. O deputado laranja acrescentou que a petição do MP apenas "corrobora" a posição política e avisa que a suspensão das obras também dará lugar a indemnizações. BE e PCP vão bater-se pela revogação.

Presidência Aberta

Via Jornal de Oeiras

PJ investiga 'comboio-fantasma'



Polícia fez buscas na sede da SATU e na construtora Teixeira&Duarte

A Polícia Judiciária realizou, há poucas semanas, buscas na sede da empresa municipal SATU (Serviço Automático de Transporte Urbano de Oeiras) e na empresa Teixeira&Duarte. De acordo com informações recolhidas pelo DN, a Judiciária está a investigar os contornos da relação entre a empresa municipal e a construtora que gere o chamado "comboio-fantasma" de Oeiras.

O inquérito em causa foi aberto em 2007 pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), sendo que a investigação está a cargo da Unidade Nacional contra a Corrupção. Até à hora de fecho desta edição, não foi possível confirmar quais os eventuais crimes em causa. Contactado pelo DN, Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras, garantiu desconhecer completamente a realização de buscas à SATU. "Para mim, é uma novidade", declarou.

O projecto SATU começou com Isaltino Morais e foi desenvolvido por Teresa Zambujo. O capital da empresa está dividido entre a Câmara de Oeiras (51%) e a Teixeira&Duarte (49%). Porém, ao longo dos últimos anos, nunca foi consensual e tem estado debaixo de várias críticas, sobretudo quanto à viabilidade do comboio, cuja ideia terá nascido depois de uma visita de Isaltino Morais a Sydney, Austrália. Actualmente, tem apenas um único troço: a ligação da estação ferroviária de Paço d'Arcos ao Centro Comercial Oeiras Parque.

Em Junho do ano passado, o vice-presidente da câmara municipal, Paulo Vistas, disse à agência Lusa que a Teixeira&Duarte, que detém 49% da empresa do SATU, "está num impasse" e que a autarquia estava "disponível para assumir a totalidade da empresa".

De acordo com as informações prestadas por Paulo Vistas, em 2008, o prejuízo do SATU situou -se em cerca de três milhões de euros, segundo um relatório de contas apreciado no ano passado pela Assembleia Municipal de Oeiras.

"Vai chegar uma altura em que a Teixeira&Duarte vai querer entregar a SATU para não continuar a acumular prejuízo", acrescentou o vice-presidente da autarquia.

No relatório apreciado pelos partidos com representação na Assembleia Municipal foi sublinhado, além do prejuízo que o transporte tem acumulado, um parecer da Inspecção-Geral de Finanças que conclui que o SATU "apresenta dúvidas de natureza fiscal e empresarial".

Para a segunda e terceira fases do projecto, que ligarão o Centro Comercial Oeiras Parque ao Lagoas Park e, depois, ao Taguspark, serão necessários 30 milhões de euros.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Seremos cidadãos responsáveis?

Hoje, no Público, nas Cartas à Directora



Além de cumprirmos as regras de separação de lixos, de respeitarmos as horas de silêncio nocturno, de validar o titulo de transporte, de não fazermos dividas em supérfluos, de só estacionarmos o carro nos espaços a isso reservados e de seguir muito outros itens de bom comportamento, estaremos conscientemente a contribuir para uma cidadania completa e a deixar um País mais organizado aos nossos filhos?

Quantos de nós continuamos a não exigir produtos nacionais e a embarcar na compra de produtos do dia-a-dia que vêm de países longínquos com o argumento que são países pobres que precisam de ser ajudados. E esquecemos que para nos chegar àquele preço, há seres humanos que têm horários excessivos, condições de vida miseráveis, insalubres e perigosas e muitas vezes são abatidos a tiro se o “patrão” não obtiver o lucro que espera.

Com o nosso consumo estamos a pactuar com as globalizações que uns concertam e lucram, a não salvaguardar o trabalho do nosso País e a contribuir para um endividamento excessivo pelas múltiplas importações.

Cultivar uma cidadania responsável, às vezes, é muito complicado. Mas temos a obrigação de pensar – mesmo nas pequenas compras – se vale a pena a fruta importada só para comer uvas em Janeiro ou termos morangos todo o ano e o mesmo para um número considerável de coisas. Neste momento de tão grande crise talvez seja obrigatório olharmos para o nosso lado e encontrar formas de ajudar aqui dentro da nossa Terra. Depois podemos alargar a nossa solidariedade


Maria Clotilde Moreira

Artista precária

Artista precária - Opinião - Correio da Manhã

26 Abril 2010 - 00h30
Ao fim e ao cabo

Inês de Medeiros, a deputada portuguesa com residência em Paris, pertence ao regimento de artistas precários – no sentido em que teimam viver à custa de subsídios preferencialmente pagos pelo Estado que, como se calcula, não tem a menor obrigação de sustentar manias e extravagâncias.


Como é precária, Inês fez-se à vida: ainda tentou do Partido Socialista um lugar elegível na lista para o Parlamento Europeu – mas o melhor que José Sócrates conseguiu arranjar, apesar de a senhora viver em Paris, foi assegurar-lhe a eleição para a Assembleia da República como candidata pelo Círculo de Lisboa.


Estrasburgo tem outra classe – e seria mais de acordo com a condição de criatura de relativa cultura que fala francês e, muito provavelmente, toca piano. Gorada a hipótese de Estrasburgo, restou-lhe a solução de Lisboa. Inês franziu-se com a maçada de voltar à provinciana capital. Ainda assim, aceitou. O esforço, de resto, será recompensador: ao fim de pelo menos dois mandados tem direito a reforma vitalícia – que a vida de uma artista precária, mesmo na Cidade Luz, está cada vez mais difícil.


A senhora deputada, ao fim de porfiados esforços, obrigou a Assembleia da República a suportar-lhe uma viagem semanal de ida e volta a Paris – no valor de 2500 euros. Não duvido da legalidade do pagamento – despachado por Jaime Gama com base num parecer jurídico que, obviamente, será de irrepreensível doutrina e tecnicamente impugnável.


O que importa, neste caso, é o código dos princípios. Inês de Medeiros acha que o Estado tudo deve fazer, tudo deve iniciar, tudo deve pagar. Habituou-se a viver dos subsídios: é, como tantos outros artistas, uns mais parcos de ideias e de talento do que outros, uma subsídio-dependente – essa chaga política e social que lhe dá uma estranha concepção do que deve ser a vida em liberdade.


Prometo que hei-de encontrar espaço, em post scriptum, para dar conta todas as segundas-feiras do árduo trabalho parlamentar da mais cara deputada eleita pelo Círculo de Lisboa – as intervenções em plenário, a actividade nas comissões, as iniciativas legislativas.


Desconfio de que escassas duas linhas de rodapé chegam e sobram para assinalar o esforço de Inês de Medeiros. Espero que esteja enganado.



Manuel Catarino, Jornalista

PSD faz discurso pelo poder do povo e CDS-PP fala dos "três dês" da dívida, défice e desemprego - JN

Ontem

O deputado do PSD Aguiar-Branco fez hoje, domingo, um discurso contra o Estado reaccionário e pelo poder do povo, citando Lenine, Rosa Luxemburgo e Sérgio Godinho na sessão comemorativa do 25 de Abril.

Petição pela resignação da Inês de Medeiros

Está aqui: http://www.petitiononline.com/medeiros/petition.html

Contagens de tráfego em Carnaxide


De: Associação Moradores Casal da Amoreira Carnaxide mailto:amcasalamoreira@gmail.com
Enviada: sex 23-04-2010 19:18
Para:
geral@cm-oeiras.pt





Assunto: Contagens de tráfego em Carnaxide


Exmo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Oeiras,

Tendo verificado que nos passados dias 16/04/2010, sexta-feira, e 17/04/2010, sábado, se procedeu à contagem de tráfego na Avenida Professor Reinaldo dos Santos, em Carnaxide, junto à "Casa dos Leões", a norte do Hospital de Santa Cruz, e na Avenida do Forte, na rotunda que dá acesso à Protecção Civil, fazemos-lhe chegar uma fotografia do tráfego nesta última Avenida, tirada na 4ª feira, 14/04/2010, pelas 17h11m, que nos parece traduzir bem o inferno que é circular entre Carnaxide e Linda-a-Velha nos dias úteis, inclusivé para os Serviços de Emergência.

Sabendo que novos e volumosos empreendimentos se controem, estão anunciados ou se perspectivam para esta zona - Vila Utopia, Quinta do Cerrado, Alto da Montanha, Forte do Carrascal / Protecção Civil, Edifícios das Cicas - é com receio que vemos estudos de tráfego feitos apenas em dois dias, sendo um deles um dia de descanso, e estamos certos que veremos brevemente uma contagem mais alargada, que possa ser verdadeiramente significativa e traduza melhor o que se passa em Carnaxide.

Com os melhores cumprimentos,

A Direcção da AMCA-Carnaxide
Contagens de tráfego em Carnaxide

Via e-mail

domingo, 25 de abril de 2010

Algés - 2010 - 19

Aqui não se tem passado nada de especial.
Este Domingo esteve mesmo um dia de Abril com Sol aquecendo a Esperança. Aconteceu a Feira de Velharia no Jardim junto à Marginal e bastantes pessoas percorrendo as várias bancas.

O dragoeiro que está na entrada da Biblioteca Municipal – Palácio Ribamar - Foto retirada do OL de 20/8/2008 - caiu no dia 20 conforme comunicado no site da Junta de Freguesia. Foi logo levantado e está suportado por umas ripas de madeira. Não tive oportunidade de o fotografar. Espero que se consiga aguentar.

Agora aos sábados pela manhã, no Jardim de Algés, perto do Restaurante Caravela d’Ouro, há venda de produtos biológicos. Convido-vos a virem – pelo menos ver. Não tragam carro: aproveitem a viajar no Combus.
O relógio no Largo da Estação continua sem graça nenhuma. Nesse edifício funcionava um café – restaurante “A Nortenha 3”. Funcionava… agora virou talho.

Com este Inverno tão rigoroso, a maioria das passadeiras de protecção dos peões precisam de ser re-pintadas. Vamos a ver para quando será.
As árvores plantadas na “rua das estátuas” continuam com as envolventes muito desniveladas. Precisam que as caldeiras levem mais terra para atenuar os “buracos” e ninguém cair.


Pensamento: … Foi então que Abril abriu
as portas da claridade
e a nossa gente invadiu
a sua própria cidade… Ary dos Santos

Depois do adeus

Publicado por helenafmatos em 24 Abril, 2010


Vai vir novamente a fanfarra, mais os cravos e a liberdade. Sem esquecer a República e o seu farto busto que, por um extraordinário processo de reviravolta histórica, se pretende apresentar como uma antecipação do 25 de Abril. E depois? Depois nada, que a vida está difícil e nós não sabemos como vamos pagar dívidas que não contraímos. Não era de facto isto que estávamos à espera quando nos prometeram a democracia. Na verdade esperava-se muito mais.

Ao ver as imagens de Portugal em 1974 o mais espantoso é o ar sorridente e esperançado das pessoas. Hoje, rir assim só no futebol, com a desvantagem estética para este último, que a parafrenália dos bonés e dos cachecóis, ao contrário do que sucedia com os cravos e as fardas, dá um ar vagamente apalhaçado a quem celebra.

Em Abril de 1974 aos portugueses foi prometido um país mais livre, mais justo, mais rico e mais respeitado. Somos hoje um país certamente mais livre do que éramos até Abril de 1974, mas certamente menos livre do que fomos anos depois.

A desmesura do Estado gerou uma multidão de avençados que se instalou em lugarzinhos de nomeação a partir dos quais se metastizam num universo de jeitos, favores e conhecimentos. Esta gente é hoje o maior obstáculo ao desenvolvimento do país não só porque produz pouco, mas sobretudo porque tem o seu seguro de vida na manutenção desse pântano político-empresarial de dinheiros públicos e interesse privados, tão privados que não são sequer confessáveis.

À parte a liberdade – e essa convém frisar que nos foi garantida pelas Forças Armadas que tão pouco dignificadas têm sido pela democracia – falhou-se em muito daquilo que dependia da competência da classe política. Os pobres são certamente menos pobres hoje do que eram em 1974, mas o sonho de conseguir subir na vida esse perdeu-se no enredo da burocracia, da carga fiscal asfixiante e da loucura dos licenciamentos e dos certificados.

Na justiça, pior seria difícil: seja por causa das leis, seja por causa de quem as aplica, seja pelo que for, Portugal vive uma crise gravíssima, pois gravíssimo é quando um povo descrê da justiça e não se reconhece nas leis que tem. O legislador sonhou-se e sonha-se nos tempos em que os iluministas esclarecidos impunham mudanças por decreto ao povo ignorante – veja-se o caso do recente Código de Execução de Penas – e os políticos, com especial relevância para o PS, fizeram o resto quando identificaram as responsabilidades éticas e morais do cidadão e político José Sócrates com a possibilidade de o actual primeiro-ministro poder vir ou não a ser constituído arguido. Esta circunstância é um dos momentos mais graves do pós-25 de Abril não só porque se identificou ética com direito penal, como se acabou a instilar a ideia de que a justiça e a investigação são passíveis de serem controladas por quem detém o poder político.

Por fim falemos do respeito. Quando se lêem os jornais pós Abril de 1974, é evidente a tónica então colocada no facto de Portugal ir deixar de ser uma nação isolada. Finalmente íamos deixar de ser criticados internacionalmente. O mesmo discurso exaltante foi depois repetido quando trocámos a incerta via terceiro-mundista do socialismo à portuguesa pela adesão à então CEE.

Os elogios feitos “lá fora” pelos dirigentes europeus à nossa prestação eram repetidos “cá dentro” por homens como Mário Soares e Cavaco Silva. Agora que o estrangeiro deixou de falar bem de nós, vivemos com embaraço as declarações do Presidente checo, tomamo-nos de brios patrióticos perante as agências de rating e descobrem-se pérfidas intenções nos economistas que nos anunciam a falência. Enfim, o habitual em casa onde não há pão.

Em Abril de 1974 os portugueses riam esperançados diante do mundo e das objectivas dos fotógrafos. Agora fazem-lhes manguitos. A culpa não é certamente da democracia e muito menos do povo. A culpa é de quem se esqueceu que “depois do adeus” à ditadura havia que falar verdade ao povo

*PÚBLICO

ABRIL - Vamos continuar




Escrito em 2004 – festejando 30 anos




Vivia-se vivendo cada dia
à espera de mudança,
Cada ultrapassagem era bálsamo
era alimento da Esperança

E a Esperança era palavra de ordem,
Muitos lutavam
Muitos perdiam
Muitos desesperavam
Mas a Esperança era palavra de ordem.

E uma madrugada ouviu-se uma canção:
“E depois do adeus”
“Grândola vila morena”

O povo explodiu e muitos gritaram:
Já vi a cor da Liberdade.

Há trinta anos que a terra gira
com a luz da Liberdade.
Mas tem tardado que a Esperança
seja certeza,
que o hoje
seja prenúncio de amanhãs que cantam,
que as nossas crianças tenham futuros de mel.

Há tanto por fazer ainda...
Vamos continuar!

Imagens da net

sábado, 24 de abril de 2010

CDS quer esclarecer nomeações de dirigentes do IEFP

CDS quer esclarecer nomeações de dirigentes do IEFP - Bolsa - DN

O CDS vai pedir a presença da ministra do Trabalho e da Solidariedade Social na Assembleia da República para explicar o que se passa no IEFP, que nomeou dirigentes sem recorrer a concurso público.

OEIRAS PROMOVE ESTERILIZAÇÃO GRATUITA DE ANIMAIS DOMÉSTICOS

A Câmara Municipal de Oeiras vai proceder à esterilização gratuita de animais domésticos, como canídeos ou felinos, pertencentes a munícipes que demonstrem não ter condições para pagar o custo da cirurgia.

Esta iniciativa, que dá prioridade aos idosos, visa evitar o fenómeno crescente do abandono de ninhadas na via pública, segundo o comunicado da CM de Oeiras.

E também em Lisboa:
Campanha de Esterilização de Animais Abandonados na cidade de Lisboa e também à suspensão de capturas de gatos pelo Canil/Gatil Municipal

Foi aprovada em Fevereiro, entre outras medidas:

A esterilização gratuita dos animais de munícipes com recursos comprovadamente limitados para esse fim, estabelecendo para tal um regulamento, claro e transparente, que deverá ser publicitado nas juntas de freguesia e no site da CML
*****
Posteriormente recebi a seguinte informação:
Atenção que em Lisboa, apesar de ter sido anunciada a suspensão das capturas de gatos pelo Canil Municipal, ela continua a ser feita.

Executivo da Cruz Quebrada vai dar música


notícia na página 6

CULTURA NA SIMECQ: Comemorações do 25 de Abril, pela Junta de Freguesia da Cruz Quebrada/Dafundo

CULTURA NA SIMECQ: Comemorações do 25 de Abril, pela Junta de Freguesia da Cruz Quebrada/Dafundo

Circos romanos



Circos romanos - Opinião - Correio da Manhã

24 Abril 2010 - 00h30
A Voz da Razão

Rui Pedro Soares esteve na comissão parlamentar ao caso PT-TVI e, depois do circo conhecido, interessa saber o que farão agora Pinto Monteiro e José Sócrates.

Comecemos pelo PGR: o silêncio do administrador não o faz incorrer, apenas, num crime de desobediência. O silêncio foi uma escolha clara de que é preferível arriscar na desobediência do que contar toda a verdade. O que implica saber qual é a verdade sobre os negócios da PT (e da Taguspark) que manifestamente embaraça um dos seus estrategos. Se dúvidas havia sobre a lisura desses negócios, elas agravaram-se com esta mudez. O Ministério Público que tome nota e, de preferência, que acorde. E José Sócrates? O primeiro-ministro foi inocentado por uma declaração de Rui Pedro Soares que só convence quem se deseja convencer. Mas ao admitir ter usado o nome do primeiro-ministro de forma abusiva, interessa perguntar que atitude tomará Sócrates perante um alto administrador do Estado que anda por aí a usar o seu nome em negociatas sortidas. O silêncio de Sócrates será bem pior do que o silêncio do seu fiel amigo.



João Pereira Coutinho, Colunista

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cravo & ferradura

.

400 CARROS PARA O EMPREGO

Pau Para Toda A Obra: 400 CARROS PARA O EMPREGO

O Instituto do Emprego e a ministra da tutela deviam ter-se sentado ontem mesmo no banco dos réus, acusadas de extorquir o dinheiro do povo. Compraram 400 carros novos e uma dezena de topo de gama.Isto acontece, quando o Estado (Finanças) realiza todas as semanas leilões de carros em bom estado de conservação e muitos de topo de gama.

Televisão analógica começa a ser desligada dentro de oito meses

Televisão analógica começa a ser desligada dentro de oito meses


O mundo pode não acabar em 2012, mas a televisão analógica tem os dias contados: dentro de dois anos será desligado o sinal e passará a haver apenas emissões de televisão digital terrestre (TDT). Ontem soube-se que os primeiros "apagões" vão começar em Janeiro de 2011, em zonas controladas, para testar os efeitos técnicos e o comportamento dos consumidores. Depois haverá um calendário de transição rápida, que culminará a 26 de Abril de 2012. (...)

De novo Abril

A Revolução de Abril vai, este ano, ser evocada em Belém, numa iniciativa do Museu da Presidência da República.

Entre os dias 22 e 25 de Abril, o Palácio de Belém abre as suas portas ao público e à celebração da Democracia: concertos de música popular portuguesa, um espectáculo multimédia, intervenções plásticas, actividades pedagógicas e exposições sobre os Presidentes da Democracia, com destaque para o primeiro Presidente da República após o 25 de Abril.

Palácio de Belém - Praça Afonso de Albuquerque, Lisboa. Tel: 213 614 660. Entrada livre


Via e-mail Clotilde Moreira

Lembrete

Assembleia Municipal de Oeiras

O Edital nº 8-2010, da AMO, informa que no próximo dia 26 de Abril (2ª feira), pelas 15.00 horas haverá Reunião da Assembleia Municipal de Oeiras no Auditório da Biblioteca Municipal.

Em todas as reuniões ordinárias e extraordinárias, há um período para intervenção do público, durante o qual lhe serão prestados os esclarecimentos solicitados.

Reunião pública da CMO

Na próxima 4ª feira – dia 28 de Abril – pelas 16h00 – haverá a reunião pública da CMO; no inicio da qual o público interessado poderá intervir expondo os seus problemas.

Mais informações em:
Município de Oeiras Largo Marquês de Pombal - 2784-501 OeirasTelefone: 21 440 83 00 - Fax: 21 440 87 12 - E-Mail:
geral@cm-oeiras

O vestido de Gama

O vestido de Gama - Opinião - Correio da Manhã

23 Abril 2010 - 00h30
A Voz da Razão

Inês de Medeiros foi eleita para o Parlamento pelo círculo de Lisboa. Mas com a família a viver em Paris, surgiu a questão sacramental: quem paga as viagens semanais da deputada?

A resposta evidente seria: a própria. Inês discordou. E Jaime Gama, munido com um apropriado parecer ‘jurídico’, concorda. Os portugueses que paguem, disse Gama. Mas avisou: o caso não abre precedentes. O despacho presidencial é como certos vestidos de alfaiate: peça única para uma cliente só. Se amanhã um deputado eleito por Lisboa instalar a família nas Caraíbas, não há borlas para ninguém. Injusto.

Resta acrescentar que o Conselho de Administração da Assembleia aprovou o despacho com votos favoráveis do PS e contra do PSD e do Bloco. O PCP não apareceu (há burgueses e burgueses). E o CDS ficou-se pelo grotesco: absteve-se. E Inês? Inês devia aproveitar o seu estatuto singular para dar a volta ao mundo, saltitando de capital em capital. E com os portugueses alegremente a pagar. O país pode caminhar para o abismo, mas é importante que, no meio da desgraça, haja alguém que se divirta.



João Pereira Coutinho, Colunista

Primeira condenação basta para suspender autarcas

Primeira condenação basta para suspender autarcas - Política - PUBLICO.PT

(...) Se a nova lei já estivesse em vigor, todos os autarcas condenados em primeira instância e que recorreram, como é o caso de Fátima Felgueiras ou Isaltino Morais, teriam sido suspensos de funções até que se conhecesse a decisão final. Mas não ficariam impedidos de se recandidatar nas eleições seguintes. (...)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Viagens custam 6 mil euros/mês

Viagens custam 6 mil euros/mês - Política - Correio da Manhã

As viagens da socialista Inês de Medeiros entre Lisboa e Paris vão custar ao Parlamento mais de seis mil euros por mês. Ontem, o conselho de administração da Assembleia da República aprovou o parecer do auditor jurídico, que defende o pagamento das ajudas de custo à deputada, com o voto de qualidade de José Lello (PS), enquanto presidente, face ao empate dos votos a favor dos socialistas e os votos contra de PSD e BE. O CDS-PP absteve-se e o PCP não se fez representar.

A decisão do conselho não é vinculativa, mas, caso Jaime Gama dê o seu aval, Inês de Medeiros terá direito a uma viagem de avião de ida e volta, na classe mais elevada, uma vez por semana entre Paris e Lisboa, que ronda os 1160 euros. Ao fim do mês, são 4640 euros, acrescidos de despesas com as ajudas de custo pagas aos deputados que residem fora da grande Lisboa (69, 19 euros por cada dia de presença em trabalho parlamentar), o que, multiplicado por 22 dias úteis, representa 1522,18 euros. Ou seja, estão em causa 6162, 18 euros, a que se juntam ainda as despesas com a deslocação entre o aeroporto e a residência da deputada.

(...)

A Inês que vá a pé



Facebook A Inês que vá a pé


Juntar todos os que não concordam com o pagamento de viagens e ajudas de custo à Inês de Medeiros

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Linda-a-Velha, 2010 (12)

No dia-a-dia


1. Parque infantil do Jardim D. Pedro V, na Av D Pedro V


Este parque infantil, - assim como vários outros - encontra-se encerrado desde que a inspecção passou a ser feita pela ASAE. Entendeu a CMO, no sentido de evitar multas decorrentes de uma mais rigorosa legislação, encerrar estes espaços até que tudo esteja revisto e de acordo com as novas exigências.

Acontece que este pequeno parque é um caso sui generis. Tem duas cancelas; uma fechada com corrente e cadeado e outra aberta. O aviso de encerramento e proibição de uso temporário também desapareceu o que permite que lá haja crianças a brincar acompanhadas dos respectivos adultos.

Atempadamente avisei a CMO mas fica a questão: Está aberto ou está fechado?



2. Jardim das Tílias


Há muitos meses, nem sei bem precisar quantos, a bica de água junto ao parque infantil deixou de ter água. Esse facto foi divulgado no OL por um dos leitores e por mim comprovado, novamente, no dia de ontem.

Creio não ser demais lembrar que no actual bebedouro, de metal feito, domina a ferrugem aqui. Este bebedouro veio substituir um de pedra que não apresentava (à vista) qualquer deficiência e ainda tinha a vantagem de ter na base um pequeno recipiente onde as muitas aves existentes no local podiam matar a sede.

Numa das fotos do link acima é visível o local junto ao bebedouro onde estava o recipiente para as aves.

Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F


segunda-feira, 19 de abril de 2010

Lisboa/Contentores: Ministério Público pede "anulação e nulidade" da prorrogação do contrato de concessão - APL


Lisboa/Contentores: Ministério Público pede "anulação e nulidade" da prorrogação do contrato de concessão - APL - Notícias Lusa - SAPO Notícias


19 de Abril de 2010, 20:16
Lisboa, 19 abr (Lusa) - A Administração do Porto de Lisboa (APL) revelou hoje que o Ministério Público interpôs uma ação judicial para pedir a "anulação e a nulidade" da prorrogação do contrato de concessão do terminal de contentores de Alcântara.

"O Ministério Público interpôs uma ação junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa onde requer a anulação e a nulidade do aditamento ao contrato de concessão celebrado em outubro de 2008", refere uma declaração oficial da APL enviada hoje à agência Lusa.

Segundo aquela entidade pública, a iniciativa "questiona a base XII do decreto-lei n.º 188/2008, que diz respeito ao prazo do contrato de concessão", celebrado entre a APL e a Liscont, pertencente ao grupo Mota-Engil.

domingo, 18 de abril de 2010

Conheça o processo de Figo no caso Taguspark

Conheça o processo de Figo no caso Taguspark

Facebook | Dafundo a Vila

Facebook Dafundo a Vila

Assine na Junta de Freguesia da CQD

Da caixa de comentários

José António Baptista deixou um novo comentário na sua mensagem "Vale a pena reclamar":

Com base no Priberam online, AQUI:

curtir - Conjugar
(origem controversa)
v. tr.
1. Preparar (peles, couros) para os tornar imputrescíveis.
2. Remolhar (matérias têxteis) para as abrandar e lhes poder separar as fibras.
3. Conservar (alimentos) em líquido adequado. = curar
4. Queimar a pele por exposição ao sol ou ao vento.
5. Fig. Suportar sofrimento ou situação penosa. = aguentar, padecer, sofrer
6. Fig. Tornar mais forte, mais resistente. = calejar, endurecer
7. Infrm. Ressacar.
v. tr. e intr.
8. Infrm. Sentir prazer ou satisfação. = deleitar-se, gostar
9. Infrm. Trocar carícias sexuais.

Proponho:

1. Torna as tuas peles imputres no Verão de Oeiras;

2. Remolha as fibras no Verão de Oeiras;

3. Cura as carnes no Verão de Oeiras;

4. Queima a cútis no Verão de Oeiras;

5. Aguenta-te no Verão de Oeiras;

6. Caleja-te no Verão de Oeiras;

7. Ressaca no Verão de Oeiras;

8. Deleita-te no Verão de Oeiras;

e o delicioso:

9. Troca carícias sexuais no Verão de Oeiras!

Que tal?! É só escolher.

zetolas
[ um copy-writer ao serviço dos pacóvios ]

p.s.( o outro ): Pagamentos só por transferência bancária para o meu NIB.

Abreijos,

Meteo: Portugal continental sob aviso amarelo devido à previsão de trovoadas e aguaceiros localmente fortes - IM - Notícias Lusa - SAPO Notícias



sábado, 17 de abril de 2010

Sócrates dá reprimenda a ministra Ana Jorge

Sol

Saúde
Ana Jorge – que revelou, numa entrevista à SIC na semana passada, ser muito difícil implementar determinada medida – recebeu, no dia seguinte à entrevista, um telefonema do primeiro-ministro, que lhe relembrou que a unidose está no Programa do Governo e exigiu o cumprimento da promessa, sem hesitações

***

E se ligássemos para o primeiro-ministro e exigíssemos o cumprimento - sem hesitações - das promessas eleitorais constantes dos programas do PS?

Vale a pena reclamar

O Português de Oeiras melhorado


Já aqui me referi a este assunto em 10 de Junho de 2009, "O Português de Oeiras" e como o assunto também tinha sido divulgado, em 6 de Maio de 2009, no programa “Nós por Cá” da SIC, onde fora mostrada a foto do tal cartaz da nossa Câmara Municipal de Oeiras

Acabo de ser surpreendida pela positiva: na entrada do Mercado de Algés (e penso que deve haver em mais outros locais) o convite está agora feito numa linguagem mais portuguesa


No entanto, continuo a defender que para se conquistar os jovens não é preciso utilizar linguagem básica (curte), mas devemos aproveitar todas as situações para nivelar “por cima”. Talvez um dia alguém na Câmara Municipal de Oeiras encontre outra palavra incentivadora para os nossos Jovens. E se cada um de nós sugerisse uma alternativa ao “curte”?

Taguspark funciona de forma irregular

Taguspark funciona de forma irregular - Sociedade - PUBLICO.PT

A actual administração do Taguspark, um parque tecnológico, em Oeiras, não tem convocado o conselho científico da instituição para aprovar os investimentos feitos pela empresa, como obrigam os estatutos da sociedade.

Público - Quercus condena abandono da recolha porta a porta em Oeiras


Público - Quercus condena abandono da recolha porta a porta em Oeiras



Os ambientalistas falam num "importante recuo ambiental" e aguardam há um ano pelos estudos técnicos na base da decisão

Sócrates já parece um anúncio do Pingo Doce

Sócrates já parece um anúncio do Pingo Doce - Opinião - Correio da Manhã

16 Abril 2010 - 00h30
O Cronista Indelicado

A vida de José Sócrates está cada vez mais parecida com aqueles anúncios antigos do Pingo Doce que diziam: "Frango congelado com ervilhas a 2 euros e 35 cêntimos. Esta semana, só no Pingo Doce." Com o nosso primeiro-ministro dá para fazer a mesma coisa. Por exemplo: "Apoio de Luís Figo ao primeiro-ministro por 750 mil euros. Esta semana, só em Portugal." E da mesma forma que na semana seguinte o frango dava lugar à pescada e as ervilhas à batata cozida, o apoio de Luís Figo pode ser substituído pelo mais recente detalhe do processo Face Oculta que tenha saído do forno, ou qualquer um dos 937 casos duvidosos em que o nome do primeiro-ministro esteja envolvido. Sócrates é hoje um supermercado de histórias manhosas, onde cada um de nós pode pegar na sua favorita, levar para casa e consumir ao jantar.

O caso de Luís Figo é apenas mais uma batatinha neste indigesto cozido à portuguesa. Segundo o Ministério Público, o jogador só se escapa de ser acusado de corrupção por desconhecer – bendita ignorância – que o Taguspark era composto por capitais maioritariamente públicos. De resto, é dado como certo que o seu apoio a José Sócrates foi comprado (com o dinheiro a ser depositado numa empresa offshore, o que fica sempre bem). O MP terá com certeza indícios para sustentar esta posição, mas bastava ter lido a famosa entrevista de Luís Figo ao ‘Diário Económico’, em Agosto do ano passado, para que o cheiro a esturro entrasse de rompante pelo mais ingénuo nariz. Tudo aquilo era tão ostensivamente combinado, todas as respostas tão ensaiadas, que os boys de José Sócrates, na ânsia de agradar ao chefe, nem se deram ao trabalho de apagar as pistas. E lá temos o nosso primeiro-ministro envolvido em mais uma trapalhada que o deveria pôr no olho da rua. Esta semana, só em Portugal.

(...)

Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F


Notícias País Exclusivo SIC: "Manso é a tua tia, pá!", reage Sócrates a Louçã 16-04-2010 | Vídeos Notícias | SIC Online

Notícias País Exclusivo SIC: "Manso é a tua tia, pá!", reage Sócrates a Louçã 16-04-2010 Vídeos Notícias SIC Online

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Projectos de milhões anunciados por Sócrates ainda não saíram do papel - Economia - DN

Projectos de milhões anunciados por Sócrates ainda não saíram do papel - Economia - DN

Dos 11 projectos classificados como de Potencial Interesse Nacional (PIN), anunciados em Janeiro de 2008 para o Alentejo, ainda nenhum foi inaugurado. E na área de Alqueva, que chegou a ser apresentada como um novo destino turístico, apenas o de José Roquette está a dar os primeiros passos.

Contrapartidas pelo apoio de Figo a Sócrates somam dois milhões - Política - PUBLICO.PT

Contrapartidas pelo apoio de Figo a Sócrates somam dois milhões - Política - PUBLICO.PT


Mais de dois milhões de euros. Este é o valor estimado das contrapartidas que Luís Figo e os seus sócios deverão beneficiar pelo apoio demonstrado pelo ex-futebolista à recandidatura do primeiro-ministro, José Sócrates, nas últimas eleições legislativas.
A contrapartida que mais se tem falado é um contrato de cedência da imagem de Figo à Taguspark (PÚBLICO (arquivo))

Nova escuta compromete Sócrates no caso Figo

Sol

Face Oculta

Mensagens escritas e escutas aos telefones de Armando Vara mostram que José Sócrates estava a par das negociações com Luís Figo para este o apoiar publicamente nas legislativas, avança a edição do SOL esta sexta-feira

quinta-feira, 15 de abril de 2010

"Desconhecia!"

Os casos são tantos que o disco rígido da memória vai ficando cheio. Mas ontem, num curto e rápido circuito pela blogosfera, relembrei que esta coisa da 'ignorância da lei' é um 'virus' que alegadamente parece afectar a grande família do (algum) PS. E vem isto a propósito de quê? Que José Sócrates e alguns membros do governo, - do qual era primeiro ministro - também invocaram desconhecimento da Lei ao serem apanhados a fumar num avião fretado pelo governo. Com a pequeníssima particularidade de que essa lei era filha desse mesmo governo.
E se nós, os outros, os que trabalham, e descontam, - porque a isso são obrigados - e ganham misérias, ou pouco menos que isso! e não têm contas em offshore, e fazem o pino e três cambalhotas para pagar a hipoteca do 'T qualquer coisa', passássemos a usar do mesmo ardil, ou seja, do subterfúgio do desconhecimento da lei? Será que pegava?! Alguém quer tentar e dizer como foi?

Taguspark: Figo não foi acusado por mera questão técnica
Ministério Público não tem dúvidas de que ex-jogador negociou e recebeu contrapartidas

Foi bonita a festa, pá!



Foi bonita a festa, pá! - Opinião - Correio da Manhã

15 Abril 2010 - 00h30
Diário da Manhã

Os submarinos submergiram, o champanhe voltou ao frigorífico e os socialistas estão de novo nas barricadas a proteger o senhor engenheiro relativo.

Nestas coisas de justiça lusa, o melhor mesmo é ser-se muito prudente. Cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém. De um dia para o outro saíram acusações de corrupção passiva a três boys do Largo do Rato e o próprio partido do senhor engenheiro relativo está a ser investigado por suspeita de financiamento ilícito.

É por isso compreensível que a alegria provocada pelos submarinos, com o CDS no fio da navalha, tenha dado lugar a uma natural aflição. E é ainda mais compreensível que PS e PSD tenham adiado a comissão de inquérito às contrapartidas dos negócios militares. Quem come milhões, teme sempre indigestões.



António Ribeiro Ferreira, Jornalista

Urgências

Urgências - Opinião - Correio da Manhã

15 Abril 2010 - 00h30
Da Vida Real

Os Serviços de Urgência (SU) são, constantemente, tema de notícia e de preocupação de todos nós. Notícias recentes dão-nos conta de que há cerca de 50 000 reclamações de doentes e/ou familiares por ano no Serviço Nacional de Saúde (SNS), ou seja, perto de 140 por dia.
(...)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Modelismo - Oeste Model - Batalha do Vimeiro

Uma pausa nos Caminhos-de-ferro para ir espreitar modelismo no Vimeiro na zona Oeste. No contexto da Exposição Oeste Model ficou marcado um encontro como Sr. Vitor Mestre e o diorama das Batalhas Napoleónicas.

Para ver:

http://www.webrails.tv/arquivoVideo/modelismo/oesteModel/batalhasNapoleonicas.htm


Uma nota de agradecimento à Oeste Model e ao Sr. Vitor Mestre.

--

A Fundação Museu Nacional Ferroviário vai promover dia 20 de Maio, inserido na reunião Nacional do Projecto Europeana Local que visa a agregagação de conteúdos culturais (texto, imagem, som e video), uma tarde de debate sobre a produção, gestão e agregação de conteúdos
culturais em Portugal.

Mais informação em: http://www.bit.ly/aPxZWW

--

Já estreou nos cinemas o Documentário "Páre, Escute, Olhe" de Jorge Pelicano sobre a linha do Tua.

O Trailer - http://bit.ly/aUIVR5

Via Rui Ribeiro

Taguspark pagou mais a Júdice que a Figo - Portugal - DN

Taguspark pagou mais a Júdice que a Figo - Portugal - DN

Administrador do Taguspark denunciou a Isaltino Morais contrato de 460 mil euros com o escritório de advogados PLMJ, de José Miguel Júdice. E também um patrocínio ao piloto Tiago Monteiro.

Autarca polivalente

video

Gestores da Taguspark esconderam de Isaltino valor do contrato com Figo

Gestores da Taguspark esconderam de Isaltino valor do contrato com Figo - Económico


Valor do contrato quase iguala lucros da Taguspark em 2009.

Os três elementos da Comissão Executiva do Taguspark que foram acusados de corrupção passiva esta semana no âmbito do caso Figo/Taguspark deram uma informação truncada a Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, accionista maioritário do parque tecnológico. Ao autarca foi dito que o valor do contrato a celebrar com o ex-futebolista era apenas de 300 mil euros, quando o encargo global envolvia 750 mil euros por três anos.

Vamos lá votar na Praia da Cruz Quebrada


Esqueçam quem nos governa e desgoverna, esqueçam os partidos, os movimentos, esqueçam o presidente da câmara e os presidentes das juntas de freguesia, esqueçam ódios e rancores e votem na Praia da Cruz Quebrada. O concelho de todos nós agradece.


Lembrem-se que o nosso voto pode servir para apelar às entidades competentes para a recuperar.

Praia da Cruz Quebrada

Imagem da net

Somos um país sui generis

Porque foi Figo ilibado no caso Taguspark? Económico

Na acusação concluída esta terça-feira, o ex-futebolista não consta da lista de três acusados que eram responsáveis da Taguspark por desconhecer que a empresa era detida por capitais públicos.

*****

Pensava eu que a ignorância da Lei não era desculpa... obviamente enganei-me! Desconhecia algo que pode ser extremamente útil aos cidadãos nas mais diversas situações.

Assim sendo, i.e., havendo alegados corruptores mas não corrompido parece que a coisa está desde já resolvida. Não acham?

terça-feira, 13 de abril de 2010

Oeiras está nomeada para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal

... perdão, para as 7 EX-Maravilhas Naturais de Portugal, com o fantástico areal da Cruz Quebrada.

A praia da Cruz Quebrada, em Oeiras, serviu hoje de cenário à apresentação da iniciativa “7 Ex-Maravilhas Naturais de Portugal” – um projecto que pretende mostrar “o que a natureza nos deu e os portugueses estragaram”, conforme explicou ao PÚBLICO Pedro Quartin Graça, um dos responsáveis da iniciativa.
Quarteira, Sines, Rio Trancão ou Vila Franca de Xira são outros dos exemplos que os responsáveis pelo projecto já incluíram no site 7exmaravilhas.net. A partir de agora, cabe aos cidadãos incluírem outras ideias no site e votarem nos locais que consideram ser “exemplos do efeito nefasto da acção do Homem sobre o património natural”. O movimento decorre até dia 13 de Junho. Nesta data serão apresentadas as 13 ex-maravilhas que ficaram entre as finalistas. As sete vencedoras vão ser conhecidas a 7 de Setembro.
(...)
Sobre a praia escolhida para o lançamento, Rui Cunha, fotógrafo e também responsável pela iniciativa, explicou que esta praia, no passado, já foi um local de férias e que a sua degradação progressiva tem vindo a agravar-se sem nada ter sido feito. “É um caso de natureza mal transformada”, disse.
Pode votar-se nesta nossa praia mais à frente em http://7exmaravilhas.net/

Portugal socialista ou Um Jardim no Deserto

Portugal socialista ou Um Jardim no Deserto

pequeno ensaio sobre a mediocridade
(...) uma historieta baseada num caso real ocorrido numa cidade norte-americana.

Siza Vieira entra no clube de elite da Academia Americana de Artes e Letras


Siza Vieira entra no clube de elite da Academia Americana de Artes e Letras

O arquiteto Siza Vieira foi nomeado membro honorário da Academia Americana de Artes e Letras, recebendo o título numa cerimónia que terá lugar a 19 de maio, em Nova Iorque, disse hoje à Lusa fonte do seu gabinete. A comunicação da instituição “já tem alguns dias” e o arquiteto deverá “estar presente” no evento, adiantou a mesma fonte.

Álvaro Siza Vieira e o japonês Fumihiko Maki foram os dois arquitetos escolhidos pela academia de 112 anos como membros honorários da categoria de artistas estrangeiros, revelou a Associated Press.

Imagem: Biblioteca Municipal de Viana do Castelo. Projecto de Siza Vieira

ARS PICTORICA: ARS PICTORICA (14): Bartolomeu Cid dos Santos & Going South at the CAMB

ARS PICTORICA: ARS PICTORICA (14): Bartolomeu Cid dos Santos & Going South at the CAMB

BARTOLOMEU REVISITADO NO CAMB

No próximo dia 18 de Abril de 2010, pelas 15h, Ars Pictorica promove uma "visita-tertúlia" à Exposição da obra de Bartolomeu Cid dos Santos (1931-2008), que se encontra patente no CAMB - Centro de Arte Manuel de Brito (sediado no Palácio Anjos, em Algés, muito próximo da estação de comboios, frente ao jardim).

segunda-feira, 12 de abril de 2010

ENCONTROU-SE

Cadela sem raça definida, porte médio, pelagem preta

Foi encontrada no Paredão de Santo Amaro de Oeiras, no sábado à tarde, dia 10.4.2010

Contacto: 91 474 4542 - 21 340 8360
marialimamayer@hotmail.com

Pedro Passos Coelho no programa «Sinais de Fogo»

Entrevista a Pedro Passos Coelho no programa "Sinais de Fogo"

Hoje na SIC às 21h00

Rever Constituição já

Rever Constituição já - Política - Correio da Manhã

12 Abril 2010 - 00h30
Congresso: PSD entronizou Pedro Passos Coelho em Carcavelos

São oito meses para rever a Constituição da República, antes das eleições presidenciais. É esta a intenção do novo líder do PSD, Pedro Passos Coelho. O presidente laranja, que ganhou em toda a linha nos órgãos partidários ao superar os 85 por cento na comissão política no congresso do partido, encerrou ontem a reunião magna a falar aos portugueses. E nem mencionou uma única vez o nome de José Sócrates. No final, ainda contou com a antecessora, Manuela Ferreira Leite, que classificou o discurso de "grande esperança".

domingo, 11 de abril de 2010

O faroeste



O faroeste - Opinião - Correio da Manhã

11 Abril 2010 - 00h30
A voz da razão

Viva o faroeste! Para quê perder tempo e dinheiro com julgamentos, condenações e lamentáveis masmorras? Uma sociedade de adultos é uma sociedade capaz de puxar o gatilho sem a intromissão do Estado. E o novo Código de Execução de Penas, aprovado pelo PS, é um incentivo ao tiroteio que faria as delícias de John Wayne.
A partir de amanhã, qualquer criminoso, independentemente da natureza do crime, poderá sair da cadeia com um quarto da pena cumprida. ‘Pena’, aqui, é eufemismo: se o criminoso violou ou matou, por exemplo, terá cinco anos para descansar da excitação antes do regresso triunfal às pradarias lusitanas. Momento em que as vítimas, ou os familiares das vítimas, estarão à espera dele, prontas para ajustar contas e desfrutar de igual período de férias.

O novo código é um convite ao crime pela tolerância do crime. E não se entende por que motivo o PS não vai mais longe, abolindo de uma vez por todas o sistema judicial e promovendo a construção de saloons (com portas bang-bang) e, pormenor fundamental, bebedouros para as montadas. A seu tempo.



João Pereira Coutinho, Colunista

CDS-PP propõe “emendar erros graves” do Código de Execução de Penas

CDS-PP propõe “emendar erros graves” do Código de Execução de Penas - Política - PUBLICO.PT

O CDS-PP defendeu hoje que o novo Código de Execução de Penas é “um ultraje às vítimas” e propôs alterações que visam garantir que só o juiz pode determinar a colocação dos presos em regime aberto no exterior.

sábado, 10 de abril de 2010

PPA acusa Ministra de “fazer um favor ao lobby das touradas”

PPA acusa Ministra de “fazer um favor ao lobby das touradas” - Notícia Sapo - SAPO Notícias

A petição contra a criação da secção de tauromaquia no Conselho Nacional de Cultura (CNC) conta com mais de 8 mil assinaturas, incluindo a do musicólogo Rui Vieira Nery, membro do CNC. O Partido pelos Animais acusa a Ministra da Cultura de estar a “fazer um favor ao lobby das touradas”.

PSD

XXXIII CONGRESSO DO PSD

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Mas que mundo é este?!

.
Mãe devolve filho adoptado com apenas um bilhete - JN

Um menino russo, adoptado por uma cidadã norte-americana, foi devolvido a Moscovo. Sozinho, num voo intercontinental, [com transbordo] com uma carta a dizer que afinal a “mãe” já não o quer.

Autarquias concentram quase 90% da corrupção em Portugal

Autarquias concentram quase 90% da corrupção em Portugal


Estudo sobre corrupção participada no país identificou a origem do mal: poder local. Os homens são mais corruptos que as mulheres

Licença de cão

Licença de cão - Opinião - Correio da Manhã

09 Abril 2010 - 00h30
A Voz da Razão

Quem quer chegar longe em política, nunca se esquece de ter licença de cão. Mesmo que não tenha cão. A frase pertence a uma amiga, que a citou nos últimos dias. Por causa das ‘casinhas’ da Guarda.

As construções que o jovem Sócrates assinou são esteticamente aberrantes? Facto. Mas elas não destoam da média nacional: o país que treme de gozo com semelhantes mostrengos é o mesmo que não tem por hábito olhar-se ao espelho e contemplar a sua miséria patrimonial. O problema das casinhas não é estético; nem sequer é ético, no sentido elevado do termo: assinar uns projectos por amigos (sem cobrar um tostão, claro) faz parte da informalidade nativa. E nunca o deputado Sócrates, em exclusividade parlamentar, imaginou que as ‘casinhas’ e outros ‘casinhos’ fossem reprováveis. Porque nunca o deputado se imaginou primeiro-ministro. Quem se imagina primeiro--ministro, não descura o passado com tamanha displicência. Compra licença de cão, mesmo que não tenha cão. O espanto que o eng. Sócrates sentiu quando chegou a S. Bento só é comparável ao nosso por ainda o vermos lá.



João Pereira Coutinho, Colunista

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Oeiras, Lisboa, Lixos e Alguns Tontos

FIM DA RECOLHA PORTA-A-PORTA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS EM OEIRAS


Confesso que não fiquei surpreendido ao ler o comunicado do Presidente da CMO.

Faltava a última peça deste triste puzzle para completar a justificação da alteração do sistema de recolha de RSU do nosso concelho que tantos e tantos recursos vai consumir e tanta falta fazem nas Freguesias.

Decorridos 12 meses desde que este processo começou a ser desenhado algumas das justificações apresentadas:

1. Roedores nas casas-do-lixo;

2. Reclamações de munícipes;

3. Cheiros nauseabundos;

4. Fechaduras que não abrem;

5. Emissões de Co2;

6. Falta de pessoal;

7. Veículos de recolha que não circulam nas pracetas (desenhadas pelos promotores mas autorizadas pelo D.Urbanismo);

8. Valores baixos de recolha de recicláveis.

9. Etc, etc.

Faltava a contaminação dos recicláveis…

Nós os Oeirenses devemos ser uns tontos e de hábitos pouco civilizados pois não soubemos reciclar se comparados com os nossos vizinhos de Lisboa e agora vamos ser castigados com a instalação de contentores e mais contentores por todo o concelho nas actuais e novas urbanizações.

Os Lisboetas estão a fazer precisamente o contrário e a poupar milhões e milhões de euros em instalação de contentorização enterrada e de todo o negócio à volta deste sistema (alguém duvida que é um negócio?).

Lisboa apostou forte na recolha porta-a-porta nos últimos anos e com resultados que se orgulha de apresentar de forma transparente no seu site (ver aqui).

Em Lisboa são os responsáveis e técnicos da respectiva divisão de recolha de RSU que de forma legível assinam os comunicados à população, apresentam dados estatísticos e respectivos estudos (ver aqui).

Em Oeiras são os políticos que assumem posições e decisões sem dados ou estudos que convençam os munícipes. Gostaria de ter visto em anexo a este comunicado os números da poupança ao erário público que esta alteração nos vai trazer assim como os ganhos na eficiência de recolha de recicláveis.

Existem mais algumas coisas surpreendentes neste comunicado. Invoca-se a Tratolixo como entidade que terá reportado a contaminação dos recicláveis do Concelho, no entanto julgo saber que desde Junho de 2008 que a Valorsul iniciou uma prestação de serviço à Tratolixo na triagem dos materiais do fluxo de embalagens. Ora, se a Valorsul tem como exemplo Lisboa que está ampliar o sistema de recolha selectiva porta-a-porta (tendo como objectivo a médio prazo o concelho todo) algo de errado, de novo, se passa com os argumentos da CM Oeiras.

Teria sido mais razoável solicitar-se aos Oeirenses uma evolução/adaptação no sistema de recolha selectiva porta-a-porta existente do que puramente eliminá-lo.

No meio disto tudo, no final do comunicado da Câmara, referem-se prémios recebidos à custa da recolha selectiva.

Soa a propaganda em fim de linha.

Este tipo de distinções nunca mais vão poder acontecer.