sexta-feira, 22 de agosto de 2014




Imagem Google


sexta-feira, 18 de julho de 2014




Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés

Publicado no Jornal Costa do Sol, Oeiras em 16.7.2014




quinta-feira, 17 de julho de 2014





Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés publicado no Diário de Notícias a 17.7.2014


quarta-feira, 9 de julho de 2014

Portugal e o prefixo "re"




Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés

Jornal Público de 8.7.2014


terça-feira, 8 de julho de 2014

A QUEBRA DA NATALIDADE





Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés

Diário de Notícias de 6.7.2014


quinta-feira, 3 de julho de 2014

Sophia de Mello Breyner Andresen



Esta  Gente

Esta gente cujo rosto
às vezes luminoso
E outras vezes tosco

Ora me lembra escravos
Ora me lembra reis

Faz renascer meu gosto
De luta e de combate
Contra o abutre e a cobra
O porco e o milhafre

Pois gente que tem
O rosto desenhado
Por paciência e fome
É gente em quem
Um país ocupado
Escreve o seu nome

E em frente desta gente
Ignorada e pisada
Como a pedra do chão
E mais do que a pedra
Humilhada e calcada

Meu canto se renova

E recomeço a busca
De um país liberto
De uma vida limpa
De um tempo justo

Do livro GEOGRAFIA, 1967


Livraria-Galeria Municipal Verney






MISCELÂNEA




Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés de 2.7.2014 do Jornal Costa do Sol - Oeiras


terça-feira, 1 de julho de 2014

terça-feira, 24 de junho de 2014

Isaltino Morais em liberdade condiciomal



Porque é que Isaltino Morais não podia ser libertado, e cumprir a restante pena em liberdade condicional, a exemplo de tantos outros casos neste país? Eu sei que sou leiga mas não percebo o duplo padrão e o sururu...

sábado, 21 de junho de 2014

EDITAL Nº 15/2014




Enviado por Maria Clotilde Moreira, Algés


quarta-feira, 18 de junho de 2014

AS MARGENS





Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés

Jornal da Costa do Sol - Oeiras, de 18.6.2014


domingo, 15 de junho de 2014

A.M.O. Edital Nº 14/2014





Ficheiro enviado por Maria Clotilde Moreira, Algés


sábado, 14 de junho de 2014

FUTEBOL, FESTIVAIS, FRAUDES





Futebol, festivais e fraudes  

Estes são os três FF que há tempos estão a animar o nosso País. O futebol já enchia os ecrãs da TV e agora aumentaram o número de comentadores: todos falam horas do ponta de lança, do guarda rede e mais o avançado e dos escolhidos pelo seleccionador (…) que já pode contar com os todos os seleccionados. Fazem futurologias durante horas sobre o campeonato que nos irá entreter via Brasil.
Depois temos os festivais musicais de Norte a Sul do País que enchem as páginas dos jornais e na TV vamos vendo os milhares de jovens e menos jovens que durante horas gritam e saltam de braços no ar. (…) E, apesar dos relatos que são passados nos quererem transmitir muita “alegria” há muito mais barulho agressivo do que música verdadeira.
E por fim o terceiro F de fraudes. Por muito pouco que venha nos jornais e nos noticiários, por muito cuidado que a comunicação social tenha, há cada vez mais noticias sobre comportamentos inadequados de altos figuras públicas. E os roubos, os desvios, a apropriação de meios públicos em benefícios próprios são relatados com frequência. Fora o que não sabemos. (…) Há casos que às vezes chegam à justiça mas as leis e os recursos estão montados para deixar ir andando, até prescrever.


Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés, publicado no Público de 12.6.2014 




quarta-feira, 4 de junho de 2014

terça-feira, 3 de junho de 2014

domingo, 1 de junho de 2014

NO DIA DA CRIANÇA




Notícias do Jornal

Cinco milhões de crianças
Morrem de fome, todos os anos.

E morrem outras tantas
De armas nas mãos
Obrigadas
Exploradas
Cansadas
Abandonas!

Assim vão morrendo
as crianças do nosso Mundo,
porque elas só têm lágrimas
para nos incomodar.

Escândalo!, diz o jornal
Coitadinhas, dizem outros...
Resolver é difícil:
Há que vencer barreiras
E os que podem
Têm mais que fazer...

O que vale uma criança?
Não é ouro nem petróleo
Apenas um corpinho que chora...


Maria Clotilde Moreira / Algés
 

quarta-feira, 28 de maio de 2014

sexta-feira, 23 de maio de 2014

HOJE SOU DO CONTRA






 Jornal da Costa do Sol de 21.5.2014
 

Imobiliário - Suplemento do PÚBLICO





No Jornal Público 

(...) “Claro que uma certa tendência que parece que está a acontecer na nossa baixa lisboeta da transformação dos devolutos em hotéis não deve ser a salvação; devem ter o bom senso de manter habitação de modo a que a nossa cidade, as nossas cidades tenham vida.“

Artigo de Maria Clotilde Moreira, Algés
 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Falar, ver e fazer fotografia





22 Maio . Quinta . 19h30

Centro de Arte Manuel de Brito . Palácio Anjos . Algés

Nesta primeira sessão de um novo ciclo dedicado à fotografia, um encontro com Alexandre Almeida, no qual o fotógrafo apresenta o seu trabalho e conversa com o público.
 

Entrada livre
Informações
tel. 214 404 829 . foto30dias@cm-oeiras.pt
 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

CONFERÊNCIAS DE PRIMAVERA EM HISTÓRIA DA CARTOGRAFIA




A CORRESPONDÊNCIA DE FRADIQUE MENDES (MEMÓRIAS E NOTAS)



OS CORTES POR FAZER





Artigo de Maria Clotilde Moreira,  Diário de Noticias de 13/5/2014

SÃO SÚBIDAS, NÃO SÃO AUMENTOS




Artigo de Maria Clotilde Moreira, Diário de Noticias de 6/5/2014

MADRUGADA DA POESIA - BIBLIOTECA OPERÁRIA OEIRENSE


MADRUGADA DA POESIA

SEXTA-FEIRA, 23 DE MAIO 2014
A partir das 21 HORAS na


BIBLIOTECA OPERÁRIA OEIRENSE


Maio já vai entrado e cá estamos nós a marcar encontro para a Madrugada da Poesia na Biblioteca Operária Oeirense, em Oeiras.

Este ano vamos ter uma novidade com horizonte à vista.

Se gosta de poesia, se a declama, se a escreve, ou até mesmo se a canta, venha participar e prepare-se porque vai ser assim:

    1 - Cada participante deve trazer o poema de um outro autor e que seja o poema da sua vida. É difícil a escolha, nós sabemos, mas a vida constroi-se com elas.
    2 - Cada participante deve trazer um poema seu para uma eventual edição de um pequeno volume de poemas.
    Inscreva-se desde já na Biblioteca Operária Oeirense
    das 15 às 19 horas telefone 214426691(dias úteis) ou Sábados das 9h às 13h.
    Rua Cândido dos Reis 119 Oeiras

    As leituras far-se-ão, numa primeira ronda, por ordem de inscrição.
    Para que as forças não esmoreçam noite fora, vamos precisar de uma pausa para retemperar e alimentar também o corpo. Por isso traga o seu contributo. Pode ser a sua especialidade ou talvez não, mas é seguramente para partilhar.

    NÃO FALTE E TRAGA OS AMIGOS!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

terça-feira, 29 de abril de 2014

Algés no seu melhor – continuação




Nada melhor que ir à fonte. Hoje fui à Assembleia Municipal e um Deputado Municipal perguntou ao Vice-Presidente da CMO (o Presidente não estava) a razão do lixo que estava a invadir Algés assunto que tinha sido referido por moradores, ontem, na Assembleia da União das Freguesias.
O que eu percebi foi: há problemas nos carros de recolha – estão 5 avariados, mas entretanto está a ser finalizado o processo de aquisição de 8 novas viaturas.

Minha extrapolação: corre que material circulante como comboios e autocarros estão sem manutenção adequada o que além de qualquer dia pararem pode colocar em risco a segurança. Será que é a troika que proíbe que existam empresas especializadas em peças sobresselentes?  Neste caso será que a CMO não cuidou da manutenção a tempo e horas? Enfim, aguardemos pelas novas viaturas. Até lá… 
 
 

segunda-feira, 28 de abril de 2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

25 de Abril




Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'O Nome das Coisas'
 

Tema(s): Revolução  

MARIA HELENA VIEIRA DA SILVA - 25 de ABRIL de 1974



JOSÉ AFONSO - Grândola



quarta-feira, 23 de abril de 2014

EU FALO ESCREVENDO



Artigo de Maria Clotilde Moreira / Algés publicado no Jornal Público hoje 23 de Abril


José Pacheco Pereira


Grande JPP!


Pacheco Pereira
Pensaram sempre em atacar salários, pensões, reformas, rendimentos individuais e das famílias, serviços públicos para os mais necessitados e nunca em rendas estatais, contratos leoninos, interesses da banca, abusos a cartéis das grandes empresas. Pode-se dizer que fizeram uma escolha entre duas opções, mas a verdade é que nunca houve opção: vieram para fazer o que fizeram, vieram para fazer o que estão a fazer.


"Isto já não é um Governo, é um amontoado de gente tratando da sua vidinha"

terça-feira, 22 de abril de 2014

“Há Prova em Oeiras”


Temos o prazer de convidar V. Exª para a iniciativa “Há Prova em Oeiras” que decorrerá no Palácio Marquês de Pombal, nos dias 2, 3 e 4 de Maio (6º feira, sábado e domingo) de 2014.

Para mais informações contactar Posto de Turismo de Oeiras (21 440 87 81)

Com os cumprimentos

Centro Cultural Palácio do Egipto
Rua Álvaro António dos Santos
2780-182 Oeiras
Tel.: 21 440 83 91 (CCPE) / 21 440 87 81 (Posto de Turismo de Oeiras)
 
 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

30 anos em Abril 2004



30 anos em Abril 2004



Vivia-se vivendo cada dia

à espera de mudança,

Cada ultrapassagem era bálsamo

era alimento da Esperança



E a Esperança era palavra de ordem,

Muitos lutavam

Muitos perdiam

Muitos desesperavam

E a Esperança era palavra de ordem.



E uma madrugada ouviu-se uma canção:

“E depois do adeus”      foi

“Grândola vila morena”



O povo explodiu e muitos gritaram:

Já vi a cor da Liberdade.

Há trinta anos que a terra gira

com a luz da Liberdade.

Mas tem tardado que a esperança

seja certeza,

que o hoje

seja pronuncio de amanhãs que cantam,

que as nossas crianças tenham futuros de mel.

Há tanto por fazer ainda...

Vamos continuar!


Poema de Maria Clotilde Moreira / Algés

LOPES GRAÇA - ACORDAI


quinta-feira, 17 de abril de 2014

quarta-feira, 16 de abril de 2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

sábado, 12 de abril de 2014

DESABAFO





Ponto 5 do Edital 9/2014 – Assembleia Municipal em 15 Abril. (NO Oeiras Local em 4 de Abril 2014)

Esta imagem é de um dos imóveis que está às moscas. Quem terá lucrado com esta construção? Era bom que a população pudesse estar presente nesta Assembleia e que tivesse disponibilidade para aprofundar e acompanhar os “elefantes” já prontos e aqueles que ainda desejam construir. E há tanta coisa por fazer neste Município de Oeiras.