domingo, 30 de novembro de 2008

A nova oportunidade que a Ministra não pode ter

Quando a ministra da Educação ensaiou as primeiras arremetidas de destruição massiva da escola Pública, muitos elogiaram a "determinação" e até o presidente da República lhe deu suporte expresso.

Quando os primeiros protestos surgiram, muita imprensa os silenciou e vários comentaristas os depreciaram.

Quando os professores e os seus sindicatos disseram que o modelo de avaliação do desempenho era inexequível, para além de inaceitável, o primeiro ministro veio à liça, mentiu e lançou lama sobre os professores.

Quando os 100.000 saíram à rua, o país interrogou-se.

Quando a plataforma sindical assinou o memorando para salvar as escolas e o caos em que o fim do ano lectivo de então estava mergulhado, a ministra salvou-se.

Quando a ministra respondeu agora, cínica e autista, aos 120.000 que lhe disseram não, condenou-se. Não pode ter segunda oportunidade.

O país está hoje esclarecido. Foram três anos de tempo perdido, de retrocesso, de injustiças, de atropelos à lei e a aquisições civilizacionais básicas. É tempo de fazer o que tem que ser feito e não ceder.

As falsas vestais já se movem, seráficas, em beatíficos apelos à paz. Mas quem fez a guerra e a perdeu é que tem que ceder. Não deve ceder a força da razão. Deve ceder a razão da força.

Os professores não devem ter medo das ameaças. Complicada a situação que se criou? Sócrates está numa encruzilhada? Pois que se saia dela sem que os professores lhe abram o trilho da retirada.

A execução deste modelo de avaliação do desempenho tem que ser suspensa e o nado enterrado.

Ouvi Cavaco Silva, na abertura do ano lectivo da Escola Naval, dizer: "O meu apelo é este: que cada um faça um esforço para que a tranquilidade e a serenidade regressem às escolas. Pelo menos para desanuviar esta situação que existe de alguma tensão no sector."

A inflexibilidade do primeiro ministro e a bonomia do apelo à "serenidade de todos" devem-se entender nas reuniões da boa coexistência institucional de Belém. Mas não devem influenciar a determinação dos professores e dos seus sindicatos. A contenção que o Presidente da República advoga é por vezes difícil de entender.

Por exemplo, e para não nos afastarmos no tempo, independentemente da razão que julgo assistir-lhe, não foi contido no caso do estatuto dos Açores, que motivou até uma comunicação ao país. Mas já foi magnanimemente contido quando Alberto João lhe fechou a porta da Assembleia Regional e se remeteu a um silêncio ensurdecedor a propósito das diatribes que se seguiram à exibição do símbolo nazi. Devem os professores reflectir sobre isto e preparar-se para os passinhos de lã que, em nome dos interesses do Estado, se começam a ensaiar.

Não pode haver segunda oportunidade. Capitula quem perdeu. Não capitula quem ganhou.

Santana Castilho (Público)

Nossa Senhora do Carmo - Porto de Recreio de Oeiras

.

Sobre o assunto em epígrafe, (aqui) recebemos um comentário do Sr. Padre Nuno, o novo pároco de São Julião da Barra, com informações sobre a imagem da Santa que se encontra no Porto de Recreio de Oeiras e que tinha ficado com perguntas por responder. Por se tratar de um post antigo, e para os possíveis interessados, damos destaque às informações que nos foram gentilmente cedidas pelo Sr. Padre a quem agradecemos.


Olá! Sou o pe. Nuno, o novo pároco de São Julião da Barra, onde se encontra o Porto de Recreios de Oeiras.

A imagem referida é de Nossa Senhora do Carmo e está coroada para lembrar que Nossa Senhora é Rainha de Portugal desde o reinado de D. João IV.

A 8 de Dezembro do ano de 1640, oito dias apenas após a acção dos conjurados, que pôs fim à ocupação filipina e restaurou a independência de Portugal, D. João Duque de Bragança, no santuário da Imaculada Conceição de Vila Viçosa - onde se situa o Paço dos Duques de Bragança - foi oficialmente coroado como legítimo rei de Portugal. Num acto de fé e simultaneamente agradecimento pelo êxito da acção do dia 1 de Dezembro, D. João IV, colocou a coroa na imagem de Nossa Senhora da Conceição, declarando-a raínha de Portugal.
Desde então, não mais os reis de Portugal usaram coroa.

A imagem está muito bem colocada, virada para o mar, lembrando esta invocação tão antiga dos pescadores que aclamam a Virgem Maria como "Estrela do Mar"

[Foto: Fernando Lopes]

Falso juiz liberta assassinos



30 Novembro 2008 - 00h30

Fax enviado ao tribunal de Caminha
Falso juiz liberta assassinos



Era tudo aparentemente verdadeiro. O fax tinha o cabeçalho do Tribunal Judicial de Caminha onde corria o processo. A ordem era de libertação – e os dois reclusos, um casal espanhol prestes a ser julgado por homicídio qualificado e já com um vasto passado de violência e roubo, deveriam ser imediatamente libertados no âmbito do inquérito.
C.M.


Palavras para quê? É a melhor da semana!

sábado, 29 de novembro de 2008

sexta-feira, 28 de novembro de 2008















O Inverno chegou

O vento soprou
com força guinchou,
como nota desavinda
que se soltou
e sozinha cantou.

O vento soprou
E com força arrancou
o chapéu
que voou
e lá longe aterrou.

O vento soprou
e com força gritou:
o INVERNO chegouououou......



[Foto: da net]


Coisas de Algés – XXIX





As obras na Rua Damião de Góis até parece que estão a avançar bem pois a zona asfaltada, com ar de quase pronta, cresce todos os dias.

Pessoa amiga chamou a atenção para uma certa inclinação que os passeios têm em certas zonas (que eu pensei ser para facilitar o acesso à via) mas que poderia dificultar a segurança da mobilidade de alguma cadeira de rodas. Não vi mas garantiram-me que há pessoas a escorregar face ao polimento das placas. Amanhã irei fazer um reconhecimento mais cuidado, mas gostaria que os algesinos que aqui vêm dessem a sua douta opinião.


Será que esta boa correria para acabar as obras dentro do prazo é para contabilizar mais uma inauguração no ano que corre?
[Fotos: A.M.M.]

Notifiquem-se os arguidos

Opinião






2008-11-21
É um talento que costuma atribuir-se aos poetas, mas que têm todos aqueles, raros, que são capazes de "ver", e não apenas olhar. A blogosfera, porque é múltipla, e livre (por enquanto…), e contraditória, é um lugar privilegiado para "ver" o que o discurso e o olhar raso dos media tradicionais ocultam. Ficar-se hoje, em termos de informação como de opinião, por jornais e telejornais constitui a pior forma de cegueira. Em blasfémias.net dei ontem, de súbito, com algo de cuja dimensão, apesar de estar sob os meus olhos, nunca me apercebera: a vocação de queixinhas do ministro Santos Silva.

Num "post" assinado por jcd (meu Deus, mais um anónimo!, dirá Pacheco Pereira), enumeram-se 22 títulos ou notícias recentes de jornais em que o perplexo ministro "acusa" alguém ou alguma coisa: sindicatos, Manuela Ferreira Leite, PSD, CDS, Paulo Portas, "Jornal da Madeira", professores… Nunca contradiz, "acusa". Seguindo o conselho de um comentador, dei-me ao trabalho pesquisar no Google por "Santos Silva acusa" ou "Santos Silva acusou". 16 700 entradas! Se ninguém o nomeia intendente-geral é uma injustiça.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

POLÍTICO PASSE-PARTOUT

.

"Apoio" têm de apoiar, porque se não apoiar, não pode apoiar quem deve apoiar.
Mas ao apoiar apoios, eticamente duvidosos, fica sem o apoio daqueles que podem e devem apoiar a "Apoio". Obviamente não falamos do apoio daqueles que apoia, já que este é garantido pela necessidade.

O apoiar não é discriminar apoios. Apoiar é uma dádiva sem retorno contabilistico. Mais, a "Apoio" tem de apoiar todos aqueles que necessitam de apoio, independentemente de quem estes efectivamente apoiam.

Porém, devia bastar o apoio que faz às pessoas que apoia, para lhes ser devido o apoio institucional e reinvindicarem esse direito. Não era preciso apoiar quem lhe faculta o apoio institucional, numa troca mercantil de apoios.

E se não apoiasse os apoios, será que ficaria sem apoios?

E será que o apoio institucional cedido reconhece que o apoio que a "Apoio" dá, a quem lhes pede apoio, é socialmente útil e imprescindível ?

Frenéticos mercadores de carências e dependências, passivamente aceitaram que o PCMO os utilize, na sua estratégia de propaganda.

Agora podemos dizer que não há folheto, jornal, revista, do concelho de Oeiras em que o PCMO não apareça a dar a sua palavrinha de apreço. O Isaltino passe-partout, everywere and always.


Até uma instituição de Solidariedade Social, nesta teia insensata de servilismo, se obrigou no seu boletim n.º 1 - após vinte anos a apoiar a comunidade - a ter um artigo deste senhor.

Esta simples opção, torna uma instituição higiénicamente limpa, acéfala, amorfa e anémica. Agora, terão de ser tolerantes com a usurpação; terão de ser doces com a hipocrisia; terão de ser servis com a prepotência; terão de ser indiferentes à humilhação, terão de ser condescendentes com as necessidades e terão de ser permeáveis a pedidos.

Ficaram reféns, em vez de serem independentes, porque socialmente imprescindíveis.

E assim se tornaram perfeitos, aos olhos gulosos de um apoio, dado em troca de outro apoio.

Nem perceberam que a tristeza emanada de uma pose forçada para a foto, nos revela que são indiferentes à esperança e à dignidade.

Banco Português de Núpcias

.



Opinião- Ricardo Araújo Pereira



O divórcio de Oliveira e Costa foi o oposto do «golpe do baú»: o objectivo não é casar para ficar rico, é divorciar-se para enriquecer o cônjuge


É impressão minha ou o caso BPN fica mais enternecedor a cada dia que passa? Tem sido comovente desde o início, mas estes últimos episódios foram mais emocionantes que o fim de Casablanca. À semelhança do que costuma acontecer nas histórias tristes, esta também tem um inválido, como o Tiny Tim, do Dickens. O caso BPN tem, aliás, vários inválidos, e curiosamente são todos ceguinhos: o Banco de Portugal não viu que havia falcatruas, os administradores do banco não repararam que o presidente praticava um tipo de gestão que a lei, ao que parece, proíbe…
E agora estamos no ponto em que entra em cena a injustiça: Oliveira e Costa foi acusado de burla agravada, falsificação de documentos, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Quem o acusa de enriquecimento ilícito só pode desconhecer o seu desarmante altruísmo. Segundo o Correio da Manhã, em Março deste ano, Oliveira e Costa divorciou-se da mulher com quem era casado havia 42 anos, e passou os bens para o nome da senhora. Muito embora o divórcio se tenha realizado por mútuo consentimento, não deixa de ser admirável que um homem premeie a mulher de forma tão generosa na hora da separação. Trata-se do rigoroso oposto do «golpe do baú»: o objectivo não é casar para ficar rico, é divorciar-se para enriquecer o cônjuge. Que um homem tão desprendido dos bens materiais seja acusado daqueles crimes é simplesmente revoltante.
E é em alturas como esta que damos por nós a pensar que, quando os homossexuais tentam fazer pouco da nobre instituição do matrimónio, reivindicando o direito a casar, esquecem que o casamento não é uma brincadeira, nem um contrato sem significado que possa ser alargado às pessoas do mesmo sexo. O casamento é uma união sagrada entre um homem e uma mulher que partilham um projecto de vida comum, e essa união persistirá eternamente a menos que a polícia queira engavetar um dos cônjuges ao fim de 42 anos e levar-lhe a massa que ele acumulou indevidamente. Os homossexuais que não queiram vir corromper o instituto com que o Estado premeia as pessoas que formam o núcleo essencial da sociedade. Era o que faltava, vir essa gente conspurcar uma coisa tão bonita.
Mais do que fazer história no plano jurídico, na medida em que, pela primeira vez, foi preso um banqueiro em Portugal, o caso BPN pode fazer história no plano social: além do casamento por interesse, aparentemente acaba de se instituir o divórcio por interesse. Casar com um homem rico é um sonho do passado.
A ambição moderna é divorciar-se de um banqueiro. Sendo menos aviltante, consegue ser mais lucrativo.

Escândalo no Ministério da Educação

Isto é uma sem vergonha!!!

Deputados a professor titular!!!


Retirado da Ordem Trabalhos hoje ME / Plataforma:

Ponto 8. Acesso à categoria de Professor Titular para os Professores
em exercício de funções ou actividades de interesse público,
designadamente, enquanto Deputados à Assembleia da República
e ao Parlamento Europeu, Autarcas, Dirigentes da Administração Pública,
Dirigentes de Associações Sindicais e Profissionais.

Agora é que não percebo nada!
Mas agora já se pode 'atingir o topo'... mesmo estando 'fora' da escola?
Todas as mudanças que o ME quis fazer não foi para acabar com 'isso'?
Não ia ser titular apenas quem provasse, 'no terreno', a sua excelência?
Dizem uma coisa, fazem outra... a toda a hora!
Depois de se terem 'esquecido' dos que antes estiveram nessas funções, no primeiro concurso....: mais um concurso extraordinário? ou só conta daqui para a frente. E os «tristes» que ficaram para trás?
Tem que ser o tribunal a dar-lhes razão? E mais esta:
O novo 4º escalão será, provavelmente, para os 'Professores-titulares-avaliadores'.
Deste modo, cria-se um 'estatuto' diferente para quem é avaliador e foge-se às incompatibilidades de avaliador e avaliado concorrerem às mesmas cotas.
Quantos chegaram a titular por haver uma vaga na escola e não haver mais ninguém a concorrer! No entanto, escolas houve em que colegas com quase o dobro dos pontos não acederam a PT porque não havia vaga!
Há maior injustiça do que esta peça monstruosamente montada e maquiavelicamente posta em prática, que é a dos professores titulares.
Esta proposta é inaceitável.
Espero que professores e sindicatos estejam bem conscientes desta proposta que é verdadeiramente ofensiva, para não dizer outra coisa!
Tenhamos dignidade e não nos deixemos vender.

Esta é das respostas mais repugnantes jamais feitas por um governo.
Oferecem tachos a sindicalistas, boys e girls das direcções gerais dos vários ministérios, e surge uma tentativa de oferecer aos professores avaliadores um 'acesso' ao 4º escalão de titular.
*Chegamos ao limite da indecência e a resposta só pode ser uma*: revisão do ECD, anulação da divisão da carreira e combate total a esta avaliação.

DEVEMOS OBRIGAR OS SINDICATOS A REJEITAR
LIMINARMENTE ESTAS PROPOSTAS!

Silêncio da Comunicação Social ??

.
sob o título em epígrafe recebemos o seguinte email, cujas comparações nos deviam fazer pensar...

Tabela comparativa do preço do barril de petróleo e do preço do litro de gasóleo

Ano 2000
Câmbio U.S. Dólar $ - Euro € 1,2
Preço do barril de petróleo 60 $ = 72,00
Preço de 1 litro de gasóleo 0,65 €/Lt.

2 de Outubro de 2008
Câmbio U.S. Dólar $ - Euro € 0,68
Preço do barril de petróleo 95 $ = 64,60
Preço de 1 litro de gasóleo 1,26 €/Lt.

Descida do preço do barril de petróleo de 72,00 para 64,60 € = -10,28 %
Subida do preço do litro de gasóleo de 0,65 para 1,26 € = +193,86 %

*
Depois querem explicar-nos que não é bem assim!!!
Como não conseguimos 'compreender' isto, é porque somos estúpidos. (Digo eu…)
E qual a razão do silêncio da Comunicação Social???
Terá alguma coisa a ver com os milhões pagos em publicidade???

*Estudo comparativo feito por um amigo economista de meia-tigela, não considerando inflação*

- - - - - fim da mensagem - - - - -

quer-se dizer, o dólar amaricano desceu frente aos nossos parcos eurinhos... o barril do pitrol baixou mais de 10%... o gasóil subiu quase 200% - DUZENTOS...

crise, qual crise?!
perguntamos nós...
.

PONTOS DE VISTA






E A TERCEIRA LINHA?


É amplamente sabido que o portentoso conjunto de estruturas defensivas, planeado pelo que viria a ser duque de Wellington, para acautelar Lisboa de um previsível ataque, no quadro das chamadas Invasões Francesas, era constituído por três linhas. São as chamadas Linhas de Torres.
Havia uma lógica e coerência estratégica que, embora implantadas em espaços distintos e distanciados, as linhas funcionavam em articulação, como um todo. Qualquer delas correspondia a uma resposta à eventual evolução das posições dos exércitos no terreno. A cada cumpria uma função. A sorte das armas testaria a eficácia do sistema. E ele foi-o.
A linha mais a norte, a que se apoiava em Torres Vedras, desde o Tejo ao oceano, receberia o primeiro embate do exército invasor. Se ele a conseguisse transpor, teria de defrontar a segunda linha de fortificações, situada no paralelo de Mafra. Esta era decisiva. Se soçobrasse ao ataque, Lisboa estaria perdida. Mas as tropas britânicas, perante o insucesso, teriam de ser evacuadas. Para dar cobertura e segurança a esta retirada, lá estaria a terceira linha que se estendia entre os fortes do Junqueiro, em Carcavelos, e S. João das Maias, em Oeiras, com centro em S. Julião da Barra e o ponto mais avançado no forte da Figueirinha, a poente do actual Cemitério de Oeiras.
Para debater o valor patrimonial e a especificidade deste arrojado sistema militar defensivo, realizou-se em Arruda dos Vinhos, entre os dias 20 e 22 deste mês, o Seminário Internacional sobre a Importância das Linhas de Torres, numa iniciativa dos municípios de Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira, além do anfitrião.
Integrado no programa do seminário, foi inaugurado o “primeiro circuito de visita incluído na ‘Rota Histórica das Linhas de Torres’, projecto dinamizado por uma plataforma que congrega todos os municípios [sublinhado nosso] onde se implantam as fortificações: Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira”, segundo texto divulgado pela Câmara de Loures.
Afigura-se-nos pertinente colocar duas observações:
1.ª - Evocando-se as Linhas de Torres, o critério seguido está errado, pois exclui os municípios de Oeiras e Cascais. Esta marginalização não respeita a verdade histórica. Só faria sentido, se se reportasse às 1.ª e 2.ª linhas.
2.ª – Atendendo ao interesse histórico e patrimonial destas linhas defensivas, sem esquecer a conveniência do seu aproveitamento turístico, nomeadamente das que se situam nos concelhos de Oeiras e Cascais, não entendemos a ausência de participação destas duas autarquias na reunião internacional de estudo nem o seu afastamento do seu território dos itinerários da “Rota Histórica das Linhas de Torres”. Desinteresse ou desatenção destes dois municípios?

Jorge Miranda
jorge.o.miranda@gmail.com

Com os devidos agradecimentos do "Oeiras Local" ao Autor do artigo e ao "Jornal da Costa do Sol".

terça-feira, 25 de novembro de 2008

depois do Magalhães...

.


recebido via email
.

Coisas de Linda-a-Velha (14)

"Fresquinhas e Boas"


O famigerado, "mundialmente conhecido", muito estimado buraco do Nº3 da Avenida D. Pedro V (aqui) acabou de ser tapado. A esta hora ainda decorrem obras no local; a camioneta de alcatrão, desta vez em quantidade suficiente para permitir uma obra mais consistente, chegou para mais uns pequenos restauros no tapete. Falta calcetar o congénere paralelo no passeio.
Ao Senhor Presidente da JFLV os meus agradecimentos pelo empenho.


"QUEM CALA CONSENTE"



Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Uma em cada três mulheres é alvo de violência na sua vida

Tudo na maior das transparências

[Clique na imagem para ampliar]
in Jornal " Público " 23.11.2008
Depois de ler , umas quantas perguntas ocorrem à mente mas, a mais importante é sem dúvida: O que ganham as empresas ao pagarem a propaganda do Governo ?

Mercado de Natal Oeiras 2008

[Imagem que nos foi enviada pela organização do evento]

[Imagem que nos foi enviada pela organização do evento, hoje, 3.12.2008]



O Mercado Municipal de Oeiras adorna-se a rigor e anima-se, trazendo o espírito natalício ao Centro Histórico da Vila. De 28 de Novembro a 24 de Dezembro realiza-se o Mercado de Natal – Oeiras 2008, no Espaço de Exposições do 1º andar daquele espaço comercial. Durante os fins-de-semana e feriados, o evento estende-se ao Largo 5 de Outubro, proporcionando ainda mais variedade de escolha aos visitantes.


O Pai Natal desce à Vila de Oeiras trazendo a miúdos e a graúdos um leque de acontecimentos que antecedem a quadra.


Teatro, dança e música são algumas das animações que vão agradar aos visitantes, enquanto podem fazer as suas compras de Natal, adquirindo produtos, nacionais e internacionais, tais como artesanato, design, livros, brinquedos e doces entre outros. Para descansar e descontrair um pouco, os visitantes podem aproveitar para saborear um Chocolate Quente, um café, ou para petiscar algumas iguarias tais como farturas e castanhas, entre outras.


As crianças têm neste local um pequeno mundo imaginário de Natal e algumas actividades, sempre com a vertente cultural em primeiro plano. A par da sempre ambicionada presença do Pai Natal, no local haverá, por exemplo, um Atelier no qual um grupo de monitores vai ajudar a construir brinquedos, a fazer bolos e fantoches, escrever um carta ao Pai Natal e a realizar muitas outras ideias.


Durante a realização do Mercado de Natal em Oeiras, será feita a Recolha de Presentes, cujo destino é encher os sapatinhos de muitos meninos de Centros de Apoio à Criança.


Refira-se que, No Mundo da Lua participa no Mercado de Natal com Teatro, apresentando diariamente a peça “À Procura do Natal”, uma produção própria com os actores Victor de Freitas e Nuno Theias, apresentações de manhã para escolas e aos fins de tarde e noite para o público em geral.


O objectivo da iniciativa (um pouco à semelhança do que se começa a fazer noutras localidades do país e já com muita tradição em alguns países europeus), é fazer deste um complemento ao comércio tradicional para melhor responder à procura dos clientes nesta época natalícia e poder, também, tornar o Centro Histórico de Oeiras mais animado e alegre e, como consequência, mais atractivo.


Todos os espectáculos e actividades são gratuitos.

Todas as informações sobre o evento, encontram-se no site do mesmo, www.oeirasnatal.co.cc , o site encontra-se em permanente actualização.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Cavaco Silva e o BPN



Interpelado sobre o BPN Cavaco Silva respondeu que "nenhum Presidente da República comenta questões do foro judicial". A ser assim, é legítimo concluir-se que a situação de Dias Loureiro, seu Conselheiro de Estado, é também já do foro judicial. Não o sabíamos.
Tal não tinha sido ainda sugerido por ninguém. Fazendo fé naquilo que o supremo magistrado do País declara, ainda por cima invocando doutrina de comportamento presidencial (nenhum comenta questões que estejam em fórum de justiça), Portugal tem no Conselho de Estado um conselheiro da sua escolha pessoal cujo comportamento é questão "do foro judicial".
Se nenhum Presidente da República pode comentar a imensa trapalhada em que Dias Loureiro se envolveu, qualquer Presidente da República deve afastar do seu círculo próximo alguém cujo comportamento sugira que terá que ser analisado em foro judicial. Não se trata de punir Cavaco Silva pelos actos de antigos e actuais colaboradores. Trata-se apenas do dever que o Presidente assumiu constitucionalmente de defender as instituições democráticas do País.
O Conselho de Estado é uma delas. Um Conselheiro de Estado não pode ser desmentido na praça pública em questões de honorabilidade e continuar a ser Conselheiro de Estado. Se "nenhum Presidente da República pode comentar questões do foro judicial" nenhum Presidente da República pode ter um Conselheiro de Estado que se sugere que falta à verdade. Um País não pode ter um Presidente da República que se aconselha com quem sabia de irregularidades financeiras e não as contou, como diz um Vice Governador do Banco de Portugal, ou que as contou mas nada fez, continuando durante anos no grupo que as praticava como se nada soubesse.
Esta é uma carga de suspeição insuportável para a instituição Presidencial. O detido, Oliveira e Costa, foi um alto colaborador do Primeiro-ministro Cavaco Silva. Teve uma parceria íntima em negócios multimilionários com Dias Loureiro quando ambos deixaram a política activa. Dias Loureiro é um alto colaborador do Presidente da República. Foi um vigoroso apoiante das campanhas presidenciais de Cavaco Silva. Deve ter tido um contributo valioso. Bem relacionado como é, deve ter atraído contribuições de campanha igualmente valiosas. Se calhar sem ele Cavaco não teria ganho. E Cavaco queria muito ganhar.
Mostrou isso por duas vezes. Não há dúvidas que o Presidente lhe deve muito. Mas o seu dever para com a República tem que ser maior. Se acha que o que se passa com o BPN é do foro judicial, sendo Dias Loureiro uma das entidades cujo envolvimento tem que ser explicado e não foi, a República exige-lhe que se distancie dele até a dúvida ser aclarada no foro judicial que, informou-nos o PR, é onde pertence.
Um Conselheiro de Estado não pode estar a aguardar investigações judiciais sobre o seu comportamento e honorabilidade. A um Conselheiro de Estado não se aplicam presunções de inocência em ambientes de suspeição generalizada com depoimentos contraditórios de altos responsáveis do Estado no passado/presente a desmentirem-se em público sobre questões de pura e simples honestidade. Isto não é assunto remissível para o foro judicial. É do foro presidencial e o Presidente, por muito que lhe custe, tem que se pronunciar.

JN

Pequenos gestos responsáveis

.
Ser dador de sangue é hoje um gesto de quase rotina, basta estar com atenção e colaborar nas várias recolhas na nossa Freguesia.

“Ser dador de medula óssea é uma opção para doar vida”
CEDACE - Registo português de dadores de Medula Óssea. Entre os 18 e 45 anos, sendo saudável, podemo-nos inscrever como dador de medula óssea.

Depois da inscrição e através de uma pequena análise ao sangue é determinado o tipo que fica registado. E se aparecer alguém a precisar de nós… Informem-se e colaborem

Saiba tudo em

Associação Portuguesa contra a Leucemia
R. D. Pedro V, 128
LISBOA 1250–095
TEL. 213 422 204/5

Endividamento: afinal em que ficamos?

.
O endividamento familiar e individual tem sido uma preocupação não só dos atingidos como de algumas entidades. Este problema tem crescido fruto da falta de empregos e despedimentos de muitos que construíram a sua família numa perspectiva de rendimentos que pensavam estáveis.

Apesar de muitos avisarem e lutarem por um mercado de trabalho estável e com mais oportunidades, outros até parece que incentivam a precaridade e louvam a instabilidade como forma de criatividade do mercado global.

Face ao agravamento da actual crise, entidades oficiais começaram a falar em poupanças, a apadrinharem sessões de esclarecimento e a intervir mesmo na negociação de dívidas para ajudar em situações de ruptura.

Porém, outros vêm com novos incentivos à dívida, exemplo: “tome o nosso cartão, compre o que quiser pois paga em três vezes e só começa daqui a dois meses!”
E os desprevenidos além das prestações da casa (às vezes do carro), das últimas férias, do plasma e até da mercearia lá embarcam nestes cartões de crédito.

Não deverá ser considerada publicidade enganosa estas ofertas de cartões de crédito? Quem autoriza este tipo de embuste?

Clotilde Moreira

in Jornal Publico, 24.11.2008
Cartas ao Director


O quotidiano da nossa 'Portugalidade'

.
A área envolvente do Jardim das Tílias em Linda-a-Velha é um local bem tratado, diariamente, por uma empresa privada paga pela CMO. São profissionais competentes no serviço que efectuam e a zona em questão é um regalo de se ver conforme várias fotos publicadas no 'Oeiras Local'.

Av. Duque de Loulé - canteiro ao lado do depósito do gás
Na 4ª e 5ª feira da passada semana, dias 19 e 20 de Novembro, o canteiro de lantanas da imagem supra foi cortado como é hábito nesta época do ano. Foram quase dois dias de trabalho para que na próxima Primavera apresentem um aspecto viçoso e florido. Mas, por 'esquecimento' ou falta de 'instruções', todo o lixo verde foi 'diligentemente' depositado do outro lado da avenida, num terreno particular ainda não urbanizado, e ali ficou 'esquecido'. Vários foram os moradores que comunicaram a situação aos serviços da CMO até que hoje, pelas 14h30, uma camioneta da empresa contratada fez a sua recolha.

Av. Duque de Loulé - ramos das lantanas e folhas secas




A par com os ramos das lantanas vieram, também, várias sacas de folhas, de árvores de folha caduca que ornamentam o local. Essas não tiveram direito a transporte na camioneta; ficaram no terreno, serão espalhadas pelo vento e vai 'sobrar' para o pessoal da limpeza urbana.

Coisas de Linda-a-Velha (13)

Coisas Boas

A CMO está a proceder à substituição de um escorrega do Parque Infantil do Jardim das Tílias que se encontrava partido, conforme nossa informação de Agosto 2008, (aqui) e constituía risco para as crianças quando iniciavam a descida.

O equipamento está em fase de instalação e encontra-se devidamente assinalado com fita plástica vermelha e branca e traves de madeira que visam impedir o seu uso temporário. No entanto, ontem, alguns pais de crianças de muita pouca idade, indiferentes aos sinalizadores, não hesitaram em lá pôr os filhos.

Consta que também serão substituídas as molas dos balancés.

[Clique na imagem para ampliar]

Foto do novo equipamento sendo visíveis o travejamento e a fita como meios de impedir a subida e descida durante os trabalhos


Sinais do Tempo - VPV

[Clique na imagem para ampliar]

Comparações

.
Sabia que:

"… se os portugueses (os que têm trabalho) ganham pouco mais de metade (55%) do que se ganha na zona euro, os nossos gestores recebem, em média:

- mais 32% do que os americanos;
- mais 22,5% do que os franceses;
- mais 55 % do que os finlandeses;
- mais 56,5% do que os suecos"

(dados de Manuel António Pina, Jornal de Notícias, 24/10/08)

E são estas xxxxxx que chamam a nossa atenção porque "os portugueses gastam acima das suas possibilidades".
Entre eles salienta-se o génio das finanças Vítor Constâncio.

O segredo da Finlândia

.
Será mesmo 'segredo' ou antes uma simples questão de inteligência, racionalidade e bom-senso?

"Na Finlândia, os professores têm uma tarde livre para trabalharem em conjunto: planificam, trocam materiais e elaboram recursos didácticos de forma cooperativa. A ênfase está na atitude colaborativa e no apoio aos alunos que estão a ficar para trás. Não há exames nacionais, os resultados das avaliações externas das escolas não são tornados públicos, não há rankings de escolas e um em cada três alunos recebe aulas de apoio. Na Finlândia, os professores são muto bem pagos, a profissão é socialmente muito valorizada, não existe um sistema formal de avaliação de desempenho dos professores, não existe um Ministério da Educação com poderes curriculares e pedagógicos sobre as escolas, o currículo nacional é mínimo, a autonomia das escolas é grande, os planos de estudos incluem menos disciplinas do que em Portugal, o número de aulas por semana é menor e as aulas têm 45 minutos. Como se vê, é tudo ao contrário de Portugal.
Quem é que Portugal tem copiado? Na avaliação dos professores, Portugal copiou o Chile, Na centralização curricular e pedagógica, inspirou-se na França. Na avaliação externa das escolas, foi buscar o modelo britânico. Ou seja, Portugal tem vindo a copiar os países com piores resultados escolares."

recebido via email
.

domingo, 23 de novembro de 2008

As Fotografias de Isaltino Morais

[Clique para ampliar a imagem]
in Jornal "Público" - Local - 23 de Novembro de 2008

Arroz de Pato à moda da crise



Ligue o formo, regule-o para 200 graus e deixe-o aquecer por 10 minutos.

Enquanto isso, abra o congelador e retire uma embalagem de arroz de pato (como ninguém me paga publicidade, não indico marcas). Com uma tesoura corte a extremidade da caixa de cartão, – guarde a prova de compra para futuras promoções – retire a embalagem que vem dentro, corte a capa de plástico e deite o conteúdo num pyrex não untado. Coloque-o durante 30 minutos no formo previamente aquecido tendo o cuidado de mexer com uma colher de pau a meio da contagem.

Sugestões:

Sirva... com uma boa salada mista, das que vêm embaladas e já lavadas.

Acompanhe... com um vinho tinto, maduro, servido à temperatura ambiente.


Et... bon apetit!

Na minha estante

"Três quartos dos nossos exercícios intelectuais não passam de bordados no vácuo; perguntava-me a mim mesmo se essa vacuidade crescente era devida a um abaixamento da inteligência ou a um declínio do carácter; fosse como fosse, a mediocridade do espírito era acompanhada , quase por toda a parte, por uma espantosa baixeza da alma. "

sábado, 22 de novembro de 2008

Ciclo de Jazz Oeiras Local VII

.
Lady Day do nosso contentamento com a sua voz quente sensual e doce a fazer-nos acreditar que basta virarmos o guarda-chuva upside down de pernas para o ar
pelo sim pelo não vou ali virar o meu e volto já tenhamos aquela coisa que é a última a demandar toque de finados
entretanto fiquem na companhia dela ouçam e como santo Agostinho disse "nisi credideritis non intelligetis" acreditem se quiserem...


Pennies From Heaven
Billie Holiday

o video original está AQUI
.

Milu

.
Quem é a Ministra da Educação? Como chegou a ministra?

A senhora teve o seguinte trajecto:

Fez o 5.º ano antigo (9.º de escolaridade) e depois ingressou no Magistério Primário e tornou-se professora do Ensino Primário. Com o 5.º ano mais os 2 de Magistério Primário conseguiu inscrever-se no ISCTE num curso nocturno de 5 anos que lhe deu nada menos que um DOUTORAMENTO e passou a dar aulas lá no ISCTE. A senhora nunca foi avaliada a sério, não sabe o que é ser professora a sério, deu aulas daquelas em que se engole uma cassette e se despeja. A ministra é uma diletante, uma burlona, tal como o chefe Sócrates que se dizia engenheiro sem o ser. Ambos odeiam os que fizeram um percurso limpo, e tudo farão para os prejudicar, não vão parar enquanto não se sentirem «vingados».

Se não enviar este email a todos os seus contactos, o Sócrates e a sua ministra não se vão embora!

--
Henrique Sousa

recebido via email
.

YO YO MA

Libertango

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

“Que ar respiramos na cidade?” e os oleões!



Como informado neste blogue, (aqui), ontem decorreu na Universidade Atlântica um fórum organizado pela OEINERGE sobre este tema. Uma das intervenções bastante sucinta mas muito interessante, apresentada pelo Engº Jorge Cordeiro – Biodiesel para Oeiras, chamou a atenção para o projecto OILPRODIESEL.

Este Projecto OILPRODIESEL visou o desenvolvimento de um sistema de recolha e reutilização de Óleos Alimentares Usados (OAU) para a produção e utilização de Biodiesel na frota municipal de veículos do Concelho de Oeiras, agora já em marcha.

Depois de analisarem as soluções existentes - onde os líquidos eram depositados, com os inconvenientes derrames e sujidade - os actuais receptáculos foram concebidos de um modo inovador direccionados para o sector doméstico:

*guarde os óleos alimentares usados reutilizando uma garrafa de plástico e quando estiver cheia deposite-a directamente dentro do OLEÃO,*

que integram um sistema de detecção do nível de enchimento por ultra-sons e um sistema de localização por GPS optimizando a sua recolha atempadamente por parte dos Serviços.

Estes oleões, (aqui), num total actualmente de 20 unidades, estão distribuídos pelo Município de Oeiras desde Maio, e foram acompanhados por uma campanha de informação aos munícipes.


Nas instalações da CMO existe já uma unidade de processamento de Biodiesel em funcionamento. Agora o que se reclama é que novos Oleões sejam colocados, pois aqui em Algés não existe nenhum na parte baixa da nossa Freguesia.

Quem quiser saber coisas pode ligar-se a http://www.oeinerge.pt/ ou ver o que diz o Consultório Oeinerge.

Petrolíferas - Lucros Milionários

.
Jornal da Noite 20-11-2008
Lucros milionários
Petrolíferas lucram mais de 2 milhões euros, a mais, por dia

Mea Culpa, Mea Culpa!

.

Educação

Ministra admite erros no processo de avaliação dos professores

Ontem às 23:08
A ministra da Educação admitiu alguns erros no modelo de avaliação de desempenho dos professores, que tem merecido várias criticas de docentes e que foi alvo de alterações, esta quinta-feira, por parte do Governo.

«Tenho de reconhecer que a forma como estávamos a concretizar a dimensão relativa aos resultados escolares não era confortável, nem razoável, mas excessiva, desajustada e com erros técnicos», disse Maria de Lurdes Rodrigues, esta quinta-feira, em entrevista à RTP.

A titular da pasta da Educação disse ainda esperar que as medidas aprovadas esta quinta-feira pelo Governo vão ao encontro dos «problemas manifestados pelos professores».

Questionada sobre se as críticas no interior do PS pesaram na adopção de medidas de simplificação do processo de avaliação, a governante afirmou apenas que foi «a existência de problemas» que levou a essa decisão.

No final de um Conselho de Ministros extraordinário, o Governo anunciou esta quinta-feira medidas de simplificação do modelo de avaliação de desempenho dos professores destinadas a resolver «problemas» relacionados com o excesso de burocracia e a sobrecarga de trabalho dos docentes.

TSF rádio notícias

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Recusa do PS à audição de Dias Loureiro é «inexplicável»,

BPN

19 NOV 08 às 20:00

O facto do Partido Socialista ter recusado a ida de Dias Loureiro, ex-administrador da Sociedade Lusa de Negócios - que detinha o BPN antes da nacionalização - ao Parlamento é «inexplicável», considerou, esta quarta-feira, Mário Bettencourt Resendes.


Mário Bettencourt Resendes, comentador da TSF, diz que o PS fez mal em recusar a ida de Dias Loureiro ao Parlamento

Para o comentador da TSF para assuntos de política nacional, a maioria socialista «faz mal» em recusar a audição na Assembleia da República de Dias Loureiro, sobretudo após o antigo administrador ter manifestado a sua disponibilidade em prestar declarações no plenário.

Na opinião de Bettencourt Resendes, a questão das irregularidades detectadas no BPN tem uma «gravidade que justifica um completo esclarecimento», não só a nível da investigação judicial, mas também a nível político, porque o caso BPN foi objecto de decisões politicas, aprovadas em Conselho de Ministros.

Operação Furacão


Oliveira e Costa constituído arguido

José Oliveira e Costa, antigo administrador do BPN, foi hoje constituído arguido, após o Ministério Público (MP), a Inspecção Tributária e a Guarda Fiscal terem realizado uma série de buscas a várias das suas residências, soube o SOL


Estas diligências foram feitas no âmbito do processo que investiga a Operação Furacão e onde o BPN é um dos bancos visados desde o início.

Oliveira e Costa foi indiciado, entre outros crimes, por burla, branqueamento de capitais e fraude fiscal. Segundo apurou o SOL, em causa está o facto do antigo administrador do BPN ter feito vários desfalques ao banco, que conduziram à difícil situação financeira em que o BPN se encontra.

felicia.cabrita@sol.pt

«Homens de Boa Vontade»



O espírito natalício atacou mais cedo os "homens de boa-vontade".

A verdade, e esta deve ser dita com todas as letras, é que o espírito da boa-vontade já tinha "atacado" o sr. Vítor Constâncio e o Banco de Portugal, enquanto entidade reguladora, não vendo, não ouvindo, não falando, do que se passava no BPN. (Um caso de polícia puro, mas que por este andar ficará em "águas de bacalhau" como o povo costuma dizer. OK. o contribuinte irá pagar a nacionalização das fraudes, e o sr. governador do Banco de Portugal continuará no seu posto a servir Portugal, obviamente a troco de um ordenado chorudo, que trabalhar de borla não é a sua divisa.)


Todos o ouvimos dizer que se o BPN não colaborou com o BP, pois este nada poderia fazer. Só a colaboração poderia detectar fraudes.

Digo eu, que não percebo nada disto, que se era fraudulenta a gestão, era óbvio que o BPN não a iria divulgar ao BP. Pois, mas isto são raciocínios de pessoas que não percebem nada de alta finança. Ao fim e ao cabo, eu só tenho 1,70m.

Acontece porém, que este paradoxo simples e singelo, digno de um espírito brilhante foi hoje aplicado no seu máximo esplendor na cooperação com o governo do PS. Como o sr. Vítor Constâncio achou essa máxima, o máximo, debita hoje o seguinte sobre o desemprego, e cito :

"O actual regime do subsídio de desemprego é «generoso» e contribui para o crescimento do desemprego de longa duração. O Banco de Portugal justifica o crescimento com «uma elevada cobertura financeira» e uma duração potencialmente grande do subsídio pago pela Segurança Social. "
link para a notícia

Ah! mas que profunda e inteligente afirmação. Eis a prenda de Natal para o Governo, que pode assim, com base numa opinião muito abalizada, ainda reduzir mais o subsídio de desemprego, (é só darem a ideia) quiçá para uns míseros 10% do último vencimento auferido pelo trabalhador, poupando assim uns cobres valentes com o elo mais frágil. Sempre ajuda a pagar as indemnizações aos gestores do BPN e accionistas, por mor da nacionalização.

Mais ainda, pressupõe que o desemprego é culpa dos trabalhadores pelo facto de não trabalharem de graça. Isso sim é que era ajudar o país, o tecido empresarial e a economia. E, trabalhador que se preze de nome, mesmo os 10% que o governo lhe proporia, deveria recusar e doar para abater o deficit orçamental.

O sr. Vítor Constâncio é o Pai Natal no Portugal Xuxialista, um autêntico crânio.

Sr. Vítor Constâncio, pinte a cara de preto e tenha vergonha. Eu gostava de o ver alimentar a sua doce família com cerca de €426 por mês. Acho mesmo que o senhor deixava de debitar anormalidades pela boca fora.

O que o senhor afirmou é um insulto a todos os portugueses.

É um insulto o seu vencimento no Banco de Portugal para prestação tão medíocre.

É um insulto, num país com 20 % de pessoas a viverem abaixo do limiar da pobreza, que VEXA ache normal defender gestores fraudulentos e atacar aqueles que estão desempregados .

"O meu país é o que o mar não quer" já dizia o poeta Rui Belo.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Coisas de Algés - XXVIII



Coisas boas! Viva! Viva!

Imaginem que hoje – 19 de Novembro – às 08h00 foi colocado um colchão e umas tábuas na Rua Conde Rio Maior encostadas à empena dos prédios do Largo Com. Augusto Madureira. POIS IMAGINEM O QUE ACONTECEU: às 8h11 estava a camioneta de recolha de monos a fazer o seu levantamento. EXEMPLAR tanto de quem os colocou como dos Serviços que cumpriram o horário.

Coisas más!

Os buracos no asfalto de algumas das ruas da baixa de Algés estão a afundar. Exemplo: cruzamento da Rua Dr António Granjo junto ao Dom Café, cruzamento da Rua Ernesto da Silva com Rua Anjos, Rua Luís de Camões junto dos congelados e… os buracos da Rua João Chagas à Rua Francisco José Vitorino em Linda-a-Velha.

E.. para quando uma informação CLARA PRECISA E CONCISA sobre as obras na Damião de Goís? Estão a asfaltar mas corre que não conseguem acabar a meio de Dezembro como tinham ultimamente informado.

MARCAS DO TEMPO por Alexandre Gonçalves

.


Jornal de Oeiras,
18 de Novembro / 2008
O Oeiras Local agradece ao Jornal de Oeiras e aos Autores dos artigos publicados nesta data

JARDINS DE ALGÉS SEM SANITÁRIOS

.


Jornal de Oeiras,
18 de Novembro / 2008

CAMB - NOITE PARA CRIANÇAS

.

Jornal de Oeiras, 18 de Novembro / 2008

Somos lidos com atenção!

.


Olá sr.ª vereadora . Como vai ?
Não... não publiquei nada da sua vereação no OL. Bom, poderia falar da confusão na Damião de Góis que é imensa e mais uma vez as obras atrasaram . Mas...
Claro que entendo que é temporário mas, podiam ter programado melhor o trânsito e o estacionamento. Já agora, que fala nisso, se me souber dizer quanto custaram as obras de requalificação urbana da Damião de Góis, ficava muito agradecida. É que ninguém percebe e os leitores queriam muito saber.
Pois percebo, não é da sua área, é directamente com o sr. Presidente.
Bom, claro que era necessária a obra, acho que sim, agora ficar mais bonita a zona, é melhor não entrar por aí , porque os passeios são de um gosto muito duvidoso.
Ah! também preferia a calçada portuguesa. Pois também nós...
Já agora sabe quanto custaram? Pois percebo. Também não sabe.
Mas eu vinha só dizer-lhe que o espelhinho na Rua João Chagas já foi colocado. Ainda bem que a sra. D. Alda lhe deu as indicações todas...
Ah? A pressão também foi dela! Pois eu também acho que ela é uma leitora assídua do OL.
Sim, sim... já percebi que o sr. Presidente não lhe nega nada.
Mas concerteza que no OL sabemos reconhecer quando as coisas são feitas.
Estão sempre ao serviço do cidadão? Mas isso vêm a propósito de quê?
Ah! pois... eleições. Sim... mas olhe eu sou muito directa e não mando dizer por ninguém. Não voto em vós.
Mas, de qualquer maneira... Obrigada por ter cumprido o seu dever.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Teixeira dos Santos o pior da UE

Economia


Entre conjunto de 19 países da União Europeia «Financial Times» diz que ministro das Finanças português é o pior da UE

2008/11/18 12:34


Usa critérios como indicadores macroeconómicos e opinião de painel de economistas

O «Financial Times» atribui o lugar de pior ministro das Finanças de um conjunto de 19 países da União Europeia a Fernando Teixeira dos Santos.

O jornal britânico usa três critérios principais: economia (segundo vários indicadores económicos), política (baseado nas opiniões de um painel de economistas e comentadores) e estabilidade. O ministro português obteve uma classificação de 19 na área política, de 17 na área económica e de 11 na estabilidade. Na área económica, Teixeira dos Santos está melhor apenas que os colegas britânico e espanhol, Alistair Darling e Pedro Solbes, respectivamente.

Somando todas as matérias, o ministro obtém uma média de 16,4 pontos, a mais elevada e portanto, a pior de todas.

No lado oposto da tabela, o ministro das Finanças da Finlândia, Jyrki Katainen, consegue a melhor classificação, com uma média de apenas 3,8 pontos.

«Embora pequena, a Finlândia é uma raridade entre as economias europeias - financeiramente estável e é esperado que tenha um saudável excedente orçamental no ano que vem», refere a publicação.

O «Financial Times» é o próprio a admitir que o seu guia oferece uma tabela de classificações imperfeita, mais reveladora das capacidades económicas e políticas.

Veja aqui o ranking do «Financial Times»


A VERGONHA DE NÃO TER VERGONHA NA CARA

.

João Miguel Tavares
Jornalista -
jmtavares@dn.pt


Há quatro anos, o administrador do Banco de Portugal Manuel Sebastião foi procurador do administrador do Banco Espírito Santo Manuel Pinho na compra de um prédio em Lisboa. Esse prédio era propriedade do Banco Espírito Santo, tendo Manuel Sebastião servido de intermediário numa compra entre o BES e um administrador do BES. Manda a boa prática que um administrador de um banco não se envolva em negócios pessoais com o próprio banco que administra. E manda a lei que o Banco de Portugal supervisione o funcionamento do Banco Espírito Santo.

Manuel Sebastião viria mais tarde a adquirir um apartamento nesse prédio, entretanto remodelado. Em Março deste ano, o ministro da Economia Manuel Pinho nomeou Manuel Sebastião presidente da Autoridade da Concorrência. A lei exige que a Autoridade da Concorrência seja um "regulador independente". A possibilidade de ela entrar em conflito com o Governo é elevada, sendo no mínimo discutível que um ministro nomeie um amigo pessoal - e seu inquilino - para desempenhar tal cargo. Certamente por achar que não havia nada para esclarecer neste caso, o Partido Socialista chumbou, na sexta-feira, a audição a Manuel Pinho e Manuel Sebastião no Parlamento, pedida pelo CDS-PP.

Estes são os factos. Confrontado com eles, o que é que o primeiro-ministro de Portugal decidiu comunicar ao País? Que não encontra no que foi publicado "nada que seja contra a lei". O que até é bem capaz de ser mentira, mas admitamos que possa ser verdade. Só que José Sócrates não ficou por aí. E acrescentou também não ter encontrado "nada que seja criticável do ponto de vista ético". Ora, isto são declarações absolutamente vergonhosas, e só mesmo por vivermos num país onde a mentira na política é aceite com uma espantosa tolerância é que um primeiro-ministro pode dizer uma barbaridade destas e sair de mansinho.

Se José Sócrates encontrasse um dos seus ministros a tentar arrombar um cofre com um berbequim diria aos jornais que ele estava só a apertar um parafuso. Afinal, também no caso da sua licenciatura o primeiro-ministro não viu nada de eticamente duvidoso nem de moralmente reprovável. Ora, o que me faz impressão não é que esta gente que manda em nós atraia a trafulhice como o pólen atrai as abelhas - isso faz parte da natureza humana e é potenciado por quem frequenta os corredores do poder. O que me faz impressão é o desplante com que se é apanhado com a boca na botija e se finge que se andava só à procura das hermesetas. É a escola Fátima Felgueiras, que mesmo condenada a três anos e meio de prisão dava pulinhos de alegria como se tivesse sido absolvida. Nesta triste terra, parece não haver limites para a falta de vergonha.

RATO MICKEY FAZ 80 ANOS

Passeio da Fama em Hollywood


A personagem de Mickey nasceu a 18 de Novembro de 1928, e a dobragem da sua voz foi feita pelo próprio Walt Disney (entre 1928 e 1946). Evoluiu de uma simples personagem de cartooning e tiras cómicas para uma das personagens mais conhecidas do mundo. Depois de Walt Disney, foi James G. MacDonald que assumiu a voz do Rato Mickey e, desde 1983, passou a ser Wayne Allwine, um aprendiz de James G. MacDonald.

Incialmente baptizada de Mortimer, a personagem teve o nome alterado para Mickey Mouse por sugestão de Lillian, mulher de Walt Disney, que considerava o primeiro nome formal demais para a personagem.

Na banda desenhada actual, em papel, o seu melhor amigo é Pateta; Mickey tem ainda o cão Pluto e uma namorada, Minnie. Há uma linha de histórias em que aparece a personagem Esquálidus, criada por Floyd Gottfredson. Em certas histórias, Mickey costumava andar com o Pato Donald (segundo a tradução brasileira, ambos moram na mesma cidade, Patópolis), mas os universos dos dois são separados.

Tipicamente, Mickey surge em calções vermelhos e sapatos amarelos, uma homenagem que o seu criador, Walt Disney, fez à Ordem DeMolay, da qual era membro. Em outras linhas de histórias, são abordados variadíssimos temas; numa delas, Mickey é um detective, e veste casaco e todo o traje costumeiro. Um dos temas mais conhecidos é o duelo constante com o inimigo Bafo-de-Onça, e um outro as várias situações em que enfrenta o Mancha Negra.

Em Portugal e no Brasil a publicação das bandas desenhadas coube à Editora Abril. Além de ter o seu próprio título mensal, Mickey foi destacado como personagem num dos manuais Disney e no Grande Livro Disney (1977).



Câmara de Oeiras constrói centro cultural no Príncipe

17.11.2008

A Câmara Municipal de Oeiras está a construir o primeiro centro cultural da região autónoma do Príncipe, um projecto que está orçamentado em meio milhão de euros e que deverá estar concluído em Junho do próximo ano.
A primeira pedra foi lançada este fim-de-semana e as obras estão a ser erguidas a partir das ruínas da antiga cadeia da cidade de Santo António, que no final dos trabalhos estará convertida num centro cultural com múltiplas valências. "Queremos que essa obra seja uma obra de referência no Príncipe, como é apanágio da Câmara de Oeiras", disse Emanuel Martins, vereador da autarquia portuguesa, citado pela agência Lusa, que reconhece que não basta erguer infra-estruturas, sendo igualmente necessário capacitar recursos humanos.
"Nós entendemos que é preciso criar novos quadros aqui na ilha do Príncipe, com formação para este tipo de acções e queremos dar também, nessa medida, o nosso contributo. O entendimento que temos com o Governo Regional do Príncipe vai contribuir para esse tipo de soluções", disse Emanuel Martins. O secretário para os Assuntos Sócio-Culturais da Região Autónoma do Príncipe, Carlos Gomes, congratulou-se com a construção do centro cultural. "Com esta obra, iremos valorizar a nossa própria cultura e vamos melhor poder preservá-la, sempre pensando nas gerações vindouras", afirmou o responsável.
As obras estão a ser realizadas pela empresa portuguesa Armando Cunha, esperando-se que possam estar concluídas em Junho do próximo ano.

VOVÓ DO FUTURO FAZENDO TRICOT

.


O NOVO MEALHEIRO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

.


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Cartaz na Manifestação

.



Quem dá e volta a tirar ao inferno vai parar!

.


Educação

Sócrates entregou Magalhães só para a fotografia

José Sócrates esteve na Escola do Freixo, em Ponte de Lima, a entregar computadores aos alunos do 1.º ciclo. Mas, depois de o primeiro-ministro ir embora, as crianças tiveram de devolver os Magalhães



A Escola do Freixo, em Ponte de Lima, foi o palco escolhido por José Sócrates, na passada quarta-feira, para mais uma acção de promoção dos computadores da JP Sá Couto para o 1.º ciclo. Sócrates chamou os jornalistas e distribuiu os Magalhães pelas crianças. Mas, terminada a cerimónia oficial, os portáteis tiveram de ser devolvidos.

Contactado pelo SOL, o conselho executivo da Escola do Freixo explicou que as crianças não puderam ficar com os computadores, «porque há questões administrativas a tratar».

A mesma fonte – que não se quis identificar – assegura que os Magalhães «estão na escola», mas explica que isso não significa que os alunos do Freixo vão receber os portáteis mais depressa do que as crianças de outros estabelecimentos de ensino.

«Não sabemos quando é que os computadores vão ser distribuídos», admitiu, acrescentando que a entrega «depende da logística administrativa».

Antes da entrega real dos equipamentos, a escola vai ter de «preencher toda a papelada e os pais que não estiverem abrangidos pelo 1.º escalão da acção social escolar vão ter de fazer o pagamento do computador». Um processo que a escola admite desconhecer quanto tempo poderá demorar.

Fica também por esclarecer se os Magalhães que Sócrates já deixou na escola serão suficientes para todas as crianças. A Escola do Freixo tem 185 alunos inscritos no 1.º ciclo, mas o conselho executivo diz não saber quantos portáteis foram entregues na cerimónia que contou com a presença do primeiro-ministro. «Não sei quantos computadores cá ficaram», disse ao SOL um elemento do conselho executivo.

Ao que o SOL apurou, foi explicado a alguns alunos que os computadores tinham de ser devolvidos no final da visita de Sócrates por terem problemas nas baterias. No entanto, o conselho executivo da Escola do Freixo garante que «as crianças sabiam» que não iam ficar com os Magalhães naquele dia, porque lhes «foi explicado que era preciso realizar alguns procedimentos administrativos».

margarida.davim@sol.pt