sábado, 26 de janeiro de 2013

O 1º DE DEZEMBRO



AUTÁRQUICAS - OEIRAS 2013


Nolame Calzione Oeiras

Como um tipo deixa de ser inspector, de escrever livros , de andar de boina e falar de cavalos, touros e touradas para passar a falar de cachupa...
Se perder nunca mais vai querer saber de cachupa e vai querer aprender a fazer tripas ou migas... Depende do que der mais jeito daqui a 4 anos! 
A isto se chama ADAPTAÇÃO AO MEIO ENVOLVENTE ... PARA SERVIR A COMUNIDADE, CLAAAARO! ahahahaha!

Via Facebook

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

EDITAL 3/2013


Clique na imagem para ampliar

A Câmara de Santarém mais parecia uma agência de viagens.


"Correia do Sul, Brasil, Argentina, Suiça, França, Alemanha, África...Nestes dois mandatos..."

Assim governa o PSD em Santarém!
A Câmara de Santarém mais parecia uma agência de viagens.
 



"Correia do Sul, Brasil, Argentina, Suiça, França, Alemanha, África...Nestes dois mandatos..."

 Assim governa o PSD em Santarém!

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

HISTÓRIAS ANTIGAS - VERDADEIRAS HOJE



Artigo de Maria Clotilde Moreira / Algés publicado no Jornal de Oeiras desta data




ONTEM ACONTECEU




a Sessão extraordinária nº. 1/2013 – 1ª reunião que tinha como ponto único  Debate sobre o futuro do SATU Oeiras.

A área destinada ao Público estava completamente cheia. E o Público pronunciou-se sobre o barulho que este sistema faz dia e noite, andar vazio e a necessidade de se acabar com isto. Falou-se dos gastos, e até que afinal as pessoas de idade gostam muito deste transporte que as leva ali e acolá (????)

A resposta da CMO foi que também estavam de acordo com a necessidade de suspender pois só tem 1,200 Km e nunca mais cumpre a sua função de chegar ao Município de Sintra que está desejosa de o receber. Depois falaram os Deputados Municipais: uns que é uma grande obra, outros que é um poço sem fundo de milhões. A parceria que a CMO tem com o construtor pois… foi feito para servir os investimentos e atrair para a área de escritórios e negócios em que Oeiras é pioneira, onde o desemprego é baixíssimo e a CMO continuou que há propostas para o QREN entrar nisso e que é de apostar neste elevador horizontal.

Compreenderam? Não! É natural: nestes casos o melhor é estar presente e ver, e ouvir e tentarem concluir que a politica é uma coisa complicada.

Hoje, na Assembleia Municipal parece que se irão votar umas propostas. E as pessoas que moram na envolvente do SATU continuaram a ter barulho, a não ter dinheiro para janelas/vidros insonorizados e viva o progresso.

(Foi colocado um importante problema por um dos presentes: O elevador da estação da CP em Caxias continua a não funcionar dificultando o acesso aos comboios. Parece que a CMO vai actuar junto dos responsáveis)

Acabou já passava da meia-noite.   
 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Algés – 2013 – 1



Pequeno apontamento

Hoje fui à Av. das Túlipas e percorria a pé desde a Alameda Fernão Lopes à Av. General Norton de Matos e, constatei, mais uma vez, que não há lá nem uma túlipa. Não seria de

                                                        
              - colocar nos espaços florais TÚLIPAS


              - ou mudar o nome para qualquer coisa mais real, por                                     exemplo o nome de  um cidadão


Também tomei contacto com as lojas abaixo do pavimento, do lado direito de quem se dirige para o Doce Vita. Com tantos conhecimentos arquitectónicos e esta grandiosa construção é mesmo de mau gosto. Existem também muitos espaços meio abandonados que estão a precisar mesmo de uma limpeza e pintura. E não haverá espaços que podiam ser transformados em estacionamento e facilitar a vida de quem tem carro.
    

Bem sei que isto não é muito importante para a vida da nação mas talvez não fosse muito caro embelezar a nossa Terra.


 

sábado, 19 de janeiro de 2013

Oeiras: Novo capítulo no Parque dos Poetas


Oeiras: Novo capítulo no Parque dos Poetas

Oeiras: Novo capítulo no Parque dos Poetas


Ilha dos Amores (Camões) marca nova fase de fruição.
Olhando o Rio Tejo em pano de fundo, ainda mais inspiradora se torna a Ilha dos Amores descrita no Canto IX de “Os Lusíadas”. Com 14 misteriodas ninfas espalhadas por um quadro natural de que fazem parte elementos botânicos mencionados naquela obra maior, mais a gruta onde Camões escreveu parte da mesma, um lago e uma fonte com repuxo musicado e colorido, este será o principal espaço atractivo da nova área do Parque dos Poetas que vai ser inaugurada no dia 16 de Fevereiro. Trata-se da zona B da 2.ª fase, que prossegue a homenagem à Poesia iniciada na 1.ª fase, desta feita enaltecendo 13 vultos literários, desde os Trovadores à Renascença.
Ao longo de cerca de sete hectares, situados na extremidade sul do parque (concretamente, entre a Rua Carlos Vieira Ramos e o viaduto do Espargal), o novo trilho poético conta com 13 conjuntos escultóricos – um por cada autor, os quais orçaram em 1 764 mil euros.
Devido ao papel primordial da sua obra, o criador de “Os Lusíadas” mereceu tratamento diferenciado neste particular, alcançando um total de 15 peças (as 14 ninfas e, ainda, um busto do poeta) e um custo de 850 mil euros. O conceito geral mantém-se, com as folhas gigantes a acolherem poemas e esculturas de cada homenageado.
A empreitada, que inclui um parque infantil, custou cerca de 7 milhões de euros. Menos de metade, ainda assim, do que custará a zona A da mesma 2.ª fase, a qual se estende entre a Rua São Salvador da Baía (onde terminou a 1.ª fase) e a já referida Rua Carlos Vieira Ramos. No entanto, o troço que falta tem os seus trabalhos atrasados e o limite apontado pela autarquia para a sua conclusão – cujo prazo era Abril – é, agora, o final de 2013.
“A zona que agora vai ser inaugurada é uma área mais verde, mais de arranjo paisagístico, onde a construção maior acaba por ser apenas a gruta de Camões e a Ilha dos Amores, enquanto a zona A, embora tenha sensivelmente a mesma área, tem uma série de equipamentos de maior envergadura, desde logo o Templo da Poesia, mas também o Labirinto dos Poetas, um parque de estacionamento, além de 27 conjuntos escultóricos…”, esclareceu ao JR-Oeiras Madalena Castro, vereadora das Obras Municipais e dos Espaços Verdes.
A estatuária da 2.ª fase (40 obras em 15 hectares) custou ao município quatro milhões de euros (ao 1,7 milhões de euros da zona B juntam-se os 2,3 milhões da zona A, por concluir). Recorde-se que a 1.ª fase, com 10 hectares e inaugurada em meados de 2003, acrescenta mais 20 obras a este acervo (e uma despesa de um milhão de euros), todas elas da autoria de Francisco Simões, o mesmo artista responsável pela homenagem escultórica a Camões (orçada em 850 mil euros) que está prestes a ser revelada ao público…
Em passeio pela área em questão, a vereadora lembrou, em jeito de contraponto ao peso financeiro, a sustentabilidade hídrica do projecto, já que o mecanismo de rega e de abastecimento ao lago da Ilha dos Amores usa os vastos lençóis freáticos do subsolo. E, no mesmo sentido, elencou os cortes entretanto aprovados pela autarquia no programa de obras e que permitiram reduzir a factura em quase cinco milhões de euros (ver caixa).
Mantendo o conceito de Alameda dos Poetas que vem da 1.ª fase, tanto a zona A como a zona B da 2.ª fase desenvolvem-se num terreno irregular ao longo de uma encosta (o chamado morro do puxa feixe) que permite desfrutar de uma excelente vista panorâmica, sobretudo para a foz do Tejo.




Ler mais: http://jregiao-online.webnode.pt/products/oeiras-novo-capitulo-no-parque-dos-poetas/

EDITAL 2/2013



quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O GRANDE SALTO EM FRENTE


 
O grande salto em frente
por PEDRO MARQUES LOPES in DN


 
Com mais de ano e meio de atraso Passos Coelho apresentou o seu manifesto eleitoral. Está finalmente perante nós, mascarado de relatório do FMI, o que Vítor Gaspar, Passos Coelho e Relvas querem para o País - saberemos dentro em breve se devemos acrescentar Paulo Portas a esta lista. Eis a agenda escondida, o ir para além da troika, aquilo que a Santíssima Trindade sempre quis mas não apresentou aos portugueses receando não ganhar as eleições.
Esqueçamos a falta de vergonha e o desrespeito pelos cidadãos de se mandar para um jornal um documento que a ser implementado mudaria o País para sempre e depois mandar um mero secretário de Estado explicá-lo.
Também não vale a pena debater a ideia que se quis vender dizendo que são simples propostas de âmbito técnico e de se dizer que é um texto que busca consensos: é um documento puramente político e não pretende ser minimamente consensual. A prova disso é que nem os partidos da oposição, nem sindicatos, nem nenhum parceiro social foram tidos ou achados.
A verdade é que Passos Coelho contratou o FMI para lhe escrever o seu programa ideológico.
Como qualquer programa político é marcado ideologicamente, a opção ideológica naturalmente reflecte-se na maneira de fazer os diagnósticos, na forma de levantar as questões e essencialmente nas soluções propostas. Este relatório do FMI não deixa de ter inexactidões graves, erros flagrantes e enormes falsidades, mas sempre com o mesmo objectivo: defender opções políticas (até nisso se aproxima de um manifesto eleitoral). Mais, quando se pede um estudo deste tipo ao FMI sabe-se o que se vai obter. Digamos que a receita é conhecida e, para quem não saiba, não resultou em nenhum lado, da América Latina à Ásia. Pedir ao FMI um estudo sobre a reforma do Estado é perguntar a um muçulmano se prefere cordeiro ou porco. Já sabemos a resposta.
 
Via FB

ACESSO À PRAIA DE PAÇO DE ARCOS



Publicado ontem – 15 de Janeiro - no Jornal de Oeiras

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE OEIRAS


Miguel Pinto




Na próxima segunda-feira vai reunir a AM. Vai discutir-se o futuro do SATU.
A reunião realiza-se às 20h e 30m. Os cidadãos podem usar da palavra no início da reunião.
Divulguem este debate se assim o entenderem.
Participem.
Segue, em anexo, a convocatória que recebi.
 
 
 

ANDAVA UM BURLÃO EM PORTUGAL MAS IDENTIFICARAM-NO

O leitor acompanhou a história daquele burlão que apareceu na comunicação social a dar falsas esperanças aos portugueses? Foi realmente incrível, a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho

Ricardo Araújo Pereira - Visão
Quinta feira, 10 de Janeiro de 2013

 
O leitor acompanhou a história daquele burlão que apareceu na comunicação social a dar falsas esperanças aos portugueses? Foi realmente incrível, a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho. Quando o primeiro-ministro prometeu que, para o ano, todos iríamos beneficiar de novas oportunidades, fiquei com a sensação de que, em 2013, o País ia ser um lugar de sonho, em que toda a gente conseguiria usufruir de condições excepcionais para subir na vida. No fundo, que o Portugal do ano que vem seria para os portugueses o que o BPN da última década foi para aqueles amigos do Presidente da República. Por isso mesmo, a promessa não me entusiasmou. Gozar daquele tipo de benefício pode ser agradável, no início, e até render milhões, mas depois sabemos como tudo acaba: olhe-se para as dezenas e dezenas de implicados no escândalo do BPN, para as fortunas que tiveram que devolver, para as duras penas de prisão que estão a cumprir. A esse preço, ninguém deseja ser bem-sucedido na vida.

Falou-se ainda noutro burlão, mas confesso que não consegui perceber a história. Primeiro, a comunicação social disse que se tratava de um prestigiado professor de economia social e observador das Nações Unidas. Depois, a mesma comunicação social disse que era um charlatão. Eu, que não acredito em nada do que vem na comunicação social, fiquei satisfeito com a minha posição de princípio, mas sem saber o que pensar acerca deste caso concreto. Limitei-me a registar, com alguma surpresa, o entusiasmo dos que se gabaram de ter encontrado um burlão em Portugal. Olha que façanha. É por isto que o País não avança: as pessoas contentam-se com pouco. Muito menos compreendi a galhofa de quem assinalou que o burlão tivesse tido tempo de antena. Toda a gente sabe como funciona o mundo: um charlatão crítico da austeridade pode conseguir uma tribuna na televisão; um charlatão partidário da austeridade pode chegar a secretário de Estado. Ou até um pouco mais acima.

Não quero fazer a rábula do cínico, mas a verdade é que o País já não me surpreende com estes truques antigos. Portugal terá de se esforçar muito mais se quiser impressionar-me - e acredito que queira. Sonho, por exemplo, com o dia em que não leremos considerações sobre o Natal no facebook de Pedro Passos Coelho, mas considerações sobre Pedro Passos Coelho no facebook do Natal. Bem sei que as quadras festivas não têm (por enquanto) facebook, mas seria tão estimulante para o povo português que os desabafos de Passos Coelho sobre o Natal fossem substituídos por desabafos do Natal sobre Passos Coelho. Exemplifico: "Amigos, este não era o primeiro-ministro que merecíamos. Muitas famílias não tiveram na Consoada os pratos a que se habituaram porque ele aumentou os impostos e cortou os subsídios, apesar de ter garantido que não o faria. A todos vós, no fim deste ano tão difícil em que tanto já nos foi pedido, peço apenas que procurem a força para, quando olharem os vossos filhos e netos, o façam não com vergonha por terem votado neste homem, mas com a esperança de quem sabe que a legislatura só dura até 2015 - ou mais cedo, se Paulo Portas entender que isso é benéfico para o CDS-PP. A Páscoa e eu desejamos a todos umas Festas Felizes. Um abraço, Natal." Isso seria suficientemente bizarro para conseguir ser surpreendente em Portugal. Ao menos, durante dez minutos.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

12 DIAS POR ANO DE INDEMNIZAÇÃO



Se me dissessem que eu haveria de ver tal coisa num governo que se afirma social-democrata eu diria que não seria possível!



Com mais um pequeno esforço conseguem... em caso de despedimento o trabalhador indemniza o patrão!