sábado, 29 de setembro de 2012

Um (dos muitos) exemplo de Despesismo nas Freguesias de Oeiras de Hoje



No Verão de 2011 as juntas das freguesias de Caxias, Oeiras e Paço de Arcos compraram 5 bicicletas para equipar a PSP de Oeiras com um meio de patrulhamento e policiamento de proximidade muito eficaz. Pagaram um valor
total de 4.200€, (i.e. 840€ cada bicicleta).

Numa consulta feita a um fabricante de bicicletas, produzidas em Portugal,
com modelos desenvolvidos especialmente para forças policiais, verificamos
que cada bicicleta equipada custaria somente 133€ cada.

Por 6 vezes menos equipariam a polícia com as 5 bicicletas solicitadas,
sendo estas fabricadas e equipadas em Portugal.


CDS-PP Oeiras

4 comentários:

Graça Pereira disse...

Sem comentários fiquei eu...E como é que não querem que o país esteja falido? A governar assim...
Grão daqui,grão dali...mas o pior é que há um galo que come tudo...
Beijocas e um fim de semana
Graça

Lex Talionis disse...

Esta notícia parece descabida. Sabendo que uma bicicleta de qualidade custa bem mais do que 133 euros e que há bicicletas a custar mais de 3 mil, o valor destas, se forem de boa qualidade, resistentes e com o equipamento acessório, talvez não seja tão exagerado assim. Poderia talvez ficar um valor ligeiramente inferior, mas o diferencial apontado pelo fabricante nacional é seguramente exagerado por defeito. Esta é uma não notícia...e eu defendo a causa do não despezismo

Oeiras disse...

Sim, bicicletas de 133€ durariam no máximo um ano, e depois teríamos estes mesmos senhores a dizer que se tinham comprado bicicletas de má qualidade, esbanjando dinheiro... sejamos razoáveis.

Bernardo Campos Pereira disse...

As bicicletas de 133€ (preço de 2011 cf. encomenda das bicicletas de 840€ cada) são do modelo Orbita Police ref. 68591 quadro em alumínio, 21 velocidades Shimano TX50 com guarda lamas, suporte de bagagem e conjunto de alforges, especialmente concebidas em Portugal para equipar forças policiais, recebendo testes num laboratório nacional especializado (ABIMOTA), e fabricados numa das maiores produtoras de bicicletas da Europa, que exporta mais de 70% da sua produção, do fabricante que é o principal fornecedor de bicicletas para a Decathlon em todo o mundo, fabrica diretamente para forças policiais, para os correios, e para o "bike-share" Velib de Paris e de Lyon, para mencionar alguma da sua experiência... Seguramente que haverá outros possíveis fabricantes de qualidade semelhante, e com preços mais próximos com os 133€ do que os 840€...
Além das bicicletas encomendadas pelas freguesias IOMAF custarem 6 vezes mais, também deixam sérias dúvidas no que diz respeito às garantias e qualidade: Onde foram desenvolvidas? Quem as fabricou? De acordo com que critérios? São modelos de fábrica, pré-existentes e testados para a polícia? Apresentam homologações ou testes laboratoriais nacionais ou europeus? Houve um concurso ou estudo comparativo antes da compra das bicicletas? Quantos kms têm percorrido as bicicletas e em que tipo de terreno? Seria necessário equipamento tão caro para o uso que têm? Foram consultados lojas de bicicletas no concelho de Oeiras? Quem beneficia em pagar 840€ por uma bicicleta para usar principalmente no passeio marítimo e núcleos urbanos?
O valor exagerado pago pelas freguesias do IOMAF manifesta falta de respeito e falta de competência dos autarcas para com os contribuintes; contribuintes estes que são quem de facto está a comprar as bicicletas por 840€ cada.