quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

2010 – Algés – 50

O Futuro Centro de Saúde



Este assunto tem vindo a ser tratado neste blogue. Num dos últimos números de um jornal regional, havia uma informação sobre o chumbo do caderno de encargos por parte do Tribunal de Contas. Já corriam umas historietas… Mas hoje, pela manhã estavam a ser retirados dois contentores que faziam parte do apoio ao estaleiro e na rua corria informação que o resto do estaleiro iria ser levantado.



Logo às 21h00 vai haver Assembleia de Freguesia na Sala do Palácio Ribamar. Estamos expectantes.

6 comentários:

Isabel Magalhães disse...

"o resto do estaleiro iria ser levantado."


Mas como levantado? Já não vão construir o Centro de Saúde naquele local? É isso?

Se é os que eram contra a exiguidade do local devem estar felizes.

Clotilde Moreira disse...

Isabel,

Vai ser construido. Mas há trapalhada dizem uns; outros que não há dinheiro. Outros que vai haver novo concurso e só lá para Setº se inicia e, entretanto, o empreiteiro vai levar as tais casinhas/escritórios para outra obra que está a fazer.
Isto parece o romamce da Coxinha, lembra-se???
Clotilde

Anónimo disse...

O problema é que o tribunal de contas não visou a obra. Logo vão ter de lançar um novo concurso. Aconteceu o mesmo com a residência para cientistas de stº. amaro.

Makaveli disse...

É como o novo estádio do Atlético de Porto Salvo.

Ora as máquinas estão a funcionar ora estão paradas ...

Anónimo disse...

Quem andou a fazer promessas em 2005 devia ser politicamente responsabilizado. Mas não é. A gestão da coisa pública em Oeiras está a ser danosa. Desde 2005 nada foi feito e voltaram a eleger o movimento populista. Aí está.

Anónimo disse...

Vamos votar na cidadania activa para 2011. Todos vamos fazer qq coisa por Oeiras. Preparem-se para não desistir.
A CMO está de rastos e foram muitos que ajudaram com os votinhos medrosos com os votinhos ilusão pensando que iriam ser recompensados. Claro que há meia dúzia gordinhos e anafados, mas a maior parte...
Vão aos sítios certos não pedir mas reclamar, denunciar, agir.
De Tercena