terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Troféu Corrida das Localidades do Concelho de Oeiras

.


No passado dia 8 de Dezembro de 2010 no “G.P. de Carnaxide ” a equipa de Atletismo do “Centro Comunitário de Linda-a-Velha”, fez a sua estreia no prestigiado “Troféu Corrida das Localidades do Concelho de Oeiras” superiormente organizada pela divisão de desporto da Câmara Municipal de Oeiras.

Uma prova digna de passar nas televisões Portuguesas dada a grandiosa participação de atletas dos 6 aos 70 anos, demonstração que é talvez a melhor realização desportiva popular a nível Nacional, é realizada no nosso concelho há quase trinta anos.

Na prova de Carnaxide a equipa do CCLAV, esteve representado com dois Atletas, Pedro Magalhães e Adérito Lopes.

Na prova de dia 9 de Janeiro deste ano no “G.P. de Valêjas” a equipa fez-se representar por quatro atletas:

Jacinto Pereira, Manuel Alves; Rui Agostinho e Luís Almeida, por esta ordem na Foto e da esquerda para a direita.




Texto: Jacinto Pereira

5 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

parabéns a todos pelo trabalho que têm vindo a desempenhar ao desenvolver estas actividades na nossa localidade e ao tentarem divulgar o desporto junto da população local!!!! :)
Um especial comentário a jacinto pereira (padrinho): Parabéns por tudo o que tem conseguido, com o seu esforço e muita dedicação!!! MUito orgulho tenho eu em ser o que é!!!!:) :) Continue... beijinhos :)
Rute Machado

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

À administração do blogue
Certamente que esta profusão de mensagens removidas devem ter linguagem pouco própria. Não será possível impedir que o autor tenha acesso aqui?
De Tercena

Isabel Magalhães disse...

Caro Leitor 'De Tercena';


Há pessoas com problemas de adaptação às regras da vida e da sociedade. São pessoas com distúrbios, de maior ou menor intensidade, que não sabem respeitar os outros nem respeitar-se a si próprias e andam por aí a fazer figuras tristes e tontas, sem perceber os sinais, nem os recados. Por vezes o quadro ainda inclui os infelizes sem vida própria que desperdiçam a pouca que lhes resta.