domingo, 6 de março de 2011

O "novo" PSD de Oeiras

As Secções do PSD de Lisboa, Loures, Oeiras e Sintra, foram a votos no dia 28 de Fevereiro, para a eleição da 1.ª Concelhia. Vamos falar daquela que mais nos interessa - OEIRAS!
Os principais protagonistas foram Alexandre Luz (Lista A), então Presidente da Secção de Oeiras e Ângelo Pereira (Lista B), Presidente da Mesa do Plenário da Secção de Algés. Ganhou a Lista A com 700 votos, contra 597 da Lista B. Em termos percentuais o resultado foi de 53,97 contra 46,03. Na Secção/Mesa de Voto de Oeiras ganhou folgadamente a Lista A, na Secção/Mesa de Voto de Linda-a-Velha ganhou a Lista B.
Vamos agora escalpelizar os resultados e procurar associar a participação ao que se passa nas eleições autárquicas, nomeadamente nestas.
O universo eleitoral compreendia 3533 militantes, sendo 2312 inscritos na Secção de Algés e 1221 inscritos na Secção de Oeiras.
Primeira conclusão: os militantes da extinta Secção de Algés eram mais do dobro da extinta Secção de Oeiras.
Descontando cerca de 10% de militantes que não liquidaram as quotas até ao dia 17 de Fevereiro, o que os impediu de votar, e arredondando o caderno eleitoral para 3000, conclui-se que a não participação ("abstenção") num acto de extrema importância para o PSD de Oeiras atingiu cerca de 57%, ou seja, a participação ficou-se pelos 43%, o que é baixíssima!
Segunda conclusão: a extinta Secção de Oeiras e a equipa de Alexandre Luz, com menos de metade das "forças" de Algés, fizeram um melhor trabalho no terreno.
Há factores que neste momento desconhecemos, como seja acesso a informação privilegiada por parte de uma ou outra Lista, ou por ambas, embora os resultados tendam a comprovar que se tratou de um trabalho mais profícuo no terreno, com uma maior aposta no aglomerado composto pelos bairros municipais, deixando-se de fora parte importante do eleitorado, nomeadamente os das classes média, média-alta e alta, que, à primeira vista, se alhearam do processo eleitoral.
Terceira conclusão: é necessário executar um trabalho que tenda a diluir as clivagens entre os militantes das extintas Secções de Algés e Oeiras, pois os resultados comprovam que as divisões são um facto e não mera retórica.
Os nossos sinceros parabéns a Alexandre Luz pela vitória, com os votos de que tenha a inteligência e a sensibilidade para agregar e congregar os militantes que estiveram na lista opositora.
Àqueles que agora manifestam a sua grande e, por vezes, incontida alegria com um laivo de satisfação pela derrota da Lista B, arrogância e desprezo pelo Ângelo Pereira, terminamos este primeiro contributo com o "OL" com a seguinte frase:

         "Aquele que tentou e não conseguiu, é superior àquele que nada tentou"

                                                        (Bud Wilkinson)


4 comentários:

Anónimo disse...

Como poderá alguém que na prática age contra o PSD e de facto ocupa um lugar de confiança política servindo força política adversária do PSD agregar os militantes do PSD? A tática é a mesma, condicionar o PSD para tentar levar à vitória o futuro candidato IOMAF, sim tentar porque mesmo assim a vitória será mais dificil.

Leite Pereira disse...

Como antigo militante da secção de Oeiras e seu fundador (militante n.º 463 que agora se encontra noutra secção do norte do país) não posso deixar de lamentar o que se passa em Oeiras. Como é possível o presidente do PSD de Oeras ser adjunto do vice presidente da CMO que faz parte de uma lista opositora ao PSD. A isto chama-se promiscuidade política e, lamentavelmente os órgãos nacionais do partido ficam calados. Este exemplo é o receio que tenho quando o PSD for governo: distribuição de lugares pelos amigos da Jota que apoiaram Passos Correia.O anónimo que me antecede tem toda a razão.

Helder Sá disse...

Caro Eng.º Leite Pereira, é evidente que a eleição da Concelhia abriu um novo rumo para o PSD de Oeiras. Acredito que aqueles que hoje estão com o IOMAF militando no PSD vão ter de escolher: não podem fazer parte do Movimento do Presidente da CMO, não devem assistir a assembleias, não podem fazer parte da sua Direcção, da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal. Marco Paulo é que tinha 2 amores
"Que em nada são iguais
Mas não tenho a certeza
De qual eu gosto mais
Meu coração continua
Sem saber o que fazer
É melhor amar as duas
Sem uma doutra saber"

Em Oeiras sabe-se quem tem 2 amores, um sabe do outro, e na vida real quando há 2 amores tem que se escolher 1. Em Oeiras, nesta nova realidade, as escolhas terão de ser feitas, custe o que custar e a quem custar.

Oeiras disse...

Estamos entregues à bicharada... ai mais um que parece muito elquente mas quando se vai a espremer não sai sumo nenhum... valha-nos Deus sermos um dia governados por esse exemplar!