terça-feira, 10 de maio de 2011

Os Vizinhos


Estamos num momento de grandes transformações que até podem vir a interferir no nosso Município. Mas também é verdade que está a haver uma certa confusão com tanta informação, pareceres, opiniões… Por isso talvez seja melhor esperarmos que a tempestade acalme um pouco. É que há mesmo inverdades quando afirmam que ninguém fez propostas alternativas, que ninguém apontou erros em tempo oportuno. Um dia a verdade como o azeite virá ao de cima e quem estiver de boa fé sabe já que eles não têm razão.

Mas vamos ao que importa. Felizes os que têm bons vizinhos. Está a ouvir-se, com muita frequência, queixas de má vizinhança: música em altos berros, atirar com portas, roupa molhada que encharca a dos vizinhos de baixo, lixo espalhado à porta do prédio (quando não é atirado pela janela) e há quem aspire a casa às quatro da manhã ou de madrugada ande a mudar móveis.

E também o passeio com carros e os caixotes de lixo a abarrotar por fora (e com espaço vazio ainda no interior), as regas das plantas da varanda sem cuidar de quem passa ou quem sacuda tudo sem ver se incomoda. E quando alguém se queixa além de responderem mal ainda pioram o comportamento.

Este tipo de estar na Vida resulta, talvez, de falta de educação, de respeito pelo seu semelhante e de sensibilidade no relacionamento com os outros e são coisas quase invisíveis que tornam difícil a intervenção de uma Autoridade. Como agir para melhorar este relacionamento? Vamos começar, por cada um de nós, tentar ser sempre um bom “exemplo”.


Maria Clotilde Moreira / Algés


Artigo publicado hoje no Correio dos Leitores do JO

8 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Resulta disso tudo e da 'nossa' portugalidade. Como bem sabemos há sempre quem se considere acima da Lei e não dê o exemplo...

Leodete disse...

Curioso!
Um tema tão importante e ninguém, até esta data, teve nada a comentar!
Provavelmente por que foca assuntos que toca a muita gente ... que se sentiu atingida.
As pessoas sentem-se acima da Lei uma vez que ela é muito morosa a actuar e, outras vezes, não actua (apesar de haver provas).
Soari

Isabel Magalhães disse...

Soari;

Não contesto o seu comentário mas há, ainda, outra razão: o blog deixou de aceitar comentadores anónimos e isso diminui o número de comentários.

Desde o início que somos diariamente invadidos e agredidos por gente tonta ou que sofre de falta de civilidade - ou ambas - que nos visita com o único intuito de soltar o insultozinho fruto de mau carácter e de ressabiamento e houve que tomar medidas...

Continue connosco.

Leodete disse...

Percebo então não haver tantos a quererem comentar.
Por experiência própria, posso dizer que, com dados concretos, dado que as entidades competentes e envolvidas em certas ocorrências (camioneta com bilhas de gás em logradouro ...), nada fazem em tempo útil, dá aso a que o prevaricador se julgue "acima da Lei".
Por outro lado, infelizmente, cães a ladrar a qualquer hora, dia e noite, portas a bater, aparelhagem TV / rádio aos berros, também conheço e sofro os efeitos (Dafundo).
Soari

Clotilde Moreira disse...

Isabel
Acho que tomaram um decisão acertada ao não aceitar anónimos pois com o regresso dos "doentes" e mal educados mesmo os anónimos normais ficavam enredados numa data de palavreado indecoroso.
Clotilde

nabo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nabo do Carlos Castro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nabo do Carlos Castro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.