quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Cuidados a ter numa vaga de frio

Com a previsão meteorológica que prevê um abaixamento das temperaturas mínimas nos próximos dias, que pode chegar aos -2ºc em Trás-os-Montes, é bom relembrar os cuidados a ter nestes casos...

Serra da Estrela

Embora permanecer em casa o maior tempo possível ajude a reduzir o risco de acidente de automóvel e quedas, poderá também enfrentar riscos domésticos.

Muitas casas estarão muito frias quer devido à falta de energia quer pelo sistema de aquecimento não ser adequado à temperatura.

Quando somos forçados a utilizar aquecedores e lareiras para nos mantermos quentes o risco de incêndio aumenta bem como o de intoxicação por monóxido de carbono.

A exposição a baixas temperaturas, no interior e no exterior, podem causar riscos sérios ou letais para a saúde. Crianças e idosos são grupos particularmente vulneráveis mas qualquer um pode ser afectado.

Para se manter a si e à sua família seguros deverá saber prevenir problemas de saúde relacionados com o frio e o que fazer em casos de emergências de saúde com ele relacionadas.

Consulte esta página do INEM para mais informações.

Recomendações disponíveis no Portal da Saúde
.

Não se esqueça, a sua segurança começa em si!

Na Blogosfera

.

Com a devida vénia a Rui Freitas

"Carta Aberta" a Miguel Sousa Tavares

Jornalistas "versus" Segredo de Justiça


Jornalistas (os "culpados de sempre") e Segredo de Justiça, é o tema que abordei (como referi no comentário ao "post" abaixo) no meu "Pinhanços Dixit".
Sem falsas modéstias, espero os vossos comentários... Os do "sim" e os do "não"!
Como em tudo na vida, há sempre a "frente" e o "verso" do "problema"!

terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Carta a Miguel Sousa Tavares

.
Caro(a) Colega,

No número 1784 do Jornal Expresso, publicado no passado dia 6 de Janeiro, o colunista Miguel Sousa Tavares desferiu um violentíssimo ataque contra os professores (que não queriam fazer horas de substituição), assim como contra os médicos (que passavam atestados falsos) e contra os juízes (que, na relação laboral, pendiam para os mais fracos e até tinham condenado o Ministério da Educação a pagar horas extraordinárias pelas aulas de substituição). Em qualquer país civilizado, quem é atacado tem o direito de se defender. De modo que a professora Dalila Cabrita Mateus, sentindo-se atingida, enviou ao Director do Expresso, uma carta aberta ao jornalista Miguel Sousa Tavares. Contudo, como é timbre dum jornal de referência que aprecia o contraditório, de modo a poder esclarecer devidamente os seus leitores, o Expresso não publicou a carta enviada. Aqui vai, pois, a tal Carta Aberta, que circula pela Net. Para que seja divulgada mais amplamente, pois, felizmente, ainda existe em Portugal liberdade de expressão.


Divulgue este mail reenviando-o

SPRC . FENPROF (Viseu)


Carta duma professora


«Não é a primeira vez que tenho a oportunidade de ler textos escritos pelo jornalista Miguel Sousa Tavares. Anoto que escreve sobre tudo e mais alguma coisa, mesmo quando depois se verifica que conhece mal os problemas que aborda. É o caso, por exemplo, dos temas relacionados com a educação, com as escolas e com os professores. E pensava eu que o código deontológico dos jornalistas obrigava a realizar um trabalho prévio de pesquisa, a ouvir as partes envolvidas, para depois escrever sobre a temática de forma séria e isenta.
O senhor jornalista e a ministra que defende não devem saber o que é ter uma turma de 28 a 30 alunos, estando atenta aos que conversam com os colegas, aos que estão distraídos, ao que se levanta de repente para esmurrar o colega, aos que não passam os apontamentos escritos no quadro, ao que, de repente, resolve sair da sala de aula. Não sabe o trabalho que dá disciplinar uma turma. E o professor tem várias turmas.
O senhor jornalista não sabe (embora a ministra deva saber) o enorme trabalho burocrático que recai sobre os professores, a acrescer à planificação e preparação das aulas. O senhor jornalista não sabe (embora devesse saber) o que é ensinar obedecendo a programas baseados em doutrinas pedagógicas pimba, que têm como denominador comum o ódio visceral à História ou à Literatura, às Ciências ou à Filosofia, que substituíram conteúdos por competências, que transformaram a escola em lugar de recreio, tudo certificado por um Ministério em que impera a ignorância e a incompetência.
O senhor jornalista falta à verdade quando alude ao «flagelo do absentismo dos professores, sem paralelo em nenhum outro sector de actividade, público ou privado». Tal falsidade já foi desmentida com números e por mais de uma vez. Além do que, em nenhuma outra profissão, um simples atraso de 10 minutos significa uma falta imediata. O senhor jornalista não sabe (embora a ministra tenha obrigação de saber) o que é chegar a uma turma que se não conhece, para substituir uma professora que está a ser operada e ouvir os alunos gritarem contra aquela «filha da puta» que, segundo eles, pouco ou nada veio acrescentar ao trabalho pedagógico que vinha a ser desenvolvido.
O senhor jornalista não imagina o que é leccionar turmas em que um aluno tem fome, outro é portador de hepatite, um terceiro chega tarde porque a mãe não o acordou (embora receba o rendimento mínimo nacional para pôr o filho a pé e colocá-lo na escola), um quarto é portador de uma arma branca com que está a ameaçar os colegas. Não imagina (ou não quer imaginar) o que é leccionar quando a miséria cresce nas famílias, pois «em casa em que não há pão, todos ralham e ninguém tem razão». O senhor jornalista não tem sequer a sensibilidade para se por no lugar dos professores e professoras insultados e até agredidos, em resultado de um clima de indisciplina que cresceu com as aulas de substituição, nos moldes em que estão a ser concretizadas. O senhor jornalista não percebe a sensação que se tem em perder tempo, fazendo uma coisa que pedagogicamente não serve para nada, a não ser parafazer crescer a indisciplina, para cansar e dificultar cada vez mais o estudo sério do professor. Quando, no caso da signatária, até podia continuar a ocupar esse tempo com a investigação em áreas e temas que interessam ao país.
O senhor jornalista recria um novo conceito de justiça. Não castiga o delinquente, mas faz o justo pagar pelo pecador, neste caso o geral dos professores penalizados pela falta dum colega. Aliás, o senhor jornalista insulta os professores, todos os professores, uma casta corporativa com privilégios que ninguém conhece e que não quer trabalhar, fazendo as tais aulas de substituição.
O senhor jornalista insulta, ainda, todos os médicos acusando-os de passar atestados, em regra falsos. E tal como o Ministério, num estranho regresso ao passado, o senhor jornalista passa por cima da lei, neste caso o antigo Estatuto da Carreira Docente, que mandava pagar as aulas de substituição.
Aparentemente, o propósito do jornalista Miguel Sousa Tavares não era discutir com seriedade. Era sim (do alto da sua arrogância e prosápia) provocar os professores, os médicos e até os juízes, três castas corporativas. Tudo com o propósito de levar a água ao moinho da política neoliberal do governo, neste caso do Ministério da Educação.

Dalila Cabrita Mateus,
professora, doutora em História Moderna e Contemporânea».

domingo, 28 de janeiro de 2007

Reabilitação do Palácio do Egipto


.
Portal do Palácio do Egipto cerca de 1986

O Palácio do Egipto é um edifício que data do séc. XVIII.
Este era a casa nobre da Quinta de Nossa Senhora do Egipto, a qual ia desde o local onde se encontra o palácio até Sto. Amaro de Oeiras, por uma área hoje completamente urbanizada.


Quinta do Egipto cerca de 1643

Foi residência de António Rebelo de Andrade (1696-1763), benemérito de Oeiras, que contribuiu grandemente com o seu patrocínio para as obras da Igreja matriz, na qual está sepultado, e que terá ampliado o primitivo palácio que tinha herdado.
Depois do Palácio do Marquês e paralelamente ao do Arriaga, seria certamente em importância e grandeza a segunda casa nobre de Oeiras.

Conserva, da primeira metade do séc. XVIII, belos conjuntos de azulejos seriados Joaninos, albarradas nos dois átrios e padronagem na escadaria
De grande relevo e efeito é também o seu curioso pórtico em forma de arco asa de cesto, com volutas, coroado por uma concha.


Átrio do Palácio do Egipto em 29 de Julho de 2006

Passou por muitas vicissitudes que o degradaram substancialmente, nomeadamente no período em que nele funcionou a sede da A.D.O. e um restaurante/casa de fados.
Muitas agressões foram feitas ao edifício, que viu destruídos vários dos frescos vegetalistas que decoravam parte das suas paredes e tectos e delapidada uma grande parte dos seus belos painéis de azulejos.

O Palácio do Egipto, pela sua importância para a História de Oeiras, merece ser dignificado e reabilitado, sem dúvida. Estamos entre os primeiros a defendê-lo. Mas vejam AQUI, fazendo o download do PDF, o que vai ser feito. Muito MAL, na nossa opinião.


Mais um ATENTADO ao castigado
Centro Histórico de Oeiras.



fotografias: ©2007 Fernando Júlio Batista / josé antónio / comunicação visual.
mapa: pormenor da Carta dos Arredores de Lisboa, Folha 1 [Oeiras], 1643-1646 in "Cartografia de Oeiras 4 séculos de representação do território (do século XVI ao século XX)", coord. Joaquim Boiça, CMO, 2003, p. 64.

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
.
Estão em funcionamento, desde o passado dia 15 de Outubro, duas linhas telefónicas gratuitas de apoio a donos de animais de companhia, uma iniciativa da Câmara Municipal no âmbito do projecto de Gestão Integrada e Bem-Estar Animal.

Através de uma chamada telefónica para um dos números, 800 201 205 ou 800 910 110, é agora possível obter informações e também denunciar situações de abandono ou maus-tratos a animais, permitindo à Câmara Municipal actuar, sancionando os autores da violência. Outra vertente deste projecto diz respeito à criação de "pontos de encontro" para animais errantes, locais onde seja possível, a qualquer pessoa, alimentar os animais, com as necessárias condições de higiene e salubridade.


sábado, 27 de janeiro de 2007

um certo tipo...

.
"Os barretes servem a quem os enfia"
ou
"Chapéus há muitos..."

um certo tipo de leitor-comentador do Oeiras Local, felizmente mais raro do que ele próprio pensa, o que não é de estranhar dada a sua natureza:


ou ainda... "O cómico de serviço!"
.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

TLEBS

Nova Terminologia Linguística suspensa
Governo afasta temporariamente experiência pedagógica

O Governo vai suspender a aplicação nas escolas da nova Terminologia Linguística para o Ensino Básico e Secundário (TLEBS) numa portaria que será publicada no próximo mês de Fevereiro, disse esta quinta-feira o secretário de Estado Adjunto da Educação, Jorge Pereira. ...

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Novo Serviço Blogger

.

Informam-se os leitores que a passagem do serviço "Blogger" a "Blogger beta" continua a causar problemas vários, nomeadamente o não envio por e-mail dos comentários de leitores não registados. Na impossibilidade de ler a toda a hora todo o blogue, muitos desses comentários só por mero acaso são encontrados.

Marcelo Rebelo de Sousa, "Assim Não"!

.


domingo, 21 de janeiro de 2007

ROBÔPROF MULTIFUNÇÕES


reminiscências

.
Existem reminiscências de tempos antigos (não muito...), com as quais nos vamos cruzando por aí, no concelho de Oeiras, e que nos transportam a um tempo em que havia menos casas, poucos prédios, diversas quintas, e muitas das ruas de hoje ainda eram estradas, caminhos ou azinhagas. Conduzem-nos ao passado, quando nos apercebemos da sua presença, pois o nosso ritmo actual é veloz demais para acompanhar a sua vigilante quietude. É necessário caminhar devagar e calmamente para as notar e é incontornável parar para as observar.

Aqui ficam quatro exemplos com os quais me cruzei. Muitos outros por aí permanecem, plácidos e indiferentes ao progresso e à nossa passagem.
.
R. Marquês de Pombal
(notar a coroa monárquica)




Passeio pedonal do Picadeiro




Av. D. José I




Av. da República




imagens: ©2007 comunicação visual/josé antónio CLIQUE PARA AMPLIAR

.

TLEBS

.

«Quando um produto é perigoso para a saúde pública, logo as autoridades o mandam retirar. A situação é parecida. A TLEBS é um composto de alta perigosidade para a «saúde pública» escolar»

2007/01/03 21:52

Vasco Graça Moura em artigo de opinião no Diário de Notícias

«Nos últimos meses de 2006 ficou amplamente demonstrado que a TLEBS [Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário] é um crime contra a língua portuguesa e contra o ensino e a aprendizagem dela».


Pais unem-se contra nova gramática

2007/01/19

Petição lançada na internet já foi assinada por mais de 4 mil pessoas.
A Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) manifestou-se hoje contra a nova Terminologia Linguística para o Ensino Básico e Secundário (TLEBS), considerando não entender em que medida a sua introdução é benéfica para os alunos. A notícia é avançada pela Lusa.

Envolta em polémica, a nova terminologia, aprovada pelo Ministério da Educação (ME) em 2004, começou este ano a ser leccionada de forma generalizada no 3º, 5º e 7º anos. Só em 2009 deverá abranger todo o sistema de ensino, com o objectivo de uniformizar os termos gramaticais ensinados na escola. ...
AUTOMOBILISMO
Lisboa-Dakar 2007
Elisabete venceu entre as Senhoras e foi 6ª entre os camiões de série
Elisabete Jacinto completou hoje a sua nona participação na mais importante das competições mundiais de todo o terreno, registando o 19º tempo na derradeira especial, disputada em torno do Lac Rose. A piloto da equipa Trifene 200 / MAN Portugal terminou o Euromilhões Lisboa Dakar 2007 no 21º lugar. Apesar dos esforços dos últimos dias, a piloto do MAN M2000 ficou a escassos 2m03s de entrar para o Top20. ...
.

Desporto Automóveis
Peterhansel vence nos carros; Despres nas motos

O francês Stéphane Peterhansel venceu o Lisboa-Dakar 2007 nos carros. O português Carlos Sousa ficou em sétimo lugar. Nas motos, mais um francês venceu: Cyril Despres. Hélder Rodrigues foi o melhor português com um prestigiado quinto lugar. ...

sábado, 20 de janeiro de 2007

LISBOA-DAKAR (14ª etapa )

.

AUTOMOBILISMO
Lisboa - Dakar

Vitória fala português

Depois de três vitórias de pilotos lusos no Dakar 2007, novo triunfo de um piloto de língua portuguesa na prova com a vitória de Jean de Azevedo (KTM), na 14ª etapa que levou a competição de Tambacounda até à capital do Senegal. ...

FALAR DE DEMOCRACIA!



Ó sr. António;
Vamos lá FALAR DE DEMOCRACIA!
O sr. abre a SUA PORTA de casa a alguém. Não importa quem. Amigo, conhecido, desconhecido. Essa pessoa entra e começa a tratá-lo mal, a insultá-lo, a invectivar, a adjectivar com palavras desagradáveis tudo o que o sr. diz. Com ou sem razão.
Abusa do seu espaço, conspurca-lhe a casa, insulta outros amigos que usufruem da sua companhia. E que faz o sr. António? Continua de porta aberta, aceita continuar a ser agredido? Estou em crer que não!
Então não é o sr. António que tem uma chavinha preparada por si, e que esconde na mão, para RISCAR viaturas e assim PUNIR os automobilistas que se atrevem a estacionar mal?
Olhe que não pode dar o dito por não dito! Há registos PDF dos seus comentários, apesar de posteriormente o sr. António os ter apagado do blogue!
Não é o sr. António que de serra em punho - ver post do J.A.Batista sobre passeios obstruidos - se propõe cortar as árvores plantadas a expensas do erário público?
Não é o sr. António que apela ao terrorismo urbano noutras formas como a das "brigadas populares"?
Então sr. António, que DEMOCRACIA é a SUA? Isto diz-lhe alguma coisa? Eu nem vou ATREVER-ME a adjectivar...!
Aproveite o novel espaço web de Oeiras e aponte para lá as suas 'BATARIAS'. Pela amostra recente, vai ter muitas oportunidades de se atirar 'às canelas' daquele, a quem - certamente de forma muito carinhosa - apelida de BANDIDO.

Nota
1- 'Isto' foi um bónus porque nós sabemos que o que o sr. quer 'é conversa'. Nós "comprendemos" que precisa preencher a sua triste existência, e as frustações acumuladas desde o fim do estado novo.
2- Não é meu hábito tratar desconhecidos por 'Senhor Nome Póprio'; trata-se apenas de uma chamada de atenção para o facto de o senhor Bento ter tratado uma das leitoras por 'Senhora Maria'!

sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

CÓDIGOS MALICIOSOS

.
Troianos bancários perfazem 20% do total de ameaças nesta categoria em 2006

A utilização de código maliciosos para aceder a dados pessoais dos internautas é uma prática cada vez mais utilizada nos dias que correm. O objectivo destes utilizadores mal intencionados é quase sempre motivado por interesses financeiros. ...

LISBOA-DAKAR (etapa 13)

.
AUTOMOBILISMO
Lisboa-Dakar 2007
Quarto lugar para Carlos Sousa
O quarto lugar foi o resultado conseguido pela dupla do Lagos Team, Carlos Sousa/Andreas Schulz na 13ª Etapa do Lisboa-Dakar que ligou Kayes no Mali a Tabacounda no Senegal. Os 260 quilómetros de classificativa eram caracteristicamente muito duros e Carlos Sousa mostrava-se bastante satisfeito com a sua prestação. ...

OEIRAS VIVA!




Ponha a informação em dia.
Faça uma visita ao



.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Lisboa – Dakar (etapa 12)

Desporto Automóveis
Portugueses em segundo lugar na etapa de hoje

Carlos Sousa, em automóveis e Paulo Gonçalves, em motos, ficaram em segundo lugar, nas respectivas categorias na etapa de hoje do Lisboa – Dakar. ...

Sem comentários

Um Amigo aconselhou-me este "link". E, acreditem que me fartei de rir!
Ora espreitem lá e digam-me se não riram também?
O "homem" é mesmo bronco!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

El Corte Inglés - Afastada hipótese Oeiras


Negócio não está fechado
Novo armazém El Corte Inglés a caminho de Cascais
Alexandra Reis
Terceira loja do gigante espanhol no país deverá ficar em Carcavelos, junto à A5.
Câmara está "bastante receptiva"

O terceiro armazém do gigante espanhol El Corte Inglés em Portugal deverá ser construído em Carcavelos, concelho de Cascais, nuns terrenos situados a sul da auto-estrada A5 "mesmo encostados" às portagens ali existentes. O presidente da Câmara de Cascais reuniu-se ontem com representantes da cadeia, que "manifestaram a sua intenção" de ali erguerem o empreendimento.
Segundo António Capucho, a câmara já está a desenvolver um plano de pormenor para a zona, "onde é possível" construir um grande armazém. Contudo, salvaguarda o autarca, a decisão final ainda não está tomada e as negociações vão continuar. "O El Corte Inglés ainda terá de comprar o terreno, na posse de vários particulares, e apresentar um projecto", o que ainda não aconteceu.
O mesmo foi dito ao PÚBLICO pela porta-voz da empresa espanhola em Portugal, Susana Santos, que avançou não ter "indicação nenhuma por parte da direcção de que haja uma decisão definitiva sobre a localização" da loja. Ainda assim, Capucho diz que a câmara está "bastante receptiva" a receber o terceiro El Corte Inglés no país - a cadeia já tem lojas em Lisboa e Vila Nova de Gaia -, já que poderão ser criados ali cerca de dois mil novos postos de trabalho.

Afastada hipótese Oeiras
...

As Naus!

Quando as naus já não partem para a Índia, na rota da seda e da pimenta, nem demandam novos mundos, quando o nome do nosso país é mencionado pelos piores motivos, elevada taxa de maus tratos sobre crianças, iliteracia, insucesso escolar, alcolismo, sinistralidade e falta de civismo nas estradas, inflação, desemprego, corrupção, má gestão do erário público, quando somos ultrapasssados por países menos cotados no ‘ranking’ da Comunidade Europeia, e porque nos recusamos a homenagear apenas os heróis mortos, vamos seguindo e apoiando a destreza e determinação dos que levam a bandeira nacional pelas areias do deserto até Dakar.

Ainda a Quinta do Barão

Caros leitores do "Oeiras Local",
Em primeiro lugar, permitam-me que reproduza aqui uma imagem aérea da Quinta do Barão, retirada (com a devida vénia e pedido de autorização) do Mapa da Câmara Municipal de Cascais, no qual se pode constatar (pela divisão assinalada a azul) que, apenas uma pequena parte da mesma, está localizada no Município de Oeiras... no nosso Município!

Eu sei que este facto não nos alija a preocupação mas, tanto quanto consegui apurar, não é aqui que "nascerá" a futura estrutura do "El Corte Inglés".
O "busilis" da questão, é saber onde "nascerá" o dito!
Tentei, tentei e voltei a tentar... E nada!
"Garantiram-me" que será na Quinta dos Inglesinhos... Mas também me "garantiram" que, para aí, está prevista a construção de um Centro de Saúde!
Assim, com toda a sinceridade, não posso responder à pertinente questão que se nos coloca a todos!
Espero (aliás, tenho a certeza) que a Jornalista Alexandra Reis tivesse obtido do Presidente da CMC - Dr. António Capucho - a exacta localização. Tal como lhe foi prometido!
Termino, desejando que o investimento privado continue a beneficiar todos os Municípios do nosso País... Apenas discordo que seja "a qualquer preço"!

terça-feira, 16 de janeiro de 2007

QUAL CRISE?

.
Vendas de automóveis de luxo em Portugal aumentaram 63% no ano passado

As vendas de automóveis de luxo em Portugal cresceram 63,4% em 2006, enquanto as de veículos ligeiros de passageiros no geral apresentaram uma queda de 5,7%, segundo os dados da ACAP – Associação do Comércio Automóvel de Portugal.

Os carros de luxo registaram mesmo um crescimento superior ao dos veículos do segmento económico, que tiveram um aumento das vendas de 51,6%, de acordo com as informações da ACAP, citadas pela agência Lusa.

Jornal de Negócios com Lusa


QUINTA DO BARÃO

.
Leia amanhã no Jornal PÚBLICO um artigo sobre a QUINTA DO BARÃO, da autoria da Jornalista Alexandra Germano Reis, com elementos recolhidos no OEIRAS LOCAL.

AJUDAR A ABRAÇO

.

Um leitor do O.L. residente no nosso concelho, fez-me chegar este apelo com pedido de publicação. Por favor ajudem e divulguem junto dos vossos amigos e conhecidos.

A associação "Abraço" recebeu 30 meninos com HIV.
Estamos a necessitar de roupa para rapariga (qualquer idade) e
para rapaz precisamos dos 6 aos 14 anos para este projecto (trinta crianças
a cargo).
Se quiserem colaborar por favor contactem:

Maria José Magalhães
Telef.: 217997500 - (Associação "Abraço")
223756655 - VILA NOVA DE GAIA-PORTUGAL
800225115 - LINHA AZUL

Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 10)

.

AUTOMOBILISMO
Lisboa-Dakar 2007
Mais uma vitória portuguesa
Portugal acaba de conquistar a sua 12ª vitória em etapas do Dakar. Helder Rodrigues foi 44s mais rápido que Marc Coma nos 366 quilómetros de sector selectivo da etapa Nema - Nema esta manhã disputada. ...

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 9)

AUTOMOBILISMO

Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 9)
Mais uma para Schlesser
A paragem de De Villiers e o triunfo de Schlesser na nona etapa, colocam a Mitsubishi no comando da prova sem que, até à data, tenha conseguido vencer qualquer etapa. Os resultados até agora conhecidos permitem a Carlos Sousa ascender ao 7º lugar. ...

domingo, 14 de janeiro de 2007

Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 8)

.

AUTOMOBILISMO
Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 8)
Super De Villiers segura Mitsubishi
O sul africano Giniel De Villiers mantém-se no comando do Dakar depois de hoje ter vencido mais uma etapa. O piloto da VW está agora só na frente face aos dois pilotos da Mitsubishi depois de Carlos Sainz ter perdido mais de uma hora. ...

.

O "Cais" voltou,
com o mesmo espírito
e atitude de sempre.

Eu Voto Não, Não e Não...



Para, mais uma vez (até quando?), contribuir para derrotar o esquerdista "sim", decidi "postar" no meu "blog" imagens chocantes, que chamem à realidade os indecisos... Uma imagem de três em três dias!

Não posso deixar de aconselhar uma visita ao blog "Consciência Crítica" que aborda o mesmo tema, mas de maneira distinta. Li, gostei e aplaudo...

sábado, 13 de janeiro de 2007

Lisboa - Dakar (balanço)

.

AUTOMOBILISMO
Lisboa - Dakar (balanço)
VW domina, Mitsubishi espreita
Nenhum piloto da Mitsubishi ganhou nenhuma das sete etapas até á data disputadas. Este facto é tanto mais significativo quanto se junta a uma desvantagem significativa do trio de carros nipónicos que seguem atrás do duo da VW comandado por Giniel De Villiers.

Mas, verdade seja dita, ainda faltam três importantíssimas etapas, que podem alterar de um dia para o outro o cenário da corrida. A favor da equipa alemã joga a consistência que o sul africano, mas também Carlos Sainz, têm demonstrado. A equipa está todavia desequilibrada e se já se sabia que Mark Miller entrou na equipa por força da Red Bull americana o regresso de Ari Vatanen foi um completo fiasco. Carlos Sousa, de alguma forma inesperadamente, cotou-se como o verdadeiro terceiro piloto da equipa, que só quebrou na derradeira etapa antes do dia de descanso.
Retirado o “tampão” Carlos Sousa a Mitsubishi tem agora Stephane Peterhansel a 24m38s e Luc Alphand a 33m53s. ...

EU VOTO NÃO!

.

.

Mais uns quantos...

.

que são "mais iguais" do que os outros!


Governo: Ajudas de custo para habitação


Defesa: Grupo de trabalho para a
empresarialização do Arsenal do Alfeite

A Viagem do Presidente da República

.
Seguimos o conselho do Menino Mau


Para seguir a viagem de Cavaco à India , siga o blogue de Luiz Carvalho

Eu não me chamo "Luisão"

Assim vai a (in)Justiça no meu País!

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Lisboa-Dakar (Etapa 7)

AUTOMOBILISMO
Lisboa - Dakar
Carlos Sousa explica o que se passou
Contrariando tudo aquilo que foi dito nos comunicados do site do Dakar, Carlos Sousa foi muito claro ao explicar tudo o que se passou na etapa e particularmente na zona crítica que o levou a perder quase duas horas para os primeiros classificados.

Segundo Carlos Sousa "este foi um dia em que tudo nos correu mal. Furámos logo ao Km 10, andámos perdidos e depois atascámos numa zona de dunas onde já estavam outros carros. O Andy saiu para colocar as pranchas e teve de ficar para as recolher enquanto eu procurava uma zona firme para esperar por ele. Aí começaram as complicações já que havia vários carros parados e só consegui parar um quilómetro e meio mais à frente. A partir daí foi a grande confusão. Não podia voltar de carro para trás e o Andy, com a tempestade de areia e com os diversos traços deixados pelos carros em sentidos diferentes não dava comigo. Foi desesperante. Tentei também ir ao seu encontro mas não funcionou. Estamos os dois esgotados e tristes por termos perdido o excelente terceiro lugar. Resta-nos continuar a dar o nosso melhor e esperar que seja a vez dos outros terem problemas".

O PSD de Santarém e o PSD de Lisboa


- O artigo que se segue é inteiramente da minha responsabilidade -

O PSD é um partido tão multi-facetado que têm um modo de funcionamento e colaboração com a sociedade totalmente diferente, de distrito para distrito.

Em cada distrito, há múltiplas Secções que reflectem a orgânica do partido no concelho. Em Oeiras, por exemplo, existem duas, a de Algés e a de Oeiras.

Embora as tecnologias de informação sejam hoje em dia fundamentais para a clarificação da mensagem política - quer para o PSD quer para os outros partidos - estas tecnologias são encaradas de modo diferente, consoante as direcções das Secções estejam em sintonia ou de costas voltadas.

Relato dois casos, diferentes entre si, o distrito de Santarém e o distrito de Lisboa.

Todas as secções de Santarém estão integradas no website do PSD Distrital e com domínios personalizados, como é o caso de Almeirim. O serviço possibilita a publicação de notícias da distrital e da secção, a composição orgânica das mesmas, o que se passa no concelho e com os seus autarcas, além da informação do trabalho desenvolvido pelos deputados na A.R., contribuindo desta maneira para uma maior aproximação ao eleitor e/ou militante.

Este projecto, utilizando as tecnologias de informação, contribuiu para a partilha de informação na esfera politico-partidária e é um brilhante exemplo do que se podia eventualmente fazer no distrito de Lisboa, onde cada secção têm hoje em dia - se tiverem um website - a gestão e alojamento de conteúdos online assegurada de forma autónoma da distrital.

O website da Comissão Política Distrital de Lisboa já se encontra activo há algum tempo, transmitindo informações a nível distrital e mesmo local. E uma coisa foi-me bastante clara, a actividade militante e positiva para o PSD que a Distrital e as Secções empreenderam nos últimos tempos.


Já temos online os websites de Cascais e de Oeiras se não houver outros mais. Não estão integrados a nível distrital. Isto quer dizer que as informações referentes ao distrito não são transmitidas automaticamente aos seus militantes. Porque não integrá-los junto com o website da Distrital de Lisboa, preservando o domínio original? Se estiverem de costas voltadas - e é o que aparenta ser neste caso - isto acabará por não ser possível.

Comparando a actividade da Secção de Oeiras com as outras, o que é que se têm feito por cá em prol do PSD? Nada que seja relevante para o partido e militantes, só uma mera declaração de princípios em que a antiga/actual direcção aposta em esquecer o que se passou nos últimos tempos. O que contrasta em muito com as actividades realizadas pelo PSD/Secção Cascais!!!

É tempo de mudar!

.
Medicamentos - preços podem sofrer aumento substancial

Presidente da Apifarma denuncia europreço


O preço dos medicamentos pode vir a sofrer uma alteração nos próximos anos, o que poderá significar para Portugal um agravamento. Isso acontecerá se a Comissão Europeia aprovar uma medida que tem vindo a ser estudada e que prevê a possibilidade de todos os Estados-membros da União Europeia adoptarem o mesmo preço – o chamado ‘europreço’. ...

Corrida: Carlos Sousa firme no pódio e Hélder Rodrigues em nono

Carlos Sousa continua em terceiro nos automóveis; Hélder Rodrigues voltou ao Clube dos Dez nas motos (está em nono). A frente portuguesa do Lisboa-Dakar ficou, assim, reforçada na transição de Marrocos para a Mauritânia, onde o almadense do Volkswagen Touareg cortou ontem a meta de Zouérat na sétima posição e o lisboeta da Yamaha foi sexto na etapa (a sexta e mais longa do mítico rali, com quase 400 quilómetros cronometrados), que conheceu um vencedor repetente, o norte-americano Robby Gordon (Hummer), e um outro inédito, o espanhol Jordi Villadoms (KTM). Triunfos que não abalaram as respectivas frentes, dominadas pela mesma bandeira, a do país dos líderes Carlos Sainz e Marc Coma.

Sainz foi quarto classificado, a 7.17 minutos de Gordon, e perdeu 25 segundos para o colega de equipa e seu perseguidor, o sul- -africano Giniel de Villiers (terceiro na etapa), embora conservando uma vantagem de 3.11 minutos no topo da tabela geral. Sousa chegou 10 minutos depois de Gordon e perdeu mais cerca de três para o líder, encontrando-se, agora, a 14.03 minutos de Sainz.

O segundo melhor português continua a ser Miguel Barbosa (Proto-Dessoude). "Depois de todos os infortúnios dos últimos dias, finalmente começo, passo a passo, a subir posições. Claro que estou satisfeito e só espero poder continuar assim, sem problemas no carro e a recuperar as posições perdidas. O meu objectivo é terminar a prova em Dakar perto dos dez primeiros", afirmou o bicampeão nacional de todo-o-terreno (16.º na etapa), que subiu sete lugares na geral (de 23.º para 16.º).

Hélder Rodrigues assinou mais uma vitória na categoria 450cc, enquanto Ruben Faria protagonizou novo "salto" (de 120.º para 95.º), ao cortar a meta em 14.º.

"O mais difícil foram os muitos quilómetros que tivemos de fazer por zonas muito pedregosas e o facto de termos encontrado os primeiros troços de erva de camelo. Estou cada vez mais perto dos 15 primeiros. Espero que amanhã [hoje] as coisas me corram da mesma forma", disse, por seu turno, Paulo Gonçalves, o Speedy de Esposende, que está agora na 17.ª posição (foi 19.º em Zouérat).

João Nazaré (Yamaha), primeiro quad na etapa, subiu nove lugares e já é segundo na geral, no dia em que viu abandonar o outro parceiro da categoria, António Ventura (uma queda na véspera provocou-lhe uma entorse no pé).

O sexto dia de prova deixou pelo caminho mais 21 dakaris (12 nos automóveis + 7 nas motos + 2 nos camiões), depois de na véspera, o director do Dakar 2007, Etienne Lavigne, ter-se regojizado com a captura de três presumíveis membros do Grupo Salafista para a Prédica e Combate (GSPC), um movimento argelino aliado à Al-Qaeda, numa acção conduzida pelas autoridades mauritanas.

Hoje, a caravana terá pela frente um total de 580 quilómetros, dos quais 542 cronometrados (só 38 de ligação), novamente com zonas de dunas e de erva de camelo, a ligar Zouérat a Atar, seguindo-se o dia de repouso.

Do azar de António Ventura ao encosto de Madalena Antas

Partiram 27 à conquista do deserto e de Dakar. Todos com a esperança de ganhar o desafio. Seis dias depois, os portugueses já não estão em bloco nas rotas do sonho. Ontem, o quad António Ventura foi o quarto a ficar pelo caminho, depois de ter sofrido uma queda no dia anterior: uma entorse num pé que o obrigou a encostar a moto de quatro rodas, quando ocupava a 157.ª posição da geral e viaja agora integrado na equipa de assistência técnica, uma opção seguida por muitos desistentes.

O motard da Yamaha juntou- -se, assim, a Joaquim Adélio Machado (automóveis) e a Ricardo Pina e José Carvalho (motos), que pararam, definitivamente, na terça-feira. Machado, que pilotava um Toyota Land Cruiser, posicionado no final da terceira etapa em 73.º lugar da geral, foi vítima de um acidente com o seu carro, do qual saiu incólume, ao contrário do seu navegador, o francês Jean-Louis Dronne, de 59 anos, que já foi operado à coluna nas Canárias. No que diz respeito aos outros dois motards portugueses, aparentemente a desistência ficou a dever-se a problemas mecânicos com as respectivas máquinas KTM 660 Rally.

Ontem, Madalena Antas viu partir-se o motor, sem reparação, do Nissan/Super Produção ao quilómetro 374 da ligação, pelo que nem sequer pôde fazer o troço cronometrado (contrariedade que não deve impedi-la de continuar hoje), um dia depois de ter sido o anjo-da-guarda de Ricardo Leal dos Santos. Contemos: o Mitsubishi do português foi-se abaixo (bloqueou o motor de arranque) e teve de ser a pintora lisboeta, que pouco antes havia sido ultrapassada pelo campeão solo de 2006, a dar- -lhe um forte encosto com a Nissan. E o carro pegou.

publicado por JN às 00:01

Fora de pista: Dakar dos pequeninos

.



Georg Kleiber dá mais um aperto ao filtro de ar acabado de montar depois de uma limpeza que não estava nos planos. "Apanhámos muitas tempestades de areia até aqui à zona da fronteira com a Mauritânia e isto começou tudo a falhar", explicou o cunhado e navegador de Kleiber, o também austríaco Rick Watts. "Isto" é um Toyota Tercel 4wd que Watts comprou no site de leilões na Internet "eBay". "Só nos custou 100 euros, ou melhor, pagámos uns 130 euros porque o vendedor nos entregou o carro em casa, em Viena", esclarece o piloto da equipa Pedal Power, que é também a loja de bicicletas que Watts gere na capital austríaca.


O baixo custo do carro é, aliás, a principal condição para participar no Challenge Plymonth-Banjul, uma corrida com fins humanitários entre aquela cidade do sul de Inglaterra e a capital da Gâmbia e que coincide com o competitivo e comparativamente principesco Lisboa-Dakar. "Achamos interessante fazer isto, levar ajuda a pessoas necessitadas de África", justificou Watts, que, em Outubro, encerrou a loja de bicicletas em Viena para preparar o carro e se dedicar com o cunhado à aventura de levar um velho Toyota até à Gâmbia.


David Laiddaw e Eamon Kenwood estavam estacionados na mesma estação de serviço no meio do deserto marroquino, mas com mais sorte que a dupla Kleiber e Watts. Não admira: compraram igualmente no "eBay" um Golf GTI de 1979 por 100 libras (150 euros). "Não está nada mal o carro, tem 275 mil quilómetros e acho que quem ficar com ele na Gâmbia ainda vai ficar com um bom carro", acredita Kenwood.


É que os participantes no "Challenge" são obrigados a doar as viaturas para um leilão a favor de instituições sociais da Gâmbia. "Essa é a parte que nos agrada nesta prova. Na bagagem levamos também material hospitalar, cadernos e canetas para hospitais e escolas de Banjul", diz Laiddaw.


A função humanitária do "Challenge" é importante, mas também há quem aproveite para se divertir. Na caravana rumo a Banjul, que ontem se cruzou no deserto com os portugueses da Expedição Euromilhões Lisboa-Dakar, havia também canas de pesca e pranchas de snowboard. Uma prancha de snowboard em África? "Sim, é óptimo para descer dunas", ri-se Leiber, que ontem à noite não conseguiu cruzar a burocrática fronteira entre Marrocos e a Mauritânia. "Não tem problema, só precisamos chegar à Gâmbia dentro de sete dias. Vamos recuar e montar a tenda numa duna".

Corrida: Tempestade de areia “encurta” especial

.

Uma tempestade de areia levou hoje os comissários desportivos do rali Lisboa- Dacar 2007 a suspender os últimos 134 quilómetros do troço cronometrado da sétima etapa da prova, entre as localidades mauritanas de Zuerat e Atar.

A decisão dos comissários visou garantir as condições de segurança para todos os pilotos participantes no rali, designadamente a operacionalidade dos helicópteros de assistência e vigilância ao serviço da organização.

Assim, ao chegarem ao final da especial, os participantes vão aceder a uma estrada asfaltada, que os conduzirá directamente a Atar, localidade terminal da etapa, onde no sábado os pilotos gozam um dia de descanso.

O troço especial da sétima etapa tinha uma extensão inicial de 542 quilómetros, tendo ficado reduzido a 407,6 quilómetros.

a pedido de várias famílias...

.

imagem: wikipedia
.

Este verão...

...cuidado se forem à pesca! Eles vão andar por aí!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

The Platters - ONLY YOU

.




Lançado em Maio de 1955, foi um hit que permaneceu em 1º lugar 39 semanas.
Para os mais antigos será bom recordar. Para os outros é importante conhecer uma das melhores peças musicais do século XX. Este vídeo é um documento histórico. Apreciem-no!



Nota: o video já não está disponível porque era considerado 'crime' utilizá-lo no YouTube, sem licença dos produtores.



Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 6)

AUTOMOBILISMO
Lisboa-Dakar 2007 (Etapa 6)

Hummer estreia-se a vencer
Encontrando terreno propício para a sua impressionante máquina o americano Robby Gordon levou o Hummer à primeira vitória numa etapa do Dakar. Carlos Sousa foi 7º e consolidou ainda mais a sua terceira posição no Euromilhões Lisboa-Dakar 2007. (...)

.

LISBOA-DAKAR 2007

.

ELISABETE JACINTO

Piloto da equipa Trifene 200 / MAN Portugal

Galerias de Imagens


A Saúde está doente!

.

Governo estuda novo imposto

Grupo de peritos concluiu o relatório pedido pelo executivo e propõe um novo imposto para a Saúde e o aumento das taxas moderadoras acima da inflação.(...)

Quinta do Barão - mais elementos

.
Caros Munícipes e Visitantes, na sequência dos meus posts sobre a Quinta do Barão e do profícuo e por vezes curioso e surrealista debate que aqui se gerou em torno do seu destino, a nossa distinta gestora fez-me chegar 'às mãos' (leia-se 'ao computador') dois links relacionados com o tema em apreço. Aqui fica o meu agradecimento a Isabel Magalhães.

Estes links parecem-me poder contribuir enormemente para nos dar uma ideia mais profunda, quer da história da quinta, quer do seu possível destino, pelo grande manancial de informação que contêm.
Não poderia deixar de os partilhar convosco.

O primeiro dá acesso a um ficheiro PDF (é necessário o Adobe® Acrobat), da responsabilidade da Câmara Municipal de Cascais.
Designa-se por "Estudo Preliminar do Plano de Pormenor da Quinta do Barão" e está datado de Março 2003.
Sobre ele não teço quaisquer considerações. Cada um que analise e julgue por si. O mesmo pode ser consultado CLICANDO AQUI.

O segundo conduz-nos a um site com a história de Carcavelos, e do texto presente na página (que cita a fonte, uma nossa 'conhecida' também da história de Oeiras), para os nossos propósitos, apenas nos interessa este trecho que transcrevo:

(…)

Coeva da época do marquês de Pombal é também a Quinta do Barão.

Os terrenos que a compõem foram comprados e murados por Jacinto Isidoro de Sousa, um afamado mestre-de-obras da Lisboa setecentista, o que dirigiu a conclusão do palácio Pombal, em Oeiras. A casa apa­laçada, de nobre estilo português, que é o encanto e a graça da Quinta do Barão, foi construída por esse mesmo mestre de obras com os restos do material do palácio do marquês, oferecidos pelo estadista ao mes tre que presidira ao remate da obra.

A casa foi concluída em vida do dono e habitada. Anos depois, com a sua morte, fecharam-se as portas do palacete. A viúva, sem amor à vida campestre, vendeu em 1794 toda a propriedade ao barão de Mossâmedes, um dos membros da grande família Almeida e Vasconcelos, e que era, ao tempo, o 12º senhor de Mossâmedes.

A quinta passou então a ter grandezas de propriedade senhorial. Brasões de família foram pintados nos tetos das suas salas. Um mobiliário sumptuoso recheou-a de ponta a ponta. Espalhou-se na terra, entre o povo, a nomenclatura “Quinta do Barão” baptismo popular e imperecível. O nome alongou-se às "cercanias, Alto do Barão, Baixa do Barão, etc., como um sinete de senhorio.

O vinho de Carcavelos" começava, pela época, a ter fama, nos mercados mundiais. O barão de Mossâmedes seguiu a indicação preciosa e plantou a sua propriedade de vinha. A adega, o vasilhame foram arranjadas nas proporções requeridas para as enormes colheitas. A marca de vinhos «Quinta do Barão» data dessa época.

nota: este site tem outras coisas, como fotografias e postais antigos, muito curiosas, que aconselho a quem gosta de vasculhar no passado.

O site pode ser visto CLICANDO AQUI

imagem: fotografia extraída do PDF citado acima e manipulada em Photoshop 4.0. CLIQUE PARA AMPLIAR.
.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

DaKar CartOOn


Lisboa-Dakar (Etapa 5)

.


AUTOMOBILISMO
Isidre vence, Coma lidera

Na frente da corrida das motos mantém-se animado duelo entre os espanhóis Isidre Esteve Pujol e Marc Coma. O primeiro venceu o segundo lidera mas o resultado do dia foi alcançado por Ruben Faria que terminou na 6ª posição a escassos oito segundos do Top5. (...)


rectificação

.
Caros Munícipes e Visitantes, venho fazer uma rectificação ao meu post "rumores...", o qual aqui coloquei há pouco.

A correcção que pretendo fazer diz respeito ao helicóptero citado no texto.
Na verdade o mesmo, soube agora, é o da TVI, que na altura estava a fazer uma reportagem em directo dum incêndio ocorrido no Shopping Palmeiras. A notícia está AQUI.

O facto de o mesmo se encontrar em contra-luz acrescido do meu défice visual não me permitiram identificá-lo com rigor, e assim fui induzido em erro julgando que se tratava dum vulgar hélio de transporte. E também, não era visível nenhum incêndio, carros de bombeiros ou coluna de fumo, do ponto onde me encontrava. Nada que indiciasse o incêndio.

Seja como for, excluído este lapso, o resto do meu post é verídico e corresponde a uma realidade. A Quinta do Barão tem a importância histórica e ambiental que lhe atribuo e está efectivamente em risco de desaparecer, tragada na voragem do betão.
Fica-me também a satisfação deste inconveniente ter despertado a atenção dos munícipes de Oeiras e visitantes para esta questão. É caso para dizer: "Há males que vêm por bem"...

Para dar uma imagem melhor da quinta, ainda que uma pálida imagem, aqui ficam algumas fotografias para V. fruição:



Entrada principal, R. D. José I


Entrada principal, R. D. José I

Adega

Adega

Adega

Janelão a Sul, R. Dr. Joaquim José D'Almeida

Janelão a Sul, R. Dr. Joaquim José D'Almeida

O interior, visto de Sul. Ao fundo vê.se o bosquete.


imagens: © comunicação visual 2007 CLIQUE PARA AMPLIAR

Todas as fotografias entre 01nov2004 e 15abr2005.

.