quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Centro de Inspecção de Oeiras


Buscas no centro de Inspecção de Oeiras


Polícia Judiciária investiga suspeitas de ilegalidades na aprovação de vistorias


Elementos da Direcção Central de Investigação da Corrupção Económica e Financeira da PJ procederam hoje de manhã a buscas a um centro de inspecção automóvel em Oeiras e a várias residências por suspeitas de ilegalidades na aprovação de inspecções »»»
SIC

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Acessibilidades - Freguesia de Linda-a-Velha

LIGA DOS AMIGOS DE LINDA-A-VELHA

Proposta de Resolução do Crescente Problema das Acessibilidades a Linda-a-Velha.
Janeiro de 2008

Dos muitos problemas com que Linda-a-Velha se defronta, o das acessibilidades destaca-se hoje como 0 mais grave, lesando fortemente a qualidade de vida da população desta freguesia. Basta notar que:

1. A esmagadora maioria do trafego automóvel que sai ou entra em Linda-aVelha utiliza para isso a auto-estrada. É pela A5 que os muitos milhares de veiculos que diariamente daqui saem se dirigem ao Marques de Pombal ou à Praça de Espanha, a CRIL ou a CREL, a Margem SuI ou à linha do Estoril, à 2ª Circular ou a zonas de Lisboa como Rato/Campo de Ourique/Estrela, 0 mesmo se passando no sentido inverso.

2• A malha viária no interior da vila nao foi concebida para suportar os caudalosos fluxos de trânsito que por ela circulam. Há muito que se entrou no estado de saturação. Em certos periodos do dia, perde-se mais de meia hora para percorrer 400 metros na zona central da vila.

3. Novas zonas residenciais, com destaque para 0 bairro do Alto de Santa Catarina, geraram volumosos fluxos de tráfego automóvel, forçados a atravessar diametralmente a vila, para entrarem na auto-estrada.

4. As perspectivas do agravamento da situação actual, criadas com a conclusão, a curto prazo, da urbanização da Quinta dos Aciprestes, no centro da vila (67 fogos >150 viaturas), a que se seguirão as do Almarjão/Pedreira dos Hungaros, (286 fogos >650 viaturas) e a que fica fronteira à capela, ambas ja em curso, sao alarmantes.

Está-se perante um problema de extrema gravidade que requer medidas de fundo.

Em 7 de Novembro de 2004, a Liga dos Amigos de Linda-a-Velha apresentou à Camara Municipal de Oeiras uma Proposta de Resolução do Grave e Crescente Problema das Acessibilidades a Linda-a-Velha:

A abertura de uma ligação directa à auto-estrada pela encosta poente da vila.
Esta via poente arrancaria de uma rotunda a construir na Estrada das Biscoiteiras, um pouco abaixo do enfiamento da Avenida D. Pedro V, e ligaria a uma no da A5, a construir a poente do complexo desportivo do Sporting Club local e frente ao Santuario da Rocha.

A abertura de tal via retiraria milhares de carros do centro da vila, mormente da Av. 25 de Abril. O acesso à auto-estrada para carros que se dirigem ou procedem da populosa zona poente fár-se-ia directamente, sem atravessar a zona central.

Ao que nos tem sido oficialmente informado, esta proposta da LIGA será estudada no âmbito do processo de Revisão do PDM, há anos em curso. Por demasiado tempo e com graves consequências, pensamos nós.

A nosso pedido, e para proporcionar à população local a possibilidade de discutir este importante assunto, a Assembleia de Freguesia de Linda-aVelha convocou uma Reunião Extraordinária, que teve lugar no Auditório Municipal Lourdes Norberto no passado dia 6 de Novembro e que foi bastante participada.

Este problema, que afecta o quotidiano de todos nós, requer a participação activa da população de Linda-a-Velha.

A LIGA considera do maior interesse conhecer 0 que pensam os cidadãos que aqui vivem.
É neste entendimento que lhe rogamos o obséquio de nos transmitir os seus comentários. Pode fazê-lo quer pelo telefone 212415396 quer pelo e-mail: ligamigos.lindaavelha@gmail.com

A sua opinião é fundamental. Contamos consigo.


Como cidadã eleitora na Freguesia de Linda-a-Velha presente na supra citada Assembleia Extraordinária de Freguesia do mês de Novembro p.p. que teve lugar no Auditório Lourdes Norberto, [aqui] e porque a proposta então apresentada pelo Sr. Presidente da Junta de Freguesia me pareceu mais consentânea com a realidade e a actualidade da freguesia, pedi-lhe o favor de me enviar, por escrito, um resumo da sua intervenção de 6 de Novembro de 2007.

From: José Barroco
To:
Isabel Magalhães
Sent: Thursday, January 24, 2008 10:49 PM
Subject: Re: Acessibilidades L.a.V.

Como resposta cumpre-me informar:

1. A proposta de acessibilidades foi apresentada pela Liga de Amigos de Linda-a-Velha, que promove uma solução de acesso à A5 na zona poente de Linda-a-Velha.

2. O acesso em causa, pode tirar ou enfiar ainda mais trânsito em Linda-a-Velha.

3. Em virtude desse receio, - esta proposta não é inovadora, tem pelo menos 3 a 4 anos e já era conhecida do anterior executivo - o actual Executivo, contactou a Brisa, a EdP - Estradas de Portugal - o IDP - Instituto do Desporto - e a CMO, para obter pareceres.

4. Até ao momento ninguém respondeu.

5. Em rigor a N. proposta é bem diferente:

a) Somos a favor de uma intersecção entre a A5 e a CRIL na baixa de Miraflores que deveria permitir a passagem e cruzamento de veículos para todas as direcções e que deveria ter sido logo construída com a CRIL.

b) Ou seja, quem vem de Cascais na A5 e quer seguir para Miraflores, Algés ou zona ribeirinha de Lisboa, não deveria ter de entrar na Rotunda das Sereias em Linda-a-Velha;

c) Todos os dias de manhã, mais de 12000 viaturas entram na Rotunda e dirigem-se para Miraflores. Todo este trânsito congestiona Linda-a-Velha, porque quem circula na Rotunda tem prioridade de passagem sobre quem sai da Av. 25 de Abril.

d) Mais, diz o Sr. Presidente da Câmara que o actual viaduto que vem da Outorela/Portela para Miraflores vai resolver o assunto, mas não revela, que a ligação com a Av. do Forte está embargada e que nem enquanto ele foi detentor da pasta do Ambiente no Governo do Dr. Durão Barroso, conseguiu desembargar tal situação. Tal facto deve-se a parte da ligação estar projectada para zona de leito de cheia da Ribeira de Algés.

e) Tal facto, não impediu contudo que em toda aquela zona fossem construídos numerosos prédios que também não podem estar assentes em leito de cheia.

f) Fui o único presidente de Junta de Freguesia que esteve na cerimónia de apresentação da conclusão da CRIL em Novembro passado, no Laboratório do Ambiente, na zona de Pina Manique, para apresentar em mão ao Eng. José Sócrates e ao Ministro Mário Lino, um projecto de intersecção entre a A5 e a CRIL.

Em conclusão só depois de um exaustivo estudo é que seríamos favoráveis a tal acesso na zona poente de Linda-a-Velha.

Um grande abraço.

José Barroco


Corrupção, o Bastonário e os mecanismos no sítio

[clique 2 x para aumentar]


Workshop nas instalações do antigo Quartel de Linda-a-Velha


Sem palavras...

.
Sob o título em epígrafe, recebemos o seguinte email:

Equivalência ao 9º ano escolar!!!!!!!

Na ânsia louca de mostrar ao mundo que conseguiu transformar um pais de analfabetos num país de letrados, eis um exemplo das "Novas Oportunidades" ...

Só visto!

Leiam o anúncio todo, está demais…

CLIQUE PARA AMPLIAR
.

Livro de reclamações num serviço de finanças


é simplex...

.
recebido por email:

Novas oportunidades?...

Continuem a dar computadores e não apostem nos esquadros que os professores lá se ajeitam com as cadeiras!

.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

A ANTARCTICA E O OEIRAS LOCAL

Pinguim de Barbicha
...

Creio que devem ter reparado que colocámos o Oeiras Local na Antárctica. Mais, temos que agradecer ao cientista José Xavier a amabilidade de ter respondido do Pólo Sul (quase) e de, gentilmente, ter aceitado que publicássemos as suas excelentes fotos.
Espero que muitos de nós lhe possam agradecer e desejar sucesso, entrando no seu blog http://cientistapolarjxavier.blogspot.com/.
Este Investigador está lá a fazer um trabalho que interessa à humanidade e honra Portugal. Um bem haja daqui. Vamos acompanhar a sua viagem.


Imagens do autor e cientista José Xavier, postado em 28.01.2008

"Reparei na minha grande sorte quando me apercebi da beleza do nascer do Sol. Tem sido excelente ver surgir o Sol por volta das 3-4 da manhã. Abaixo estão alguns dos registos (alguns tirados hoje) de como o céu aqui é lindo, a claridade única, os tons das cores mais fortes...e um ar gelado que sempre nos lembra que estamos no Oceano Antárctico! Em relação ao trabalho...tudo bem já que o tempo melhorou!!!"

(Excerto do diário de bordo de 28.01.2008)

A NÃO PERDER...

.
Posso falar o que eu acho?

.

É CIDADÃO INTEIRO?

Resistir para sobreviver. É preciso!

O Sítio do RUVASA 2


Correio dos Leitores

Para quem estiver interessado em participar…

http://www.marginalanoite.org/main.htm

Cumprimentos,
Rui Cabral

A TORTURA NÃO É ARTE NEM CULTURA


espírito de corpo

.
recebido por email:

Forcados amadores, espírito de corpo, Amizade.


video
.

cariño

.

Com carinho, para os bentos deste blog:



.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Sporting vence FC Porto


Liga (17ª Jornada)
Sporting vence FC Porto (Sol)
O Sporting venceu esta noite o FC Porto por duas bolas a zero, no jogo grande da 17.ª jornada do Campeonato de Futebol. Vukcevic e Izmailov apontaram os golos da vitória leonina.

os gatos vieram do espaço...

.
... e eu tenho as PROVAS de que eles são ETs que vieram duma galáxia a anos-luz para dominar a Terra e subjugar a Humanidade.
São uma espécie superior que domina uma tecnologia para lá das nossas capacidades cognitivas.
É inútil tentarmos compreendê-los. Não conseguimos. Só nos resta aceitá-los. E aceitar o seu domínio. Ou perecer...

Eis as provas, obtidas no dia 26 AGO 2004 em Punta del Moral, Andaluzia, Espanha:


Claro que a sua verdadeira natureza só é perceptível de noite e apenas em noites especiais, noites cálidas de Verão, quando as naves alienígenas deles pairam a baixa altitude sobre a estratosfera terrestre. De dia não se percebe nada, como se vê por esta imagem abaixo. Para os mais observadores, talvez as orelhas à Spok possam constituir um indício... mas, para tal, é preciso estar muito entrosado com a PES (Percepção Extra Sensorial):


nota: As fotografias NÃO foram manipuladas. Sairam assim mesmo.


imagens: © josé antónio 2004 - CLIQUE PARA AMPLIAR
.

ANO POLAR INTERNACIONAL

...
"O biénio que decorre de Março de 2007 a Março de 2009 foi designado pela Organização Meteorológica Mundial e pelo Conselho Internacional para a Ciência, como o IV Ano Polar Internacional (API), situação que não se verificava há exactamente 50 anos. O evento resulta da congregação de esforços de milhares de cientistas e de centenas de instituições internacionais e nacionais, e visa promover o desenvolvimento da ciência nas regiões polares, mas também mostrar junto da sociedade a importância determinante que as regiões polares têm para a dinâmica e regulação climática do Planeta. O API mobiliza já mais de 50.000 pessoas em todo o Mundo."

Com os agradecimentos a : http://anopolar.no.sapo.pt/

"José Xavier na presente ida à Antárctica a mais dos 60 graus Sul. José é um jovem investigador português que faz ciência polar desde 1997, quando tinha 23 anos, é doutorado pela Universidade de Cambridge e investigador pós-doutoral do Centro de Ciências do Mar da Universidade do Algarve e da British Antarctic Survey."



Imagens da Antárctica obtidas no Blogue do autor
...
Clica aqui para acompanhares a viagem científica: http://cientistapolarjxavier.blogspot.com/

AINDA A TRADIÇÃO DE CAMPIA

Mais uma carta de protesto enviada por um amigo dos animais.


De duas pessoas amigas que tenho em alta conta, vivendo uma no Norte e outra no Sul deste nosso Portugal, recebi ontem uma mensagem electrónica cujo conteúdo me deixou estarrecido e completamente desiludido.

Ambas me falavam numa tradição em Campia, uma pequena aldeia do concelho de Vouzela, em Viseu, a que chamam a “TRADIÇÃO DE TORTURAR UM GATO” e tem lugar no dia de Carnaval de cada ano. Penso que não preciso de entrar nos pormenores da tortura do pobre animal, pois V. Ex.ª deve conhecê-los muito melhor do que eu.

Lembro-lhe que estamos no início do século XXI e que somos um dos países que constitui a chamada União Europeia, um conjunto de países civilizados que não aceita as más tradições. Pelo contrário, apenas admite as que dão alegria e bem-estar a todos. O tipo de tradição a que acima me refiro, infelizmente, ainda abunda no intitulado “terceiro mundo”, em que o forte usa o fraco, em que os apedrejamentos, os sacrifícios, as amputações, a escravatura e outras coisas ainda são frequentes, sendo geralmente as mulheres, as crianças e os animais as maiores vítimas.

Não aceitando as touradas “à Portuguesa” e muito menos os “touros de morte”, também não posso concordar com os requintes de malvadez desta tradição em Campia. Falta pouco mais de uma semana para o dia de Carnaval de 2008, dia em que nos mascararemos e atiraremos serpentinas, “confetis” e água uns aos outros numa confraternização franca e alegre.

Dirijo-me concretamente ao Exmo. Sr. Presidente da Câmara que concorda, ao Exmo. Sr. Presidente da Junta, que é um dos organizadores, e ao Sr. Padre que abençoa esta festa. E, através destas três entidades, a todos os habitantes de Campia que vêem e, concordando ou não, calam e consentem. Também me dirijo ao editor do “Jornal de Vouzela” que muito provavelmente divulga todos os pormenores desta falta de civismo.

A todos peço para terminarem com este repugnante e gratuito acto de malvadez. Ainda têm tempo para isso. É uma questão de querer. POR FAVOR, PROIBAM ESTA TRADIÇÃO PRIMITIVA E CRUEL QUE SERVE APENAS PARA DIVERTIR UNS QUANTOS SÁDICOS.

Certo que estas minhas palavras não “cairão em cesto roto”, agradeço antecipadamente todos os esforços que vão desenvolver no sentido de pararem com esta brincadeira de péssimo gosto.

Aceitem, por favor, os meus respeitosos cumprimentos.

José David da Silva Carvalho
(Vila Nova de Gaia – Porto)



presidente@cm-vouzela.pt;

PARA MAIS TARDE RECORDAR QUEM PARTICIPOU NA VIAGEM

Recebido por e.mail

Quem são os "Irracionais"

A propósito do post "Chovem Gatos e Cães", quero partilhar com os leitores um e-mail hoje recebido e que decidi "ligar" com o título acima.
Não pretendo"provar" nada (acho que já pouco tenho que provar na vida...), mas tão só dizer-vos que DEFENDO INTRANSIGENTEMENTE AS TRADIÇÕES DO MEU PAÍS, algumas das quais essa famigerada polícia que dá pela sigla ASAE quer matar.
Todas as Tradições - perguntarão? Eu respondo: NÃO!
Aquela que é citada no post em análise, por exemplo (que desconheço se é verdadeira, falsa ou, como disse o presidente da CMV, uma oportunidade de denegrirem a sua imagem e actuação...), merece certamente o meu veemente repúdio!
As imagens que me enviaram e vos mostro, são estas:
A Morte - A Dor de uma Perda
Aconteceu numa praça, no Japão.Não se sabe como o pássaro morreu. Ele estava ali no asfalto, inerte, sem vida.Seria um facto corriqueiro, mas o fotógrafo fez a grande diferença.

A Solidariedade
Segundo o relato do fotógrafo, uma outra ave permanecia próxima àquele corpo sem vida e ficara ali durante horas. Chamando pelo companheiro, ela pulava de galho em galho, sem temer os que se aproximavam, inclusive sem temer ao fotógrafo que se colocava bem próximo.

A Solicitação
Ela cantou num tom triste. Ela voou até o corpinho inerte, posou como querendo levantá-lo e alçou vôo até um jardim próximo. O fotógrafo entendeu o que ela pedia e, assim, foi até o meio da rua, retirou a ave morta e a colocou no canteiro indicado. Só então a ave solidária levantou voo e, atrás dela, todo o bando.

A Despedida
As fotos traduzem a sequência dos factos e a beleza de sentimentos no reino animal.

Uma Questão de Amor e Carinho
Segundo o relato de testemunhas, dezenas de aves, antes de partirem, sobrevoaram o corpinho do companheiro morto. As fotos mostram quanta verdade existiu naquele momento de dor e respeito.

Um grito de dor e lamento
Aquela ave que fez toda a cerimónia de despedida, quando o bando já ia alto, inesperadamente voltou ao corpo inerte no chão e, num grito de não aceitação da morte, tenta novamente chamar o companheiro à vida. Desesperada, mas com amor e carinho, ela se despede do companheiro, revelando o seu sentimento de dor.


Agora, respondam-me: serão os animais realmente os irracionais?
Pensem nisso!

sábado, 26 de janeiro de 2008

A MADEIRA É UM JARDIM


Publicado no Jornal Público em 22.01.2008
(Clique para aumentar)

NESTE ANO...

Para todos aqueles que me passaram correntes dizendo
que se eu repassasse e não quebrasse eu ia ficar rica ou milionária...
NÃO FUNCIONOU...

( Vejam: BCP, Reforma, Saúde, etc…)

Em 2008, por favor, poderiam mandar - me em dinheiro,
cheques ou vales de gasolina?

ABRIGO PARA FUMADORES

Instalação exterior
...

Com os agradecimentos à CABENA - Empresa de Mobiliário Urbano
http://www.cabena.pt/


sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

CAVALAGEM E BANCOS DE JARDIM

A Quinta da Fonte, de manhã...



cavalagem
clique para ampliar

bancos de jardim

Junto à Qt. da Fonte existe uma grande rotunda, ovalóide, completamente relvada, com algumas árvores aqui e ali, uns belos chorões debruçados sobre o solo e uns bancos de jardim, hirtos, pedra sobre pedra, esteticamente muito bonitos, mas só isso...porque raras são as pessoas que se atrevem a sentar-se a ver passar os carros.

saudade metalúrgica

.
SAUDADE METALÚRGICA
- 06 ABR 2004 -


Esta fotografia foi tirada no dia 6 de Abril de 2004, por volta da hora de almoço, na Estação de Oeiras.
É um instantâneo fruto do acaso. Eu estava de passagem pelo local e apercebi-me da cena, do enquadramento, das leituras e das significações possíveis.
Apontei a máquina... Clique!

Com ela pretendo metaforizar a saudade de uma época sem retorno, a da actividade industrial no Concelho de Oeiras, representada pelo homem vestido com o característico fato-macaco de operário — que espera o quê? — e pela fachada da Fundição de Oeiras em fundo, e as lutas operárias, representadas pelo (moderno) cartaz do PCP.

Desconheço o senhor que inconscientemente posou para o meu 'retrato'.

imagem: © josé antónio / comunicação visual - CLIQUE PARA AMPLIAR
.

CHOVEM "GATOS E CÃES"

Recebemos muitos de nós, por mail, um apelo no sentido de manifestarmos o nosso desagrado às forças vivas da Freguesia de Campia e do Concelho de Vouzela pelo tratamento que estará a ser reservado aos gatos por altura do Carnaval. O texto refere o seguinte:

“Caros amigos dos animais! Chegou a hora de acabar com uma tradição primitiva e cruel que serve apenas para divertir uns quantos sádicos. Acontece em Campia, uma pequena aldeia do concelho de Vouzela em Viseu. No dia de carnaval os organizadores da festa teimam em incluir uma tradição que consta do seguinte: Os organizadores caçam , roubam um gato, algures, e metem-no num cântaro onde fica fechado até à hora da festa, (todos sabemos que os gatos sofrem de forte claustrofobia, e, só isto é causa de grande angústia e sofrimento). Depois, no largo da festa, está um grande mastro ladeado de lenha, o cântaro é elevado por cordas até ao cimo do mastro, a seguir lançam fogo á lenha que aquece o cântaro, queima as cordas e o cântaro cai desfazendo-se em cacos; o gato (se ainda puder) corre espavorido tendo á perna a parolada toda a persegui-lo com paus para ver quem lhe acerta. Todos sabemos que os países civilizados não admitem más tradições, só as que dão alegria e bem estar a todos. Já no 3º mundo abundam as tradições em que o forte usa o fraco; Os apedrejamentos, os sacrifícios, as amputações, a escravatura, geralmente em que as vítimas são as mulheres, as crianças e os animais. Todos nós temos obrigação de colaborar na evolução do nosso país. Esperemos então que cada um de nós passe a palavra ao maior número de pessoas, e envie uma crítica a quem tem culpas desta prática.Tem o presidente da junta, que é um dos organizadores, o presidente da Câmara que concorda, o padre que abençoa a festa. e todos os que vêem, calam e consentem. As contestações isoladas de nada têm servido, pelo contrário. Temos que ser muitos a repudiar esta tradição para eles perceberem a falta de civismo.”

Pelos vistos, a resposta não se fez esperar. De tal modo que o PCMV responde a quem o contacta do seguinte modo:

“Desde segunda-feira que o meu correio electrónico é invadido por mensagens relacionadas com o assunto em epígrafe.
As mensagens em causa são de 3 tipos:
O primeiro tipo de mensagens consiste no simples reencaminhamento de uma mensagem que terá tido origem num indivíduo que já foi condenado em Tribunal por injúrias à minha pessoa, que já tem outro processo-crime em curso e que parece que ainda não percebeu que tenho princípios e valores.
O segundo tipo de mensagens procura saber se o conteúdo da mensagem corresponde ou não à verdade.
O terceiro tipo de mensagens parte directamente para a injúria ofensa.

Pedindo desculpa por ter de responder com uma mensagem tipo a todas as pessoas que me enviaram e-mails, esclareço o seguinte:
1º) Para o primeiro tipo de pessoas: a mensagem que me reencaminham é ofensiva e como já referi, provavelmente terá origem num indivíduo que já tem antecedentes criminais de injúrias à minha pessoa. Peço-vos que não continuem a reencaminhar a mensagem por ser falsa e injuriosa, sob pena de ser obrigado a procedimento criminal.
2º) Para o segundo tipo de pessoas: nunca assisti a esse acto, admito que ocorra, mas como devem perceber, não sou responsável por tudo o de bom e por tudo o de mau que ocorre no concelho a que presido. Além disso, não tenho competência nem meios para impedir que esta situação se repita. Só uma decisão judicial e a intervenção dos órgãos policiais podem evitar os actos que são relatados.
3º) Para o terceiro tipo de pessoas, que enviam mensagens insultuosas: é covardia, é de muito baixos princípios partir directamente para a ofensa, a coberto do anonimato de um e-mail, sem conhecer a realidade, sem conhecer as pessoas envolvidas. Quando se parte para a ofensa de outro ser humano, atingindo a sua honra, a honra da sua família, a sua integridade, perde-se toda a legitimidade para defender a honra dos animais. Esse mundo melhor que pretendem construir, começa desde logo em vós, nos vossos actos, nas vossas atitudes. Obviamente, não me deixam alternativa senão o procedimento criminal, para perceberem que existem leis para defesa dos animais, mas também existem lei para defesa da honra e consideração dos seres humanos.”

Recebi de um amigo esta mensagem enviada ao PCMV, que subscrevo inteiramente:

“Fico contente em saber que o Senhor não está envolvido na tortura do gato. Concordará comigo que quem é capaz de uma acção destas, também será capaz de outras bem piores, se é que fazê-lo a uma pessoa é pior do que o fazer a um animal.

Mas, pergunto: o Presidente da Câmara de um Concelho onde se pratica acto tão selvagem (que o Senhor não nega no «e-mail» de resposta) não pode mesmo fazer alguma coisa para o impedir? Não pode pedir a intervenção judicial e/ou policial?”

O que se me oferece dizer:

Começo a ficar preocupado com naturalidade com que determinados autarcas tratam estes e outros assuntos. Depois, admito que estas mensagens, podendo ter muita força, são, também, um alvo (ou meio) preferido de caluniadores e detractores de iniciativas ou de pessoas. Lamento até que o PCMV perca tanto do seu precioso tempo com questões de felídeos, prejudicando assim as suas actividades.

Queixa-se o PCMV por ter a caixa de correio cheia? Apetece-me desabafar…ainda bem!
Que pensam disto os leitores do OL?

Quem havia de dizer!!!

Cidade alemã com nome português


ASAE

Contra as quotas da produção de leite

Texto que foi publicado na Tribuna do Leitor – Jornal Público em 15 de Maio de 2006. Refiro que este Jornal tinha publicado em 4 de Maio de 2006 uma notícia sobre a Multa para Portugal.

Clotilde Moreira, Algés



Contra as quotas da produção de leite

Com frequência somos informados que Portugal vai ser multado por produzir leite acima das quotas estabelecidas por Bruxelas e que até - Jornal Público de 4 de Maio - “é um instrumento indispensável para a manutenção do rendimento dos produtores nacionais”. Com a fome que ainda existe no nosso País e com toda a fome que grassa no Mundo, dizer-se que se multa por leite a mais é pura estultice.

Se, felizmente, temos leite porque é que as autoridades não o fazem chegar, através das nossas escolas, juntas de freguesia e ONG’s a todas as nossas crianças e idosos e aos sem abrigo, tantas vezes mal alimentados. Com as técnicas que já dominamos porque não transformar em pó e noutros sucedâneos, e as autoridades de Bruxelas, promoverem o envio destes produtos lácteos para tantas pessoas que neste preciso momento morrem de fome por esse Mundo fora.

Apesar das muitas explicações técnicas dadas e aceites por alguns, há qualquer coisa de desumano nestas multas, nesta contenção de produção, talvez igual quando os Estados Unidos há muitos, muitos anos, queimou o trigo e não o deixou embarcar para os países necessitados como contou Josué de Castro.

Clotilde Moreira
Algés

J M Teles da Silva

S/Título
2007
60 x 40 cm
Óleo s/ tela

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

BANCOS DE JARDIM

Desde há algum tempo que ando a pedir à C M O - um concelho MODELO – para ter atenção aos bancos dos nossos jardins e larguezas para que todos possamos estar confortavelmente a apanhar SOL ou a cavaquear. Mas eles não me têm ouvido. Este texto foi publicado no Jornal Público em 28 de Setembro de 2004.

Clotilde Moreira
Algés



Mais atenção aos bancos de Jardim

Com muita frequência os novos arranjos paisagísticos incluem, nos seus espaços verdes e Jardins, bancos sem costas. Desde há muito que venho chamando a atenção no Concelho onde moro - OEIRAS que, embora possa ser muito bonito, não são cómodos, principalmente para a nossa população idosa.

Os bancos a direito, mesmo com costas, cabendo quatro pessoas, só permitem uma conversa a dois, ficando as outras pessoas, periodicamente fora da cavaqueira ou deitadas sobre a barriga para participarem na conversa. Por isso, também, venho pedindo para terem mais atenção nestes pormenores e encontrarem maneira de adequar grande parte dos bancos dos nossos jardins de modo a poder-se desfrutar de um lugar ao ar livre onde seja possível e propício uma boa tarde de troca de ideias.

Gostava que me ouvissem: acabar com os bancos sem costas ou pelo menos diminuir drasticamente a sua implantação; fomentar os bancos em semi círculo para um maior número de pessoas poder conversar – ouvir e falar (e alguns até com uma mesa ao centro) e, enquanto não for possível, pelo menos colocar os existentes em V. Ter, também, em atenção a altura dos bancos pois há muita gente que não chega com os pés ao chão.

São coisas pequenas que me parecem que deviam ter atenção especial em todo o País, e que a nossa população de idosos de certo que agradece e os menos velhos também ficarão mais confortávelmente instalados sempre que tiverem a possibilidade de descansar num Jardim.



Preço do leite sobe 15,6% em Fevereiro

.

O preço do leite vai subir mais de dez cêntimos por litro já a partir do mês de Fevereiro. Atendendo a que o preço das marcas mais consumidas, como a Agros, a Mimosa e a Gresso, tem rondado nos últimos tempos os 64 cêntimos por litro, o aumento esperado atinge os 15,6%, refere o jornal Correio da Manhã esta quinta-feira.


Trata-se de um aumento superior ao anunciado no início do ano e que é influenciado pela diminuição do efectivo pecuário e dos produtores que, cada vez mais, trocam a pastagem pela produção de cereais destinados aos biocombustíveis.


Aliás, explica o CM, a ruptura de stocks que se tem verificado nas últimas duas semanas em praticamente todas as grandes superfícies portuguesas, com o leite distribuído pela Lactogal esgotado vários dias seguidos, indicia aumento de preços a curto prazo.


«A questão é simples. Quem distribui não tem interesse em colocar leite nas prateleiras dos supermercados nesta altura, sabendo que o pode vender a mais dez cêntimos o litro daqui por duas semanas», disse um distribuidor, referindo que «dez cêntimos por litro representa muitos milhões ganhos assim de uma hora para a outra».


24-01-2008 8:10:39

in DIÁRIO DIGITAL

imagem: DAQUI - CLIQUE PARA AMPLIAR
.

Português

PORQUE O SABER NÃO OCUPA LUGAR!!!!


Alevantar

O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.

Aspergic

Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.

Assentar

O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

Capom

Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!

Destrocar

Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.

Disvorciada

Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

É assim.

Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.

Entropeçar

Tropeçar duas vezes seguidas.

Êros

Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

Falastes, dissestes.

Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.

Fracturação

O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.

Inclusiver

Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira.

Também existe a variante "Inclusivel".



A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'. Ex.: Atão mô, tudo bem?

Nha

Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.

Númaro

Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!

Parteleira

Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

Perssunal

O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.: 'Sou perssunal de futebol'. Dica: deve ser articulada de forma rápida.

Pitaxio

Aperitivo da classe do 'minoím'.

Precuração

É o acto de nomear alguém nosso precurador. Essa pessoa fica encarregada de nos representar.

Prontus

Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem.

Prutugal

País ao lado da Espanha. Não é a Francia.

Quaise

Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais. Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.

Rezisto

Acto de rezistar uma casa em nosso nome na Conservatória.

Stander

Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis.

O "stander" é um dos grandes clássicos do "português da cromagem".

Tipo

Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?

Treuze

Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.


NOTA: Convidamos os leitores a contribuirem com outros exemplos que conheçam.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

O VELHO DO RESTELO

I
C’um saber só de experiências feito,
Tais palavras tirou do esperto peito:




O Velho do Restelo representa o conhecimento experiente do mundo e da alma, de forma dramática e profundamente humana. Incarna uma corrente de ideias que, no fundo, está consciente dos aspectos negativos do feito épico que Camões conta. De notar que, em Os Lusíadas, ele representa a lucidez e não tem o sentido retrógrado e agoireiro com que corre, como expressão popular.

in: Enciclopédia Universal Multimédia on-line http://www.universal.pt/scripts/hlp/hlp.exe/geral?tipo=5&p=-1&texto=velho+&image.x=16&image.y=8

II

Com os agradecimentos a:http://images.google.pt/images?q=astronauta&hl=pt-PT&um=1&ie=UTF-8&sa=X&oi=images&ct=title

Fala do Velho do Restelo ao Astronauta

Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.

Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.

No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.

José Saramago

III


Gravura de 1534 onde se vê a praia, o Mosteiro, a sua Cerca, a Torre de Belém e uma fortificação*
(Fonte: Ministério da Cultura/IPPAR)

* - pela distância relativa, não nos parece a fortificação antecessora do Forte do Bom Sucesso ou que seja
o antigo Forte de Cascais. Porventura ficaria em Algés ou Paço D’Arcos? Ou seria antecessora do Forte de
S. Julião da Barra, construído no final desse Século?


Publicado em: http://www.geocities.com/hpacfb/belhis3.html



"O Velho do Restelo, esse incompreendido Data Original:. 2005-08-03

Tenho uma confissão a fazer: Sou um néscio - vá, corram lá para o dicionário, seus ignorantes, eu espero :)

(momento de pausa)

Always look on the bright side of life... assobio... assobio... assobio... assobio...Always look on the br...

ah, já voltaram? OK, vamos prosseguir.Um dos aspectos da minha "nesciosidade" tem a ver com o assunto de hoje - o Velho do Restelo. (...). Bem, sempre me falaram do Velho do Restelo como um símbolo da resistência ao Progresso, aquele personagem que se agarra aos velhos costumes, teimando em não acompanhar o seu tempo. Pois... não sei quem foi o primeiro idiota a espalhar esta imagem, mas deve ter lido os Lusíadas com tanta atenção como eu :)

Vejamos, então, algumas das expressões utilizadas por Camões para descrever este velhote "retrógado":

- É um velho "de aspecto venerando". Nada a comentar.
- É um velho com "um saber de experiência feito". Bom, aqui já começamos a ter algumas dúvidas... afinal, todos passamos a vida a acumular experiência, e damos-lhe um certo valor. Se o saber deste ancião vem da experiência, talvez a sua opinião, afinal, seja válida.
- É um velho "digno de ser ouvido". Bem, OK... em que é que ficamos? Se é apenas um velho que insiste em ficar agarrado ao passado, deveria ser "irrelevante", e não "digno de ser ouvido".

Após ler isto, comecei rapidamente a mudar a minha opinião sobre este indivíduo idoso, e a concordar com quem diz que "o Velho do Restelo representa a voz da razão num momento de euforia e deslumbramento, a voz da experiência perante a irreverência". Ou seja, afinal é a única pessoa que insiste em usar a cabeça no meio de um grupo de deslumbrados, que se defendem afirmando que - talvez pela idade avançada - lhe falta capacidade de visão.

É pena que ande para aí muita gente que não saiba distinguir "visão" de "miragem" :)
Comecei a imaginá-lo, ao nosso respeitável idoso, hoje em dia, numa qualquer sala de reuniões, por esse mundo fora... portanto, com um enorme pedido de desculpas ao nosso bom e velho Luís Vaz, aqui vai:..."

Não percam o que vem a seguir em:http://cestdeboncoeur.blogspot.com/2006/05/o-velho-do-restelo-esse-incompreendido.html

….digo eu, colaborador do OL

Com os agradecimentos ao autor e ao Blog "cestdeboncoeur"

PREVENÇÃO RODOVIÁRIA

É tudo uma questão de estilo...


Recebido por e.mail

secção desopila...

.
Recebido por e-mail:


CLIQUE PARA AMPLIAR
.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

OEIRAS É A MINHA TERRA

Dedicado a um visitante anónimo nascido em Oeiras



Fui testemunha:
da força bruta dos bois que lavravam as terras de pão e do trabalho compulsivo de homens e mulheres que o ceifavam,
das traineiras carregadas de peixe que aportavam a Paço de Arcos e das varinas, descalças, que o distribuíam,
do estrondo dos disparos nas pedreiras que alimentavam Lisboa ,
dos golfinhos que entravam no Tejo e
das rolas bravas que aos milhares enchiam os ares em época de migração.
Memórias, certamente.


CAFÉ COM LETRAS - RICARDO ARAUJO PEREIRA


Ricardo Araújo Pereira no “Café com Letras” Ricardo Araújo Pereira é o próximo convidado de Carlos Vaz Marques, no âmbito do “Café com Letras”. O encontro está marcado para o dia 30 de Janeiro, quarta-feira, às 21H30, na Biblioteca Municipal de Oeiras, localizada na Av. Francisco Sá Carneiro, 17, na Urbanização Moinho das Antas, em Oeiras.

Do Sítio da CMO http://www.cm-oeiras.pt/

Correio dos Leitores


Assunto:
Notícia da LUSA - Provedor de Justiça diz que governador do BdP sabe desde 2005 que bancos congelam ilegalmente contas bancárias
Data: Mon, 21 Jan 2008 11:39:53 +0000 [11:39:53 WET]
De: ppdpsdportosalvo@gmailcom



Lisboa, 16 Jan (Lusa) - Desde 2005 que o governador do Banco de Portugal sabe que existem situações em que os bancos procedem ilegalmente ao congelamento de contas bancárias e à penhora de salários e pensões, disse hoje o Provedor de Justiça no Parlamento.

Em declarações aos deputados da Comissão de Orçamento e Finanças, no âmbito de uma audição pedida pelo CDS-PP depois da Provedoria ter divulgado um relatório sobre os serviços de finanças, Nascimento Rodrigues disse que o governador do Banco de Portugal "tem conhecimento desta situação desde 2005".

O Provedor referia-se a casos em que, tal como concluiu o relatório de Novembro, os bancos não respeitam os limites legais das penhoras e estão a congelar a totalidade das contas bancárias dos clientes, executando deficientemente as penhoras fiscais.

Nascimento Rodrigues admitiu ter ficado "espantado" com este procedimento detectado pelas investigações em 2006, mas garantiu que "não existe" qualquer "procedimento incorrecto" por parte da Direcção-Geral das Contribuições e Impostos.

"Mete-me confusão o procedimento dos bancos, mas estou a aguardar por uma resposta do governador do Banco de Portugal", acrescentou o Provedor, não adiantando mais nada sobre o assunto.

As conclusões do relatório foram enviadas ao Banco de Portugal e à DGCI a 14 de Dezembro e a lei diz que essas entidades têm 60 dias para responder.

Segundo Nascimento Rodrigues, a DGCI já enviou a sua resposta para a Provedoria de Justiça, mas o Banco de Portugal ainda não respondeu .

Uma das assessoras de Nascimento Rodrigues explicou hoje no Parlamento que quando existem situações de penhora conjunta de bens, acontece frequentemente as Finanças congelarem parte do vencimento logo junto da entidade patronal e depois darem instruções aos bancos para procederem ao congelamento da conta bancária, fazendo com que seja ultrapassado o limite legal da penhora dos vencimentos.

O Código do Processo Civil prevê que os rendimentos de salários e pensões só podem ser penhorados até ao limite de um terço, caso o contribuinte em causa não tenha outra fonte de rendimento.

Além disso, o valor penhorado desse tipo de rendimentos não pode ultrapassar o valor do salário mínimo, ou seja, 403 euros.

Acidentes de viação e a sua investigação

Através do semanário Sol, na sua versão Online, fiquei a saber, tal como muitos outros portugueses, que a Polícia de Segurança Pública de Lisboa, conta no seu dispositivo com uma estrutura, supostamente inovadora, a qual, de acordo com as palavras do líder de tal projecto, promete revolucionar a investigação dos acidentes de viação. »»»


domingo, 20 de janeiro de 2008